Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Funções da linguagem

As funções da linguagem estão relacionadas ao objetivo de um texto, que pode apresentar uma ou mais funções. Assim, você pode ser o(a) emissor(a) de um texto que exibe emoções e, portanto, tem função emotiva ou expressiva, ou que valoriza os elementos poéticos e apresenta, então, função poética. Mas, talvez, o objetivo do texto é informar você sobre alguma coisa, por meio de uma mensagem clara e objetiva, pois tem função referencial ou denotativa.

Mas se você pretende apenas manter o canal de comunicação ativo, vai ser o(a) emissor(a) de um texto com função fática ou de contato. E se quer colocar em evidência a linguagem utilizada, seu texto vai ter função metalinguística. Porém, fique atento(a) quando alguém quiser te convencer a fazer alguma coisa, pois o emissor do texto está usando a função conativa ou apelativa.

Leia também: O que são as figuras de linguagem?

Função emotiva ou expressiva

Há textos que têm a função de emocionar o ouvinte ou leitor.

Para você identificar esse tipo de função em um texto, é preciso observar se esse texto apresenta emoções ou atitudes do emissor da mensagem, isto é, da pessoa que fala ou escreve.

Observe esta frase e imagine que tenha sido falada por Bruno:

Eu fiquei muito feliz quando ganhei aquela bola.

Bruno é quem está falando, porque ele usa o pronome pessoal “Eu”. Além disso, quando ele diz que ficou muito feliz, o Bruno, ou seja, o emissor da frase, está expressando sua emoção por ganhar uma bola. Então, podemos afirmar, com certeza, que esse texto possui função emotiva ou expressiva.

Função poética

Se você encontrar um texto com características de poesia, ele tem função poética. Se um texto possuir sentido figurado ou recursos sonoros, como rima, assonância (repetição de vogais) ou aliteração (repetição de consoantes), ele é um texto poético.

Leia, a seguir, o poema A casa, do escritor brasileiro Vinicius de Moraes:

Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada
Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão
Ninguém podia
Dormir na rede
Porque a casa
Não tinha parede
Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali
Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Número Zero.

O poema possui rimas. Assim, “engraçada” rima com “nada” e “rede” com “parede”, por exemplo. Além disso, o texto apresenta sentido figurado. Afinal, a casa é casa mesmo? Parece que não, já que não tem teto, nem chão, nem parede.

Veja também: Quais as diferenças entre poesia, poema e soneto?

Função referencial ou denotativa

O sentido denotativo é o contrário do sentido figurado. No sentido figurado, a palavra “coração” pode significar amor, por exemplo. Mas no sentido denotativo, coração é um órgão. Portanto, textos que apresentam esse tipo de sentido possuem função referencial ou denotativa.

Veja este trecho do texto “Por que a maioria das folhas é verde”?:

Nas folhas dos vegetais existem células com pequenas estruturas que são chamadas de cloroplastos. No interior dessas estruturas encontramos um pigmento chamado clorofila. Essa substância é capaz de absorver os comprimentos de onda azul, violeta e vermelho, bem como refletir a luz verde, dando à planta essa coloração.

Você deve ter percebido que não existe sentido figurado nesse fragmento de texto. Isso acontece porque é um texto que pretende informar sobre algo, então, ele precisa ser claro. Assim, as palavras estão todas em sentido denotativo, não possuem outro sentido além do seu significado original.

Função fática ou de contato

Nem sempre sabemos sobre o que falar.
Nem sempre sabemos sobre o que falar.

Textos que possuem a função fática ou de contato apresentam mensagens que só são expressas para manter o canal de comunicação ativo. São textos que só servem para não deixar a conversa acabar.

Leia este diálogo entre um menino e uma menina que só se conhecem de vista:

— Oi!

— Ei!

— Tá legal?

— Legal!

— Bom!

— É!

Como você percebeu, os dois estão apenas dizendo coisas para manterem uma comunicação. Talvez, a partir daí, algum deles fale alguma coisa que realmente possa levar a um bom bate-papo. Do contrário, a conversa entre eles logo vai ser interrompida.

Função metalinguística

A função metalinguística está centrada na própria linguagem, isto é, no código utilizado para expressar a mensagem. Por exemplo, uma poesia que fala de poesia, uma pintura que mostra alguém pintando ou mesmo um filme cuja temática principal é o cinema.

Veja a letra de música intitulada Não identificado, de Caetano Veloso:

Eu vou fazer uma canção pra ela
Uma canção singela, brasileira
Para lançar depois do carnaval
[...]

Eu vou fazer uma canção de amor
Para gravar num disco voador

Não identificado é uma canção que fala sobre uma canção.

Função conativa ou apelativa

Textos que apresentam essa função têm o objetivo de convencer ou instruir você a fazer alguma coisa. Normalmente, eles usam imperativos. Isso pode ser visto, por exemplo, em uma mensagem publicitária que usa certas palavras para nos convencer a comprar algum produto.

Outro exemplo é um bilhete:

Lucas, dá comida pro cachorro antes de ir pra escola.

Nesse bilhete, o pai de Lucas pede ao filho para dar comida ao cachorro. Para isso, ele usa o verbo “dar”, no imperativo, de forma a convencer ou instruir o filho a realizar a ação solicitada.

