Qual matéria está procurando ?

História

História

Bandeirantes

Os bandeirantes foram exploradores que, durante o período colonial, realizavam expedições para localizar, capturar e escravizar indígenas, além de encontrar ouro.

Gravura do século XVIII representando os bandeirantes. Gravura do século XVIII representando os bandeirantes.

Os bandeirantes foram exploradores sertanistas que atuaram no Brasil durante o período da colonização, especialmente entre os séculos XVI e XVIII. Ficaram conhecidos na história brasileira como os responsáveis pela captura e escravização de indígenas.

O bandeirantismo foi um fenômeno que surgiu em São Paulo para atender a demanda por escravos que havia naquele estado. Os bandeirantes ficaram conhecidos por sua crueldade e pelo massacre de indígenas que promoveram no Brasil. Descobriram ouro e contribuíram para a expansão territorial da colônia portuguesa na América.

Leia também: Escravidão no Brasil — tudo sobre o cruel mecanismo que durou mais de 300 anos

Resumo sobre os bandeirantes

  • Os bandeirantes eram exploradores sertanistas que atuaram entre os séculos XVI e XVIII no Brasil do período colonial.

  • Foram responsáveis por enormes massacres de indígenas.

  • Seu principal objetivo era capturar indígenas para escravizá-los.

  • Realizavam também expedições para destruir quilombos e para procurar metais preciosos.

  • Foram responsáveis por encontrar metais preciosos em Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás.

  • Entre os principais bandeirantes da história, estiveram Borba Gato, Fernão Dias e Raposo Tavares.

Quem foram os bandeirantes?

Os bandeirantes foram exploradores que realizaram diversas expedições no interior do território brasileiro durante o período colonial. No período das expedições, eles penetraram em território que originalmente pertencia à Espanha, nos termos do Tratado de Tordesilhas.

Buscavam encontrar indígenas para que eles fossem escravizados, além de localizar escravos fugidos e destruir quilombos. Também localizavam metais preciosos no Brasil, como em Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás, dando início ao ciclo do ouro no Brasil.

As expedições contribuíram para a expansão territorial do Brasil, pois levaram a presença portuguesa para além da linha do Tratado de Tordesilhas. Apesar disso, os bandeirantes eram conhecidos por sua crueldade com indígenas e africanos, promovendo verdadeiros massacres por onde passavam. Uma parte expressiva das bandeiras era voltada para localizar e capturar indígenas para que fossem vendidos como escravos. Para tanto, usavam da violência e crueldade.

O bandeirantismo foi um fenômeno diretamente relacionado com São Paulo. Em geral, os bandeirantes eram paulistas e filhos de portugueses com indígenas. Muitos falavam idiomas indígenas e usavam do seu conhecimento da terra para tornar-se sertanistas e enriquecer às custas dessa atividade, fosse escravizando indígenas, fosse localizando metais preciosos.

História dos bandeirantes

As expedições realizadas pelos bandeirantes são conhecidas como bandeiras ou entradas e foram realizadas entre os séculos XVI e XVIII. Nesse período, o Brasil era colônia portuguesa, com o trabalho escravo sendo largamente utilizado. As regiões mais prósperas do Nordeste conseguiam financiar a compra de africanos escravizados. Esse não era o caso de São Paulo.

São Paulo era uma província/capitania distante e pouco próspera. Ainda assim, havia uma enorme necessidade por parte dos colonos em obter trabalhadores escravizados, sendo que os indígenas eram as principais vítimas. Com isso, os indígenas foram utilizados para suprir a carência dessa região, e os bandeirantes foram o grupo que atendeu essa demanda.

A ação dos bandeirantes contribuiu para a interiorização de diferentes povos indígenas, que se abrigavam cada vez mais distantes para fugir da violência portuguesa. Os bandeirantes tiveram inúmeros problemas com os jesuítas, que atuavam em oposição aos bandeirantes.

Os jesuítas, inclusive, fizeram uma grande pressão na Coroa portuguesa para que leis contra a escravização de indígenas fossem anunciadas. Essa pressão resultou na Lei sobre a Liberdade dos Gentios, de 1570, que afirmava que a escravização de indígenas seria permitida apenas em caso de “guerra justa”, quando os indígenas fossem hostis com os portugueses.

Principais objetivos dos bandeirantes

Os três grandes objetivos dos bandeirantes foram os seguintes:

  1. Capturar indígenas para escravizá-los. Os bandeirantes poderiam vendê-los, usá-los em suas propriedades, ou então entregá-los como uma encomenda específica a uma pessoa.

