Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Leite

O leite é uma secreção esbranquiçada caracterizada como uma mistura de uma grande quantidade de substâncias, como proteínas, lipídios e sais minerais.

Gata deitada e amamentando seus filhotes O leite é produzido por mamíferos para alimentar seus filhotes.

O leite é produzido pelos mamíferos para a alimentação de seus recém-nascidos. Esse produto é produzido nas glândulas mamárias e é formado por água, proteínas, lipídios, carboidratos, sais minerais, vitaminas, entre outros componentes.

É um alimento complexo, e, no caso da espécie humana, recomenda-se que seja o único oferecido nos primeiros seis meses de vida. Após esse período, o aleitamento deverá ser complementado, porém deve ainda ocorrer até que a criança tenha dois anos ou mais. O leite materno é rico em anticorpos, protegendo o bebê contra várias doenças.

Além disso, a amamentação reforça o laço entre a criança e a mãe. Mesmo após o desmame, o leite pode ser benéfico a nossa saúde, sendo um alimento rico, por exemplo, em cálcio, promovendo a manutenção dos nossos ossos.

Leia mais: Por que o leite é branco?

Resumo sobre o leite

  • Pode ser definido como o produto da secreção das glândulas mamárias, estruturas presentes nos animais mamíferos.

  • É usado pelos mamíferos para alimentar seus filhotes.

  • É um produto complexo que contém água, lipídios, carboidratos, proteínas, sais minerais e vitaminas.

  • Recomenda-se o aleitamento materno exclusivo até que a criança atinja seis meses de vida.

  • O aleitamento materno é importante para garantir que o bebê esteja protegido contra vários problemas de saúde.

  • Após o desmame, o leite pode também ser benéfico, sendo um de seus benefícios a prevenção da osteoporose.

  • Algumas pessoas apresentam sintomas desagradáveis após a ingestão de leite, os quais podem ser resultado de problemas como intolerância à lactose e alergia à proteína do leite.

Definição de leite

O leite é um produto complexo produzido pelos animais mamíferos. A secreção é produzida nas chamadas glândulas mamárias, sob controle hormonal, e é importante para a alimentação dos filhotes no início do seu desenvolvimento.

Componentes do leite

O leite é um alimento rico em nutrientes. Dentre seus principais componentes, podemos citar:

A água é o componente encontrado em maior quantidade, e outros componentes podem estar dissolvidos, emulsionados ou suspensos nela. O principal componente lipídico do leite são os triglicerídeos, sendo sua composição e quantidade variáveis de acordo com a espécie analisada.

Diferentes proteínas podem ser encontradas no leite. Uma delas é a caseína, a principal proteína do leite de vaca. No leite humano, a principal proteína encontrada é a lactoalbumina. A lactose destaca-se como o principal carboidrato encontrado na substância. Trata-se um dissacarídeo formado pela união de glicose e galactose.

Além dos nutrientes já descritos, podemos encontrar no leite também vitaminas e sais minerais. Dentre os principais minerais desse alimento, podemos citar o cálcio e o fósforo. Todas as vitaminas que se conhece estão presentes no leite, estando as A, D, E e K associadas à gordura.

Leia mais: A química do leite — está relacionada principalmente com cada uma das substâncias nesse alimento

Leite materno e seus benefícios

Os seres humanos, assim como outros mamíferos, alimentam seus filhotes com leite. Esse ato é denominado aleitamento materno ou amamentação. Recomenda-se o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida da criança, não sendo necessário fornecer água ou qualquer outro alimento durante esse período. Após os seis meses, recomenda-se que o aleitamento continue sendo feito, entretanto, com a complementação com outros alimentos. Recomenda-se que o aleitamento seja feito até os dois anos da criança ou mais.

O leite humano é um alimento natural, bastante nutritivo e seguro para o bebê, ajudando-o no seu desenvolvimento. O leite representa um alimento de fácil digestão e garante o ganho de peso do recém-nascido. Também proporciona proteção imunológica ao bebê, uma vez que é rico em anticorpos.

