Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Intemperismo

Intemperismo é o processo de fragilização da estrutura física e de desgaste químico das rochas. É um processo que atua na modelagem do relevo e na composição dos solos.

Grand Canyon, nos Estados Unidos, uma paisagem natural formada pelo intemperismo. O intemperismo das rochas acontece naturalmente e pode dar origem a grandes paisagens naturais, como a do Grand Canyon, nos Estados Unidos.

Intemperismo é o processo natural de alteração e desgaste das rochas expostas na superfície terrestre. O intemperismo pode ser físico, químico ou biológico, causado por agentes como a água, os ventos, a amplitude térmica, a vegetação e os micro-organismos.

O resultado do intemperismo é a fragilização da estrutura física ou o desgaste químico das rochas, tornando-as mais suscetíveis à erosão. É por meio do intemperismo que são formados os solos. Esse processo atua ainda na modelagem das diferentes formas de relevo presentes na superfície do planeta Terra.

Leia também: Desertificação — o processo de transformação e de empobrecimento dos solos

Resumo sobre intemperismo

  • Intemperismo é o processo natural de alteração e desgaste das rochas.

  • Atua na modelagem do relevo e na formação dos solos.

  • É classificado de acordo com a natureza dos agentes intempéricos em três tipos: físico (ou mecânico), químico e biológico.

  • Os fatores que influenciam o intemperismo são o clima, a disponibilidade hídrica, o relevo, a natureza da rocha, a vegetação, a fauna e também a ação humana.

  • Erosão não é a mesma coisa que intemperismo. Na erosão, os fragmentos da rocha intemperizada (sedimentos) são transportados do local de origem para áreas mais baixas do relevo, onde são posteriormente depositados.

O que é intemperismo?

Intemperismo é o nome dado ao processo de alteração e desgaste natural das rochas presentes na superfície terrestre. É chamado também de meteorização. Acontece de maneira mais intensa naquelas rochas expostas ao que chamamos de agentes intempéricos, que são todos os fatores de natureza física, química e biológica capazes de alterar a estrutura física e a composição química de um determinado corpo rochoso.

Os processos de intemperismo e aqueles que acontecem em função dele, como a erosão, atuam na modelagem da superfície terrestre, o que resulta na existência de diferentes formas de relevo e nas inúmeras paisagens naturais que conhecemos. Além disso, os solos que recobrem a litosfera são produto direto do intemperismo.

Quais são os tipos de intemperismo?

O intemperismo pode ser classificado de acordo com a preponderância dos agentes intempéricos em três tipos: intemperismo físico, intemperismo químico e intemperismo biológico. Veremos sobre cada um deles a seguir.

Intemperismo físico

Chamado também de intemperismo mecânico, o intemperismo físico é o processo de modificação na estrutura física das rochas que acontece quando os agentes intempéricos causam a sua fragmentação ou quebra. Os principais causadores do intemperismo físico são os ventos, o gelo e degelo da água, o alívio de pressão sobre uma rocha e a variação de temperatura (amplitude térmica). É muito comum em ambientes de clima seco ou desértico.

A ocorrência do intemperismo físico é visível por meio de rachaduras ou fraturas que aparecem na superfície da rocha. Essas fissuras, por facilitarem a penetração de água e de outras substâncias, facilitam ou aceleram a ocorrência, também, do intemperismo químico.

Estrutura rochosa em formato de arco resultante do intemperismo físico causado pelos ventos.

Intemperismo químico

Intemperismo químico é o processo de transformação que acontece na composição química das rochas, o que se dá principalmente pela reação da água entrando em contato com os minerais que formam essas estruturas. Como resultado, há a dissolução total ou parcial da rocha. O intemperismo químico é mais comum em ambientes de clima úmido.

Formas de relevo cárstico resultantes da atuação do intemperismo químico sobre rochas calcárias. [1]

Intemperismo biológico

Intemperismo biológico é o processo de desagregação das rochas resultante da ação de agentes biológicos como plantas, árvores, animais e micro-organismos. Diferentemente dos tipos de intemperismo que vimos anteriormente, o intemperismo biológico não acontece em um ambiente ou clima específico.

Casos de raízes de árvores crescendo sobre e por dentro de rochas, causando fraturas, são exemplos de intemperismo biológico.

Quais são os fatores que influenciam o intemperismo?

O processo de intemperismo é influenciado por fatores atmosféricos, ambientais, geológicos e geomorfológicos.

