Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Extrativismo

O extrativismo é uma atividade econômica caracterizada pela retirada de elementos da natureza. Ela é classificada, conforme sua origem, em vegetal, animal e mineral.

Mulher anda em região de mangue, na Bahia, com balde na cabeça para a captura de caranguejos. O extrativismo é uma atividade econômica muito importante em diversas regiões do planeta. [1]

O extrativismo é uma atividade econômica caracterizada pela extração de bens da natureza. A história do extrativismo está ligada ao processo de exploração humana dos elementos da paisagem. Há três grandes tipos de extrativismo: vegetal, animal e mineral.

O Brasil é um país que possui grande tradição nas atividades extrativistas. Essa prática, apesar dos benefícios econômicos e sociais, gera grandes transformações na paisagem.

Leia também: Agricultura — atividade responsável pela produção de alimentos

Resumo sobre o extrativismo

  • É uma prática econômica caracterizada pela retirada de elementos do meio natural.

  • Seu processo histórico data do período pré-histórico, quando eram realizadas diversas atividades de subsistência.

  • O extrativismo vegetal é realizado por meio da retirada de elementos das plantas, como folhas e frutos.

  • O extrativismo animal é caracterizado pela caça e pesca de diversas espécies de animais.

  • O extrativismo mineral é praticado por meio da extração de minérios de diferentes áreas naturais.

  • O Brasil é um país de destaque nas atividades extrativistas, especialmente em atividades como extração de ferro, ouro e petróleo.

  • O extrativismo gera inúmeros impactos ambientais, como a poluição do solo, a perda da biodiversidade e a remoção da vegetação.

O que é extrativismo?

O extrativismo é uma atividade econômica caracterizada pela retirada de elementos da natureza que são aproveitados pela sociedade. Essa retirada de recursos naturais — de ordem vegetal, animal ou mineral — procura satisfazer as necessidades humanas por meio da concretização de diversas atividades econômicas.

História do extrativismo

O extrativismo é uma atividade econômica historicamente muito antiga, datada de tempos pré-históricos, quando os indivíduos realizavam atividades de caça e coleta como modo de subsistência. Portanto, essa atividade foi fundamental para o desenvolvimento da humanidade, fornecendo os recursos necessários para a sobrevivência das sociedades e, ainda, fundando as bases necessárias para os setores econômicos modernos, como a agricultura e a pecuária.

O extrativismo foi fomentado por meio de diversos processos históricos, desde conflitos bélicos até colonização de territórios. No Brasil, por exemplo, a história do extrativismo está diretamente ligada ao processo de colonização do país, mais precisamente pela atividade extrativista vegetal de pau-brasil, que iniciou o processo de exploração econômica nacional e foi fundamental para os futuros cenários de urbanização e industrialização do território nacional.

Tipos de extrativismo

Há três grandes tipos de extrativismo, classificados conforme a origem do produto retirado da natureza, sendo eles:

  • Extrativismo vegetal: é realizado por meio da retirada de elementos das plantas, como madeira, frutas, raízes, folhas e seiva. Essa atividade, mesmo realizada em pequena escala, resulta em impactos no meio, entre eles o desmatamento. Um exemplo desse tipo de extrativismo é a exploração de látex para a produção de borracha.

A exploração de látex de árvores como a serigueira é um exemplo de extrativismo vegetal.
  • Extrativismo animal: envolve a caça e a pesca de espécies animais. Em muitos locais do planeta, essa atividade é bastante restrita ou, ainda, proibida, em razão dos seus grandes impactos ambientais. Um exemplo desse tipo de extrativismo é a pesca de salmão em regiões de clima temperado.

A pesca de peixes diversos como o salmão é um exemplo de extrativismo animal.
  • Extrativismo mineral: é caracterizado pela exploração de minerais e rochas diversos em ambientes naturais como solos, rios e mares. Essa atividade, atualmente desenvolvida com grandes aportes tecnológicos, resulta em grande transformação da paisagem natural. Um exemplo de extrativismo mineral é a extração de ferro para a fabricação de bens manufaturados diversos.

A exploração de minerais como o ferro é um exemplo de extrativismo mineral.

Extrativismo no Brasil

O Brasil, em razão da ampla extensão territorial e da diversidade geográfica nacional, possui grande tradição nas atividades extrativistas. O próprio processo de colonização do país foi iniciado por meio de atividades extrativistas, como a exploração de madeira, que culminaram no desenvolvimento da ocupação do território brasileiro. O país vivenciou ainda outros ciclos econômicos marcados pelo protagonismo das atividades de extrativismo, com destaque para a extração de ouro e a exploração de borracha.

