Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Cartografia

A cartografia é uma área do conhecimento importante para o mapeamento da superfície terrestre e para a espacialização dos aspectos socioeconômicos e naturais do planeta.

Lupa e bússola sobre dois mapas-múndi. A cartografia é uma área do conhecimento geográfico que estuda as diferentes técnicas de representação da superfície terrestre.

Cartografia é uma área do conhecimento geográfico que se dedica ao estudo das diferentes técnicas de representação gráfica da Terra em uma superfície reduzida, além de ser responsável pela produção de mapas, cartas, globos terrestres, imagens de satélite e outros recursos. Trata-se de uma ciência muito importante para o maior conhecimento da superfície terrestre, já que suas técnicas permitem a espacialização de todo tipo de informações (populacional, econômica, cultural, natural, climática e outras), e para a nossa localização e deslocamentos no espaço.

Leia também: Quais são os principais instrumentos de localização?

Resumo sobre cartografia

  • Cartografia é uma área do conhecimento que estuda as diferentes técnicas de representação da superfície terrestre.

  • É responsável pela análise e confecção de mapas, cartas, croquis, planisférios e globos terrestres.

  • Suas funções são a representação da superfície terrestre, ou de uma parte dela, em uma superfície reduzida, além de auxiliar na caracterização e no estudo do planeta Terra.

  • Serve, ainda, para a localização e navegação, além das diversas possibilidades de aplicação prática como no planejamento, na gestão dos territórios e na condução de estudos de área.

  • Divide-se em cartografia temática e cartografia sistemática.

  • Alguns conceitos importantes da cartografia são: mapa, projeção cartográfica, escala cartográfica e coordenadas geográficas.

  • O mapeamento de áreas e as técnicas de localização no espaço surgiram há milhares de anos, e se aperfeiçoaram à medida que as tecnologias da comunicação se modernizaram.

  • A cartografia contemporânea é caracterizada pelas técnicas de Sensoriamento Remoto e pelos Sistemas de Informação Geográfica (SIGs).

O que é cartografia?

A cartografia é uma ciência que estuda diferentes métodos e técnicas de representação gráfica do espaço geográfico. Trata-se da área do conhecimento responsável pela análise e confecção de diferentes produtos cartográficos que representam toda ou parte da superfície terrestre, bem como suas diferentes características físicas ou socioeconômicas, em uma outra superfície, de área reduzida, com o maior grau de precisão possível. Os principais produtos cartográficos são os seguintes:

  • mapas;

  • plantas;

  • croquis;

  • globos terrestres.

Com a modernização das tecnologias da informação e da comunicação, a cartografia passou por um importante processo de aprimoramento que levou à incorporação de novos elementos e técnicas no escopo dessa área do conhecimento, como a aerofotogrametria, que evoluiu para as imagens de satélite.

Qual a função da cartografia?

A cartografia é uma área do conhecimento multifuncional, o que significa que ela serve a diversos propósitos e apresenta mais de uma função. A principal delas é, de fato, a representação do planeta Terra, ou de determinados trechos dele, em uma superfície reduzida como uma folha de papel ou a tela de um aparelho GPS.

Outra importante função da cartografia é a espacialização dos aspectos físicos, populacionais e socioeconômicos dos diferentes territórios, países e regiões do nosso planeta, ajudando-nos a conhecer em detalhes a superfície terrestre.

As funções da ciência cartográfica, no entanto, não se restringem apenas às citadas anteriormente. A partir das técnicas elaboradas no âmbito da cartografia é possível colocar em prática as suas demais funcionalidades, que são:

  • localização precisa de pessoas, objetos e pontos na superfície terrestre;

  • orientação no espaço e deslocamentos sobre a superfície do planeta de um ponto a outro;

  • análise e compreensão das estruturas e características físicas do planeta Terra mediante a sua representação cartográfica ou por meio das imagens de satélite.

Quais são os tipos de cartografia?

A cartografia se divide em duas grandes áreas:

Cartografia temática

Mapas com temas específicos, como a distribuição de climas no mundo, são exemplos de produtos da cartografia temática.

Cartografia temática é a área da cartografia dedicada à produção de mapas e cartas a partir de informações geográficas de todos os tipos, não se restringindo às características físicas da superfície terrestre. Na cartografia temática todos os fenômenos que acontecem no planeta Terra e todos os aspectos do espaço geográfico, sejam eles sociais, populacionais, econômicos, políticos ou ambientais, podem ser espacializados e apresentados na forma de um mapa ou de outro produto cartográfico.

Os mapas de densidade populacional, mapas mostrando a principal atividade produtiva de um local e os mapas indicando os diferentes tipos de vegetação presentes em uma área são apenas alguns dos inúmeros exemplos de produtos da cartografia temática.

Cartografia sistemática

As cartas topográficas são exemplos de produtos da cartografia sistemática.