  • Clima local e presença de água: o tipo de clima que caracteriza uma área está diretamente relacionado ao teor de umidade presente na atmosfera, às temperaturas predominantes, à amplitude térmica diária e anual, ao volume de precipitação (chuva e neve) e à incidência ou não de ventos. Dessa forma, o clima influencia no tipo de intemperismo que acontece e na intensidade com que esse fenômeno se desenvolve em determinada região. Nas regiões onde ocorre uma estação do ano muito fria, por exemplo, a água que percola pelas fraturas das rochas tende a congelar quando as temperaturas atingem patamares muito baixos, exercendo pressão sobre a área onde ocorre esse congelamento. Na alternância de estações, com o aumento da temperatura, o derretimento da água alivia a pressão e pode, nesse processo, ocasionar novas fraturas e até mesmo fragmentar o bloco rochoso em que estava. Já em áreas muito quentes e secas, com significativa amplitude térmica diária, a tendência é de que o intemperismo seja ocasionado por dilatação térmica das rochas.

  • Natureza da rocha: o conjunto de minerais que constituem a rocha, bem como as suas propriedades gerais, interfere diretamente na maneira como os agentes intempéricos atuarão sobre esse corpo. Em rochas calcárias, por exemplo, é bastante comum a ocorrência da dissolução por ação da água, gerando o que conhecemos como relevo cárstico. Quando em subsuperfície, a incidência desse tipo de intemperismo químico gera as cavernas, estalactites e estalagmites, e na superfície dá origem às dolinas, pelo afundamento da área.

  • Relevo: as formas de relevo e a declividade dos terrenos afetam a maneira como os agentes intempéricos atuam, em especial a água.

  • Exposição da rocha: as rochas expostas na superfície terrestre, que não estão protegidas por uma camada de solo e pela cobertura vegetal, estão mais suscetíveis ao intemperismo. Assim, ao mesmo tempo que a vegetação pode provocar o intemperismo biológico, como vimos, ela é responsável por proteger o substrato de agentes como a precipitação e a variação brusca de temperatura.

  • Presença de animais, vegetais e de seres humanos: a presença de diferentes formas de vida pode provocar o intemperismo biológico ou mesmo acelerar os demais processos de intemperismo por meio de ações como a remoção da cobertura vegetal, no caso da atuação humana sobre as paisagens naturais.

Intemperismo x erosão

Exemplo de erosão na encosta de um morro, em que os sedimentos foram transportados para a parte mais baixa do relevo.

O intemperismo e a erosão são processos correlacionados, mas não devem ser tratados como o mesmo fenômeno.

  • Intemperismo diz respeito somente ao desgaste e fragmentação das rochas, o que as torna mais frágeis e mais vulneráveis ao processo de erosão.

  • Erosão compreende a desintegração das rochas e formação de sedimentos, o transporte desses sedimentos de uma área para outra e a sua deposição, que acontece nas porções mais baixas do terreno.

Diante disso, podemos dizer que quando a erosão acontece é porque antes houve a atuação dos agentes intempéricos naquela rocha ou substrato.

Saiba mais: Quais são os tipos de erosão?

Exercícios resolvidos sobre intemperismo

Questão 1

O intemperismo é um processo natural que faz parte do ciclo das rochas. A ação dos agentes intempéricos, como a água, os ventos e os micro-organismos, ocasiona a fragilização e o desgaste das estruturas rochosas, tornando-as mais vulneráveis à erosão. São muitos os fatores que exercem influência nesse processo, dentre os quais podemos destacar o(s)/a(s):

A) tectônica de placas

B) altitude

C) pressão atmosférica

D) clima

E) correntes marítimas

Resolução:

Alternativa D.

O clima influencia diretamente no tipo de intemperismo e na velocidade de atuação dos agentes intempéricos. Climas úmidos tendem a proporcionar o desenvolvimento do intemperismo químico, enquanto nos climas mais secos, principalmente nos climas quentes, é o intemperismo físico que acontece de forma mais intensa.

Questão 2

(Enem) De acordo com as figuras, a intensidade de intemperismo de grau muito fraco é característica de qual tipo climático?

A) Tropical.

B) Litorâneo.

C) Equatorial.

D) Semiárido.

E) Subtropical.

Resolução:

Alternativa D.

O gráfico indica que o intemperismo muito baixo (número 1) é aquele que ocorre em áreas com baixo volume de chuvas e altas temperaturas. A região onde essa situação está indicada no mapa fica na região Nordeste do Brasil, em uma área de predomínio do clima semiárido.

Crédito de imagem

[1] suronin / Shutterstock

Por Paloma Guitarrara

Você pode se interessar também

Geografia

Agentes de transformação do Relevo

Geografia

Erosão

Geografia

Lixiviação

Geografia

Minerais

Últimos artigos

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.

Ciclo do Café

O ciclo do café foi o ciclo econômico em que o café predominou na economia brasileira. Iniciou em meados do século XIX, estendendo-se até metade do século XX.