Qual matéria está procurando ?

História

História

Poseidon

Poseidon era um importante deus da religiosidade dos gregos antigos. Ele era considerado o deus dos mares e dos rios. Os gregos atribuíam a ele algumas catástrofes naturais.

Estátua de Poseidon segurando tridente. Poseidon era o deus dos mares e dos rios para os gregos antigos.

Poseidon era um importante deus que estava presente na religiosidade da Grécia Antiga. Os gregos acreditavam que ele era o deus dos mares e dos rios e a divindade responsável por catástrofes como os terremotos e as enchentes. Marinheiros e pescadores pediam a proteção de Poseidon quando iam navegar no oceano.

Esse deus era filho de Cronos e Reia. Ele foi resgatado por Zeus e por isso lutou junto dele e de seus outros irmãos contra os gigantes. Na mitologia grega, Poseidon ficou marcado por ser um deus implacável, que perseguia seus inimigos. Era bastante respeitado pelos gregos, que construíram templos e santuários em sua homenagem.

Saiba mais: Apolo — deus do Sol, das artes e da música na mitologia grega

Resumo sobre Poseidon

  • Poseidon era o deus grego dos mares e dos rios.

  • Os gregos consideravam que ele era responsável por catástrofes como enchentes e terremotos.

  • Era filho de Cronos e Reia e foi resgatado do ventre de seu pai pelo seu irmão Zeus.

  • Acredita-se que o culto a Poseidon seja advindo do período micênico.

  • Existiam templos e santuários construídos em homenagem a Poseidon, assim como havia oráculos e festivais para esse deus.

Quem era Poseidon?

Poseidon era uma divindade presente no panteão que formava a religiosidade dos gregos na Antiguidade. Os gregos o consideravam como o deus dos mares e dos rios, mas também o tinham como responsável pela realização de catástrofes, como as enchentes, tempestades e os terremotos.

A associação de Poseidon com o mar e, principalmente, com as tempestades fez com que ele fosse considerado o deus patrono dos marinheiros na Grécia. Tanto marinheiros quanto pescadores costumavam prestar culto e fazer oferendas a Poseidon como forma de garantir o favor e a proteção desse deus enquanto estivessem no mar.

Esse deus era considerado poderoso e capaz de destruir aqueles que o incomodavam. Uma menção muito simbólica da ação sabotadora desse deus é o relato encontrado na Odisseia. Esse poema épico, escrito por Homero, fala da saga de Odisseu (soldado grego que lutou na Guerra de Troia) para retornar a sua casa, na ilha de Ítaca.

O retorno de Odisseu, que levaria um tempo curto, se estendeu por dez anos, pois durante todo esse período Poseidon perseguiu Odisseu para impedir que ele chegasse à sua ilha. O ódio de Poseidon por Odisseu foi motivado pelo fato de que o soldado teria cegado um dos filhos do deus. No fim, Odisseu retornou a Ítaca, mas só conseguiu porque obteve ajuda de Zeus.

Os gregos associavam os cavalos a Poseidon, considerado o deus que criou esses animais. Os gregos também acreditavam que o ato de cavalgar e a utilização de carruagem foram introduzidos entre os humanos pelo próprio Poseidon. Assim, os gregos o consideravam um deus domador de cavalos e o responsável por sua reprodução.

Leia também: Medusa — criatura mitológica conhecida por transformar as pessoas em pedra

Origens de Poseidon

Os historiadores afirmam que existem evidências do culto a Poseidon antes da formação do povo grego. No período micênico, já existiam inscrições em Linear B, escrita utilizada pelos micênicos, que mencionam esse deus. Especula-se que o auge do culto a Poseidon entre os micênicos tenha se estendido do século XV a.C. até o século XII a.C.

Acredita-se que a figura de Poseidon tenha se originado como resultado de uma mistura de elementos de uma religiosidade pré-grega com a de povos indo-europeus. Essa divindade acabou permanecendo na cultura religiosa da Grécia e se tornou uma das mais importantes dos gregos antigos, conforme é possível verificar nas origens mitológicas desse deus.