Leia também: Quais as diferenças entre e textos prescritivos e injuntivos?

Funções da linguagem e a comunicação

Há várias formas de comunicação, mas todas apresentam os mesmos elementos.

Depois de ler sobre cada uma das funções da linguagem, você notou que toda mensagem tem um objetivo específico:

  • expressar uma emoção,
  • valorizar a linguagem poética,
  • dizer algo de forma clara e objetiva,
  • manter o canal de comunicação em atividade,
  • falar sobre a própria linguagem ou
  • convencer alguém.

Assim, a eficiência da comunicação depende de vários elementos:

  • Mensagem: aquilo que é dito, escrito ou expresso.
  • Emissor: o autor da mensagem.
  • Receptor: quem recebe a mensagem.
  • Canal: meio de transmissão da mensagem.
  • Código: linguagem utilizada na mensagem.
  • Contexto: situação em que é produzida a mensagem.

Portanto, vamos ler de novo este bilhete:

Lucas, dá comida pro cachorro antes de ir pra escola.

Agora vamos apontar, nesse texto, cada um dos elementos da comunicação:

  • Mensagem: “Lucas, dá comida pro cachorro antes de ir pra escola”.
  • Emissor: pai de Lucas.
  • Receptor: Lucas.
  • Canal: pedaço de papel.
  • Código: linguagem coloquial.
  • Contexto: familiar e informal.

Porém, para a comunicação ser, de fato, eficiente, a mensagem precisa ter um objetivo, que é, justamente, a função da linguagem. Mas atenção! Uma função não exclui a outra. Isso quer dizer que um mesmo texto pode apresentar mais de uma função da linguagem.

Resumo sobre as funções da linguagem

  • Função emotiva ou expressiva: exibir emoções ou atitudes do emissor da mensagem.
  • Função poética: expor e valorizar os elementos poéticos.
  • Função referencial ou denotativa: apresentar mensagem objetiva.
  • Função fática ou de contato: manter o canal de comunicação ativo.
  • Função metalinguística: colocar em evidência a própria linguagem utilizada.
  • Função conativa ou apelativa: convencer ou instruir o receptor da mensagem.
  • Elementos da comunicação:

- Mensagem.

- Emissor.

- Receptor.

- Canal.

- Código.

- Contexto.

Exercícios resolvidos

Questão 1 – (ENEM)

A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações.

DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Predomina no texto a função da linguagem

A) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.

B) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.

C) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem.

D) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.

E) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.

Resolução

Alternativa E. Por ser informativo, o texto deve ser claro e objetivo. Portanto, sobressai a função referencial, pois seu sentido é denotativo, não há sentido figurado nesse texto.

Questão 2 – (ENEM) 

Pequeno concerto que virou canção

Não, não há por que mentir ou esconder
A dor que foi maior do que é capaz meu coração
Não, nem há por que seguir cantando só para explicar
Não vai nunca entender de amor quem nunca soube amar
Ah, eu vou voltar pra mim
Seguir sozinho assim
Até me consumir ou consumir toda essa dor
Até sentir de novo o coração capaz de amor

VANDRÉ, G. Disponível em: http://www.letras.terra.com.br. Acesso em: 29 jun. 2011.

Na canção de Geraldo Vandré, tem-se a manifestação da função poética da linguagem, que é percebida na elaboração artística e criativa da mensagem, por meio de combinações sonoras e rítmicas. Pela análise do texto, entretanto, percebe-se, também, a presença marcante da função emotiva ou expressiva, por meio da qual o emissor

A) imprime à canção as marcas de sua atitude pessoal, seus sentimentos.

B) transmite informações objetivas sobre o tema de que trata a canção.

C) busca persuadir o receptor da canção a adotar um certo comportamento.

D) procura explicar a própria linguagem que utiliza para construir a canção.

E) objetiva verificar ou fortalecer a eficiência da mensagem veiculada.

Resolução

Alternativa A. É possível identificar, na canção, marcas da atitude pessoal e dos sentimentos do emissor, o que caracteriza a função emotiva ou expressiva. Essas marcas estão evidenciadas nos versos: “A dor que foi maior do que é capaz meu coração”, “Ah, eu vou voltar pra mim”, “Seguir sozinho assim”, “Até me consumir ou consumir toda essa dor”, “Até sentir de novo o coração capaz de amor”.

Por Warley Souza

Você pode se interessar também

Português

Anúncio publicitário

Português

Conhecendo os principais elementos da comunicação

Português

Divisões da gramática

Português

Figuras de linguagem

Últimos artigos

Epiglote

Epiglote é uma estrutura cartilaginosa que atua como uma válvula. Essa válvula se fecha durante o ato de engolir, impedindo que o alimento entre na via respiratória.

Héstia

Héstia era uma divindade presente nos mitos gregos, considerada a personificação da lareira. Era a deusa do lar, da hospitalidade e da vida doméstica.

Papiro

Papiro é uma planta aquática que era encontrada ao longo do rio Nilo e utilizada para a fabricação de uma superfície para registro de textos.

Hades

Hades era um dos deuses mais tradicionais de toda a mitologia grega, conhecido como senhor do submundo, local para onde iam as almas dos mortos para os gregos.