Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Aranha-marrom

A aranha-marrom é uma aranha pequena que apresenta um padrão em formato de violino no cefalotórax. É pouco agressiva e produz teias irregulares.

Aranha-marrom em uma superfície de madeira. Existem 134 espécies de aranha-marrom em todo o mundo.

Aranha-marrom é o nome popular de aranhas pertencentes ao gênero Loxosceles. Essas aranhas ocorrem em todo o mundo, inclusive no Brasil, onde podem ser observadas 18 espécies. As aranhas-marrons são de grande importância para a saúde pública, uma vez que provocam acidentes que podem resultar em necrose na pele e em manifestações sistêmicas.

São aranhas pequenas, de tonalidade marrom e que produzem teias irregulares que se parecem com fios de algodão. São mais ativas à noite e consideradas pouco agressivas. Os acidentes acontecem, geralmente, quando a aranha é pressionada contra o corpo da vítima, ao, por exemplo, vestir uma roupa onde a aranha está escondida.

Leia também: O que são animais peçonhentos?

Resumo sobre aranha-marrom

  • Aranha-marrom é um nome popular usado para diferentes espécies de aranhas do gênero Loxosceles.

  • São aranhas que apresentam corpo pequeno, marrom, um padrão de violino no cefalotórax e seis olhos.

  • Não se trata de aranhas agressivas.

  • São atraídas pelo escuro, podendo ser encontradas escondidas em móveis e sapatos.

  • A picada da aranha-marrom é bastante perigosa.

  • O envenenamento por essa aranha é conhecido como loxoscelismo e pode se manifestar no loxoscelismo cutâneo e no loxoscelismo cutâneo-visceral.

  • No Brasil, as espécies de aranha-marrom que mais provocam acidentes são: Loxosceles gaucho, Loxosceles intermedia e Loxosceles laeta.

Características da aranha-marrom

Aranha-marrom é o nome comum usado para se referir a diferentes espécies de aranhas pertencentes ao gênero Loxosceles. De acordo com o Instituto Butantan, foram catalogadas, até agora, 134 espécies de aranhas-marrons em todo o mundo. O Brasil, ainda de acordo com o instituto, possui oficialmente 18 espécies em seu território.

Essas aranhas apresentam corpo com coloração marrom, a qual varia em tonalidades, indo desde a mais escura até mais claras. Possuem, assim como outras aranhas, corpo dividido em cefalotórax e abdome, e apresentam em seu cefalotórax um padrão em formato de violino. Esse padrão, no entanto, nem sempre pode ser visto, devido à tonalidade que algumas aranhas adquirem.

As aranhas-marrons são aranhas pequenas, medindo cerca de 2 a 3 cm. As aranhas machos são menores que as fêmeas. Outra característica marcante desses animais é a presença de seis olhos, os quais estão distribuídos em três pares.

Essas aranhas são atraídas por áreas escuras e secas, o que facilita, por exemplo, que elas construam suas teias em locais como atrás de móveis e no interior de armários. As teias dessas aranhas destacam-se por serem irregulares, lembrando fios de algodão. Esses animais são mais ativos durante a noite.

Apesar de as aranhas-marrons serem responsáveis por vários acidentes, elas não são consideradas agressivas. Os acidentes com esses animais ocorrem, geralmente, quando calçamos um sapato e a aranha está em seu interior ou quando a aranha é pressionada contra o corpo por roupas ou cobertores/lençóis.

Veja também: Aranha-armadeira — outra espécie de aranha que tem um veneno muito perigoso

Onde as aranhas-marrons vivem?

As aranhas-marrons são encontradas em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. Podem ser observadas debaixo de cascas e no interior de buracos de árvores, sob rochas, em cavernas, em fendas naturais de barrancos e em bambuzais.

Não podemos deixar de citar que essas aranhas possuem uma grande capacidade de colonizar áreas urbanas, sendo observadas, desse modo, no interior de casas, onde se escondem atrás de móveis, portas, quadros, frestas de paredes e embaixo de entulhos.

A picada da aranha-marrom é perigosa?

A aranha-marrom apresenta um veneno poderoso que pode até mesmo matar.

A picada da aranha-marrom é bastante perigosa, entretanto de pouca importância para a maioria das pessoas. Isso se deve ao fato de que a dor da picada é de pequena intensidade, o que faz com muitos pensem que ela não causará grandes problemas.

A aranha-marrom produz um veneno que apresenta a capacidade de provocar necrose na pele e até mesmo levar o indivíduo à morte. O envenenamento por essa aranha é conhecido como loxoscelismo e pode se manifestar no loxoscelismo cutâneo e no loxoscelismo cutâneo-visceral.

A forma cutânea de envenenamento pela picada da aranha-marrom é a mais comum, sendo os sintomas, em geral, localizados, tais como vermelhidão, queimação e inchaço. É possível que surjam bolhas no local, que podem evoluir para necrose, a qual dará origem a uma úlcera de difícil cicatrização.

A forma cutâneo-visceral destaca-se por ser mais grave e também mais rara. Ela pode ser responsável por provocar anemia, icterícia e até mesmo insuficiência renal aguda. O indivíduo pode ter também dores musculares, convulsões, febre e mudanças sensoriais.

No Brasil, as espécies de aranha-marrom que mais provocam acidentes são: Loxosceles gaucho, Loxosceles intermedia e Loxosceles laeta.

Saiba mais: Escorpiões peçonhentos — animais que podem causar sérios acidentes

O que fazer em casos de acidente com aranha-marrom?

O tratamento do envenenamento por aranha-marrom envolve repouso e uso de analgésicos. A realização de compressas frias no local da picada pode ajudar no alívio da dor. Além disso, recomenda-se a hidratação para evitar danos renais e uso de antibióticos em casos de infecções secundárias. Quando se desenvolve anemia, pode ser necessária a realização de transfusão sanguínea. O uso de soro antiloxoscélico é recomendado em casos graves e moderados. 

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Animais peçonhentos

Ciências

Aracnídeos

Ciências

Aranha-armadeira

Ciências

Aranha-caranguejeira

Últimos artigos

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.

Ciclo do Café

O ciclo do café foi o ciclo econômico em que o café predominou na economia brasileira. Iniciou em meados do século XIX, estendendo-se até metade do século XX.