Os gregos acreditavam que Poseidon era filho de Cronos e Reia, portanto, que era irmão do principal deus do panteão grego: Zeus. O pai de Poseidon era um titã que comandava o Universo e que ficou conhecido por devorar os próprios filhos, temendo que um deles se rebelasse contra ele e o destronasse.

Certo dia, Reia enganou Cronos e resgatou Zeus, que cresceu em segurança distante de seu pai. Zeus retornou para resgatar os seus irmãos, fazendo com que seu pai os vomitasse (eles estavam em perfeito estado porque eram deuses, portanto, imortais). Assim, Zeus resgatou Poseidon, Héstia, Deméter, Hades e Hera.

Imediatamente, uma guerra entre os deuses e os titãs se iniciou, e Poseidon teve papel importante nesse conflito. Essa guerra recebeu o nome Titanomaquia e foi encerrada com a vitória dos deuses gregos sobre os titãs, que foram aprisionados no Tártaro. Depois disso, Hades, Zeus e Poseidon dividiram os domínios de cada um, sendo que Poseidon ficou com as águas e os seres que nelas habitam.

Poseidon na mitologia e religiosidade grega

Ruínas de um templo construído em homenagem a Poseidon.

Existem inúmeras menções a Poseidon na mitologia grega, além dos relatos feitos por Homero, como o papel de Poseidon na Guerra de Troia e sua atuação para perseguir Odisseu depois que esse conflito se encerrou. Um mito muito conhecido é o que narra a disputa de Poseidon e Atena para saber quem seria o deus patrono da cidade de Atenas.

Nesse mito, Poseidon e Atena desejavam ser patronos de Atenas, e cada um ofereceu algo para os atenienses, sendo que Poseidon ofereceu um cavalo e uma fonte de água salgada. Atena, por sua vez, ofereceu uma oliveira, convencendo os atenienses a escolhê-la. Apesar disso, Poseidon ainda era um deus respeitado pelos atenienses, que faziam questão de celebrar um festival para ele.

Poseidon foi casado com uma ninfa chamada Anfitrite e teve Tritão e Cimopoleia como filhos nascidos de seu casamento. Poseidon, assim como diversos deuses gregos, teve muitos casos (e filhos) fora de seu casamento.

Na religiosidade grega, Poseidon era um deus muito popular em diversas regiões, como Rodes, Pilos, Poseidonia, Atenas, entre outras. Como mencionado, Poseidon era muito admirado entre marinheiros e pescadores, e isso fazia com que ele fosse um deus particularmente popular em cidades litorâneas.

Um festival célebre que prestava homenagem a Poseidon eram os Jogos Ístmicos, realizados na região do Istmo de Corinto. Nesses jogos, realizavam-se corridas de cavalos e de carruagens. Acredita-se que a reverência a Poseidon nesses jogos tem relação com a associação ao comércio marítimo que Poseidon possuía na cidade de Corinto.

Os gregos também ergueram templos em homenagem a Poseidon, assim como estátuas e santuários. Por fim, também existiam oráculos de Poseidon na Grécia.

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

História

Apolo

História

Atena

História

Hades

História

Medusa

Últimos artigos

Ponto e vírgula (;)

O ponto e vírgula é um sinal de pontuação que indica uma pausa mais longa que a pausa da vírgula, mas sem interromper o enunciado, como o ponto.

Alvéolos pulmonares

Alvéolos pulmonares são estruturas que lembram pequenas bolsas e são onde ocorrem as trocas gasosas. São os responsáveis pelo aspecto esponjoso do pulmão.

Cerebelo

Cerebelo é uma parte do encéfalo e está relacionado, entre outras funções, com a manutenção do nosso equilíbrio, postura e ajuste dos movimentos corporais.

Tríplice Aliança

Tríplice Aliança foi um acordo militar assinado, em maio de 1882, por Alemanha, Áustria-Hungria e Itália, que procuravam se proteger de França e Rússia principalmente.