  2. Destruir quilombos e recapturar escravos que fugiram.

  3. Localizar metais preciosos.

Bandeirantes mais famosos da história

Ao longo de dois séculos de bandeirantismo, alguns nomes ficaram marcados na história brasileira, como:

  • Antônio Raposo Tavares;

  • Domingos Jorge Velho;

  • Manuel Borba Gato;

  • Fernão Dias Paes;

  • André Fernandes;

  • Bartolomeu Bueno da Silva etc.

Quais os tipos de bandeiras?

Com base nos três objetivos dos bandeirantes, havia três tipos de bandeiras que poderiam ser realizadas. Eram elas:

  • Bandeiras de apresamento: atacavam indígenas para capturá-los como escravos.

  • Sertanismo de contrato: expedições contratadas para lutar contra povos indígenas considerados “rebeldes” ou então para destruir quilombos e retornar com os escravos fugidos.

  • Bandeiras de prospecção: localizavam metais preciosos.

Consequências das atividades dos bandeirantes

O bandeirantismo é um fenômeno bastante criticado na historiografia pelo que representava e pela violência que disseminou por onde passou. Dois séculos de bandeirantismo, evidentemente, deixaram marcas no Brasil. Entre as consequências das atividades dos bandeirantes, destacam-se:

  • expansão territorial do Brasil;

  • Tratado de Madrid (acordo realizado entre Portugal e Espanha para resolver disputas de terras);

  • genocídio indígena;

  • início do ciclo do ouro;

  • fortalecimento econômico do Centro–Sul do Brasil.

Leia também: Ciclo do ouro — o ciclo econômico iniciado com a descoberta de ouro no Brasil

Exercícios sobre os bandeirantes

Questão 01

O bandeirante responsável pelo ataque que destruiu o Quilombo dos Palmares foi:

a) Borba Gato

b) Bartolomeu Bueno da Silva

c) Fernão Dias

d) Domingos Jorge Velho

e) Raposo Tavares

Letra D

Domingos Jorge Velho foi contratado pelos portugueses para destruir o Quilombo dos Palmares. Ele iniciou sua última expedição contra Palmares em janeiro de 1694, invadindo e destruindo os mocambos que formavam o quilombo. O bando liderado por esse bandeirante também foi responsável pela morte de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro de 1695.

Questão 02

O bandeirantismo contribuiu diretamente para a expansão territorial portuguesa na América, o que futuramente resultou em um tratado, em 1750, que reorganizou a divisão das terras entre Espanha e Portugal na América do Sul. Estamos falando do:

a) Tratado de Santo Ildefonso

b) Tratado de Madrid

c) Tratado de Versalhes

d) Tratado de Tordesilhas

e) Tratado de Badajoz

Letra B

O Tratado de Madrid foi um acordo assinado entre Portugal e Espanha, em 1750, que determinou a definição de novos limites territoriais para a colônia portuguesa na América do Sul. Esse tratado ratificou a expansão territorial portuguesa, que aconteceu, em certa medida, pelos avanços territoriais realizados pelos bandeirantes.

FONTES

FAUSTO, Boris. História concisa do Brasil. São Paulo: Edusp, 2018

SCHWARCZ, Lilia Moritz e STARLING, Heloísa Murgel. Brasil: Uma Biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MONTEIRO, John. Bandeiras indígenas. In.: FIGUEIREDO, Luciano (org.). História do Brasil para ocupados: os mais importantes historiadores apresentam de um jeito original os episódios decisivos e os personagens fascinantes que fizeram o nosso país. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013.

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

Datas Comemorativas

21 de abril – Dia de Tiradentes

História

Capitanias Hereditárias

História

Ciclo do Café

História

Ciclo do Ouro

Últimos artigos

Folclore brasileiro

O folclore brasileiro é o rico conjunto de manifestações de nossa cultura. Mitos, lendas, danças, músicas, brincadeiras e festas populares fazem parte dele.

El Niño

O El Niño é um fenômeno descrito pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico, provocando chuvas volumosas no Sul do Brasil e secas severas no Norte e no Nordeste.

Bicho-papão

Bicho-papão é uma lenda presente no folclore brasileiro que fala de um monstro que sequestra e devora crianças desobedientes. Foi influência portuguesa em nossa cultura.

Queda da Bastilha

A queda da Bastilha foi um acontecimento marcante que se passou em 14 de julho de 1789, marcando o início da Revolução Francesa.