Cartografia sistemática é a área da cartografia que se ocupa da confecção de mapas e outros produtos cartográficos dos aspectos físicos da superfície terrestre, fornecendo informações básicas para a realização de estudos de área, análises e levantamentos de dados. Em função da natureza das informações representadas pela cartografia sistemática, os seus produtos têm elevada durabilidade, o que significa que os dados não se alteram rapidamente e podem ser consultados por muitos anos. São exemplos de produtos da cartografia sistemática as cartas topográficas e as plantas altimétricas.

Conceitos importantes de cartografia

A cartografia, da mesma forma como outras áreas do conhecimento, se apoia em conceitos que são fundamentais para a sua compreensão e, principalmente, para a sua aplicação prática. São esses conceitos:

  • Mapa: representação gráfica, em escala reduzida, de toda a superfície terrestre ou de parte dela sobre uma outra superfície plana.

  • Escala cartográfica: expressa a razão entre as dimensões de uma superfície na realidade e as dimensões da sua representação no mapa, indicando quantas vezes uma área foi reduzida para que pudesse ser representada no plano.

  • Paralelos e meridianos: linhas imaginárias traçadas sobre a superfície terrestre que são utilizadas para a determinação das coordenadas geográficas e para funções diversas como a demarcação das zonas climáticas do planeta e a identificação dos fusos horários.

  • Projeção cartográfica: sistemas de representação da superfície da Terra em um plano baseada no reticulado composto pelos paralelos e meridianos. Elas são classificadas de acordo com a superfície utilizada (plana, cônica ou cilíndrica) e de acordo com as suas propriedades (equidistante, conforme e equivalente).

  • Coordenadas geográficas: conjunto de dois valores, um de latitude e um de longitude, que indicam a localização precisa de uma pessoa ou de um ponto na superfície terrestre. Cada uma das coordenadas é expressa em graus, minutos e segundos.

Importância da cartografia

Pessoas manuseando um mapa, um dos objetos produzidos a partir da cartografia.
Compreender o básico de cartografia é fundamental para nos localizarmos e nos deslocarmos sobre a superfície terrestre.

A cartografia e as técnicas desenvolvidas pela ciência cartográfica permitem a espacialização de informações básicas sobre a superfície terrestre, bem como sobre os fenômenos que nela se desenvolvem, motivo pelo qual essa área do conhecimento é tão importante. Ela nos permite conhecer em detalhes o planeta, as suas diferentes regiões e, principalmente, o local onde vivemos. Por meio da cartografia é possível se localizar com precisão e andar de um ponto A a um ponto B sem se perder, além de calcular a distância e o tempo com o apoio de um mapa, uma carta ou mesmo de um GPS.

Os produtos cartográficos e os instrumentos técnicos criados com o objetivo de se analisar os aspectos do terreno são importantes, também, para auxiliar na gestão dos territórios e no planejamento de ações voltadas para o aperfeiçoamento de infraestrutura, para alterações no ordenamento espacial de uma região ou, ainda, para o monitoramento de áreas e de fenômenos que acontecem nessas localidades, desde chuvas até o trânsito urbano.

Veja também: Como fazer a leitura dos mapas?

História da cartografia

Conhecer a nossa própria localização no espaço geográfico sempre foi uma curiosidade dos seres humanos, desde os povos mais antigos que se guiavam pelos astros nos céus. Por essa razão, um dos mapas mais antigos de que se tem conhecimento data de milhares de anos antes da era atual, conhecido como Ga-Sur. Esse mapa foi encontrado na região onde se localizava a Mesopotâmia, próximo ao atual Iraque. Muitas outras representações cartográficas da superfície terrestre foram encontradas desde então, a maioria delas originárias do continente asiático.

Mapa de Ga-Sur, um dos mapas mais antigos do mundo.
Mapa de Ga-Sur, um dos mapas mais antigos do mundo.

As técnicas matemáticas de representação de áreas e do cálculo de distâncias foi aperfeiçoada com o passar do tempo, e, nesse contexto, os gregos antigos foram fundamentais na estruturação de uma ciência cartográfica. Um dos principais nomes é o de Claudio Ptolomeu (90-186 d.C.), que criou uma extensa obra sobre o conhecimento geográfico e dedicou-se a temas como projeções cartográficas. Além disso, Ptolomeu produziu um dos primeiros mapas do mundo, conhecido como Globo de Ptolomeu.

Mapa-múndi produzido por Ptolomeu, uma das primeiras projeções cônicas do mundo.

Ainda na Grécia Antiga, cabe mencionar que Erastótenes (275-194 a.C.) foi o primeiro a calcular, com precisão, a medida da circunferência do planeta Terra.

A cartografia e as técnicas de navegação e de localização evoluíram muito a partir do século XVI, quando as Grandes Navegações colocaram em prática o uso de instrumentos gráficos e práticos como a rosa-dos-ventos, a bússola e, de fato, as cartas de navegação e os mapas. Nesse mesmo período, em 1570, surgiu o primeiro atlas mundial. Confeccionado por Ortelius (1527-1598), o mapa ficou conhecido como Theatrum Orbis Terrarum.