Atualmente, as atividades econômicas de extrativismo mais tradicionais, como a coleta de frutos e a caça de animais, estão mais restritas às populações tradicionais, como indígenas e quilombolas, que mantêm hábitos de subsistência. Por sua vez, atividades como a mineração e a pesca foram bastante desenvolvidas, com forte aparato de tecnologia e capital, e tornaram-se muito importantes economicamente para o país. Atualmente, o Brasil é um grande produtor de recursos naturais, como ferro, ouro e petróleo.

Leia também: Agricultura familiar — a importância dessa atividade para a economia do Brasil

Extrativismo vegetal x agricultura

O extrativismo vegetal e a agricultura são atividades distintas, em razão do modo como são realizadas a produção e a colheita dos bens vegetais, envolvidos em ambas as práticas econômicas. Sendo assim, no extrativismo vegetal, há a retirada de elementos vegetais da natureza, ou seja, não há um plantio destinado para esse fim. Por sua vez, na agricultura, os bens retirados da natureza são plantados e cultivados, ou seja, há a interferência humana direta na sua produção.

Efeitos do extrativismo

O extrativismo, mesmo realizado em pequena escala, produz efeitos no espaço natural e, por consequência, problemas de ordem ambiental e social. Os pontos abaixo apresentam as principais consequência das atividades extrativistas:

  • realização de cortes, derrubadas e desmatamentos de espécies vegetais;

  • contaminação de fontes de solo, água e ar pelas atividades mineradoras;

  • redução da biodiversidade em razão da coleta, caça e pesca de espécies;

  • alteração da paisagem natural em razão de modificações nos territórios.

A atividade extrativista de mineração, por exemplo, provoca grandes transformações no relevo, hidrografia e vegetação local.

Exercícios resolvidos sobre extrativismo

Questão 1

(Encceja 2018) Há uma evidência cada vez maior da existência de um número significativo de formas comunitárias de apropriação de espaços, recursos naturais em várias regiões e ecossistemas brasileiros. Essas formas, até recentemente, tiveram pouca visibilidade social, seja pelo pouco poder político das comunidades locais, seja pelas agressões e investidas da grande propriedade fundiária, das empresas mineradoras e madeireiras, que frequentemente resultam na expropriação das terras de uso comunitário ou coletivo.

Disponível em: http://nupaub.fflch.usp.br. Acesso em: 4 ago. 2014.

Um exemplo dessa forma de apropriação de espaços é o(a)

a) extrativismo vegetal no Norte.

b) mineração do ferro no Sudeste.

c) cultivo da soja no Centro-Oeste.

d) economia canavieira no Nordeste.

Resolução: Alternativa A. A região Norte do Brasil reúne tradicionalmente atividades extrativistas vegetais, como a exploração de madeira e borracha, que estão diretamente ligadas ao potencial ambiental dessa região, que possui grande biodiversidade de plantas.

Questão 2

(Uece) O homem, atuando na superfície da Terra e utilizando os seus recursos naturais, tem demonstrado, ao longo do tempo, desarmonia em relação ao meio ambiente em que vive. Sobre esse tema, é INCORRETO afirmar-se que

a) tem havido diminuição progressiva das áreas florestais, substituídas por atividades que comprometem o equilíbrio ambiental.

b) práticas agropecuárias inadequadas têm motivado o desgaste e a erosão dos solos, especialmente em regiões semiáridas ou subúmidas.

c) a caça predatória tem ocasionado a extinção de espécies, e provocado rupturas no equilíbrio ecológico.

d) a manutenção da qualidade ambiental tem sido feita nas áreas de extrativismo mineral e vegetal.

Resolução: Alternativa D. As atividades extrativistas, como as de cunho mineral e vegetal, provocam grandes transformações no meio natural, logo, não há a manutenção da qualidade ambiental desses territórios, mas sim o registro de diversos impactos ambientais.

Créditos da imagem

[1] Caio Pederneiras / Shutterstock

[2] Konstantin Baidin / Shuttestock

Por Mateus Campos

Você pode se interessar também

Geografia

Agricultura

História

Bandeirantes

Geografia

Indústria

Geografia

Mata dos cocais

Últimos artigos

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.