Além disso, o aleitamento materno protege contra diarreias, evita infecções respiratórias, reduz o risco de alergia, diminui o risco de desenvolvimento de problemas como obesidade, hipertensão, diabetes e colesterol alto, contribui para o desenvolvimento cognitivo e reforça os laços entre a mãe e o bebê.

Benefícios do consumo do leite

Que o leite materno é fundamental para o desenvolvimento do bebê não há dúvidas. Entretanto, algumas pessoas se questionam se devemos consumir leite de outros animais após o desmame. O leite de vaca, por exemplo, é considerado um alimento polêmico, sendo até mesmo não recomendado por algumas pessoas devido a, entre outros fatores, estar relacionado com o desenvolvimento de alergias, o aumento da produção de secreções mucosas e a intolerância à lactose.

Apesar de o leite estar relacionado com esses problemas, o consumo de leite e seus derivados pode ser bastante benéfico. Primeiramente devemos nos lembrar de que se trata de um alimento bastante nutritivo, fornecendo importantes nutrientes, como lipídios, proteínas, carboidratos, vitaminas e sais minerais. No que diz respeito aos sais minerais, não podemos deixar de citar cálcio, o qual ajuda na manutenção dos ossos e, consequentemente, na prevenção da osteoporose e redução de risco de fraturas.

A ingestão de leite pode ser benéfica para os seres humanos.

Há estudos que relacionam o consumo do leite e de seus derivados com a prevenção de doenças crônicas, como hipertensão e alguns tipos de cânceres. Devido às proteínas do leite estarem relacionadas com um pequeno aumento na liberação do hormônio insulina, o leite é também considerado um alimento importante no controle do diabetes.

Não podemos nos esquecer também de que o leite é um aliado no controle do peso, estando esse benefício relacionado, entre outros fatores, com o fato de que o alimento é rico em proteínas que contribuem para o aumento de saciedade.

Leia mais: Alimentação saudável — é essencial para o bem-estar físico e mental do indivíduo

Diferença entre intolerância à lactose e alergia à proteína do leite de vaca

A ingestão de leite pode ser muito benéfica aos seres humanos, entretanto, em algumas pessoas, ela pode ser acompanhada de uma série de sintomas desagradáveis. Pessoas que apresentam intolerância à lactose, por exemplo, ao consumirem leite e derivados, podem apresentar diarreia, gases e cólicas. Já a pessoa que apresenta alergia à proteína do leite de vaca pode apresentar, por exemplo, vômitos, diarreia, sangue nas fezes, dor abdominal, coceira, manchas vermelhas na pele e dificuldade para respirar.

Apesar de a intolerância à lactose e a alergia à proteína do leite de vaca serem problemas desencadeados pelo consumo do leite, apresentam causas distintas. A alergia à proteína do leite de vaca ocorre quando nosso corpo reage contra as proteínas do leite, havendo, portanto, uma resposta do nosso sistema imunológico.

Já a intolerância à lactose é decorrente de uma deficiência ou ausência de uma enzima chamada lactase, a qual atua na decomposição da lactose, o principal carboidrato do leite. Caso queira saber mais sobre o tema deste tópico, leia: Intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite?

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

A importância dos sais minerais

Ciências

Alimentação

Ciências

Alimentação saudável

Ciências

Classificação dos Alimentos

Últimos artigos

Ponto e vírgula (;)

O ponto e vírgula é um sinal de pontuação que indica uma pausa mais longa que a pausa da vírgula, mas sem interromper o enunciado, como o ponto.

Alvéolos pulmonares

Alvéolos pulmonares são estruturas que lembram pequenas bolsas e são onde ocorrem as trocas gasosas. São os responsáveis pelo aspecto esponjoso do pulmão.

Cerebelo

Cerebelo é uma parte do encéfalo e está relacionado, entre outras funções, com a manutenção do nosso equilíbrio, postura e ajuste dos movimentos corporais.

Tríplice Aliança

Tríplice Aliança foi um acordo militar assinado, em maio de 1882, por Alemanha, Áustria-Hungria e Itália, que procuravam se proteger de França e Rússia principalmente.