Theatrum Orbis Terrarum, primeiro atlas mundial, em exposição em um museu na cidade de Amsterdã, nos Países Baixos. [1]

Cartografia contemporânea

A evolução tecnológica dos meios de comunicação, especialmente na segunda metade do século XX, proporcionou a modernização das técnicas empregadas pela cartografia para o mapeamento do espaço e para a orientação na superfície terrestre. O advento da aerofotogrametria, que posteriormente evoluiu para o Sensoriamento Remoto, foi a principal inovação introduzida no período entreguerras e incrementada durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) com o auxílio dos radares.

As imagens de satélite e as técnicas de Sensoriamento Remoto promoveram uma verdadeira revolução na cartografia.

Nesse sentido, a cartografia contemporânea é marcada pelo advento do Sensoriamento Remoto e dos Sistemas de Informação Geográfica (SIGs), tendo como uma de suas técnicas mais utilizadas o geoprocessamento. Esses métodos e sistemas fazem uso de dados e imagens de satélite para a realização do levantamento de informações e do mapeamento de parte da superfície terrestre. O processamento, ou tratamento, desses dados é feito com o auxílio de equipamentos e de softwares.

Exercícios resolvidos sobre cartografia

Questão 1

(Enem)

Disponível em: http://imguol.com. Acesso em: 30 mar. 2014 (adaptado).

Considerando-se que a distância entre o local onde os destroços do avião foram avistados e a cidade de Perth é de 2 cm, a escala aproximada dessa representação cartográfica é:

A) 1 : 12 500.

B) 1 : 125 000.

C) 1 : 1 250 000.

D) 1 : 12 500 000.

E) 1 : 125 000 000.

Resolução:

Alternativa E.

A escala (E) é a relação entre as distâncias no mapa (d) e as distâncias na superfície real (D). Nesse caso:

d = 2 cm

D = 2.500 km = 250.000.000 cm.

Assim sendo, temos que aplicar a fórmula para o cálculo da escala:

E = d/D

E = 2/250.000.000

Fazendo a divisão do numerador e do denominador por 2, temos que:

E = 1/125.000.000

Ou seja, a escala do mapa é de 1 : 125.000.000.

Questão 2

(Enem)

Afirmar que a cartografia da época moderna integrou o processo de invenção da América por parte dos europeus significa que os conhecimentos dos ameríndios sobre o território foram ignorados pela cartografia europeia ou que eles foram privados de sua representação territorial e da autoridade que seus conhecimentos tinham sobre o espaço.

OLIVEIRA, T. K. Desconstruindo mapas, revelando espacializações: reflexões sobre o uso da cartografia em estudos sobre o Brasil colonial. Revista Brasileira de História, n. 68. 2014. (adaptado.)

Na análise contida no texto, a representação cartográfica da América foi marcada por

A) asserção da cultura dos nativos.

B) avanço dos estudos do ambiente.

C) afirmação das formas de dominação.

D) exatidão da demarcação das regiões.

E) aprimoramento do conceito de fronteira.

Resolução:

Alternativa C.

As técnicas cartográficas são, também, um instrumento geopolítico que pode ser utilizado para a demonstração de poder. Assim, na análise contida no texto, a representação foi marcada pela afirmação das formas de dominação dos colonizadores, que acreditavam ser detentores de todas as técnicas necessárias para a confecção de mapas — ignorando, assim, o conhecimento prático da população local que vive naquele território.

Crédito de imagem

[1] C messier / Wikimedia Commons (reprodução)

Fontes

ARAÚJO, Paulo César de. CARVALHO, Edilson Alves de. História da Cartografia. In: CARVALHO, Edilson Alves de. Leituras cartográficas e interpretações estatísticas I. Natal: EDUFRN, 2008.

DUARTE, Paulo Araújo. Fundamentos de Cartografia. Florianópolis: EDUSC, 2006.

FITZ, Paulo Roberto. Cartografia básica. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 143p.

IBGE. Atlas escolar: Conceitos gerais. IBGE, c2023. Disponível em: https://atlasescolar.ibge.gov.br/conceitos-gerais.html.

OLIVEIRA, Cêurio de. Dicionário cartográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 1993. 4ª edição. 646p. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv66318.pdf.

ROCHA, A. G. B.; ROCHA, R. B. A Cartografia ao longo da história da humanidade: importância e avanços técnicos. Ensino em Perspectivas, [S. l.], v. 2, n. 2, p. 1–17, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/4995.

Por Paloma Guitarrara

Você pode se interessar também

Geografia

Atlas geográfico

Geografia

Coordenadas Geográficas

Geografia

Fusos horários

Geografia

Fusos horários do Brasil

Últimos artigos

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.