Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Crustáceos

Crustáceos são animais invertebrados do grupo dos artrópodes. São os únicos representantes desse grupo que apresentam dois pares de antenas. Alguns possuem carapaça.

Caranguejo, um animal crustáceo, andando na areia. Crustáceos são animais invertebrados do grupo dos artrópodes. Alguns crustáceos fazem parte da nossa alimentação.

  Crustáceos são invertebrados pertencentes ao grupo dos artrópodes, sendo alguns representantes muito conhecidos pelos humanos por fazerem parte da nossa dieta, tais como lagostas, camarões e caranguejos. A maioria dos representantes é marinha, entretanto podemos encontrar crustáceos também em água doce e ambiente terrestre.

Uma característica marcante do grupo é a presença de dois pares de antenas. Além disso, em muitas espécies, o exoesqueleto é calcificado. Alguns representantes possuem corpo dividido em cefalotórax e abdômen, enquanto outros possuem cabeça, tórax e abdômen. Os crustáceos destacam-se por ocuparem diferentes níveis tróficos, sendo importantes para as cadeias alimentares dos ecossistemas em que vivem.

Leia também: Quais são os animais aracnídeos?

Resumo sobre crustáceos

  • Crustáceos são invertebrados do grupo dos artrópodes.

  • O corpo é dividido em cefalotórax e abdômen em algumas espécies e cabeça, tórax e abdômen em outras.

  • Crustáceos possuem dois pares de antenas.

  • Em algumas espécies, o exoesqueleto é endurecido com carbonato de cálcio.

  • Possuem hábitos alimentares diversos, sendo possível observar espécies herbívoras, carnívoras, detritívoras e filtradoras.

  • A maioria dos crustáceos apresenta sexos separados, porém há espécies hermafroditas.

  • Muitas espécies apresentam mais de um estágio larval.

O que são crustáceos?

Crustáceos são animais invertebrados que fazem parte do grupo dos artrópodes, assim como insetos, aracnídeos, diplópodes e quilópodes. Desse modo, apesar de muito diferentes, os crustáceos compartilham com esses outros animais o fato de apresentarem pernas articuladas e corpo revestido por um exoesqueleto quitinoso.

Quais são as características dos crustáceos?

Algumas espécies de crustáceos têm o esqueleto quitinoso enriquecido com carbonato de cálcio, formando uma verdadeira armadura, a qual é chamada de carapaça. Esse exoesqueleto endurecido pode ser observado, por exemplo, em lagostas, lagostins, camarões e caranguejos.

Os crustáceos destacam-se ainda por apresentar um corpo dividido em cefalotórax e abdômen ou em cabeça, tórax e abdômen a depender da espécie estudada. As pernas locomotoras ocorrem no tórax, e, diferentemente dos insetos, observa-se a presença de apêndices também na região do abdômen.

Na região da cabeça é possível observar a presença de dois pares de antenas, uma característica que não existe em nenhum outro artrópode. Na maioria das espécies são encontrados dois olhos compostos e, geralmente, pedunculados, ou seja, localizados na extremidade de uma haste. Para obtenção dos alimentos, os crustáceos contam com um par de mandíbulas e apêndices acessórios.

A lagosta possui um exoesqueleto enriquecido com carbonato de cálcio que é chamado de carapaça.

Os crustáceos possuem sistema digestório completo, e o trato digestório é quase sempre reto. O sistema circulatório é aberto, e em relação às trocas gasosas, as brânquias são os órgãos encontrados em grande parte desses animais. Nos crustáceos, os órgãos excretores são chamados de glândulas das antenas ou glândulas maxilares. O sistema nervoso desses animais exibe tendência à concentração e fusão dos gânglios

Veja também: Cavalo-marinho — espécie curiosa de peixe que se alimenta de pequenos crustáceos

Que animais são exemplos de crustáceos?

No grupo dos crustáceos encontramos vários representantes muito conhecidos aos seres humanos, principalmente porque muitos fazem parte da nossa dieta, como o camarão, a lagosta, o caranguejo e o siri. Existem representantes também menos conhecidos, como os copépodes, que são animais microscópicos que compõem a fauna de invertebrados aquáticos; a dáfnia, também chamada de pulga-d’água; e o tatuzinho-de-jardim, uma espécie de crustáceo que vive em ambiente terrestre úmido.

Habitat dos crustáceos

O tatuzinho-de-jardim é um exemplo de espécie terrestre de crustáceo.

A maioria das espécies de crustáceos conhecidas são marinhas, porém pode-se encontrar também espécies de água doce, grupos semiterrestres e espécies terrestres.

Alimentação dos crustáceos

Os crustáceos são um grande grupo de animais, incluindo mais de 38.000 espécies. Essas espécies apresentam uma grande variedade de dietas e também de formas de conseguir alimento. Dentre os crustáceos existem espécies herbívoras, predadoras, detritívoras e filtradoras.

Como os crustáceos se reproduzem?

A maioria dos crustáceos apresenta sexos separados, ou seja, podem ser encontrados machos e fêmeas da espécie. Entretanto, há também espécies hermafroditas, como é o caso das cracas. No caso de lagostas e lagostins, o macho possui uma estrutura especializada para transferir o espermatozoide. Os crustáceos, em geral, incubam seus ovos entre apêndices do seu corpo ou em sacos ovígenos.

Em grande parte das espécies, o desenvolvimento é do tipo indireto, ou seja, há a formação de larvas no ciclo de vida, sendo observado em alguns casos até mais de um tipo de larva no mesmo ciclo. Algumas espécies possuem desenvolvimento direto.

Saiba mais: Reprodução dos animais ovíparos, vivíparos e ovovivíparos — exemplos e diferenças

Qual é a importância dos crustáceos para o homem e a natureza?

Os crustáceos são conhecidos pelo homem, principalmente, por serem fonte de renda e alimentação. Em algumas comunidades, a comercialização desses animais se destaca como a principal fonte de renda.

Os copépodes são crustáceos planctônicos muito importantes para o ambiente marinho.

Além de serem importantes economicamente, esses animais apresentam grande importância ecológica. As diferentes espécies de crustáceos existentes ocupam vários níveis tróficos nos ecossistemas que habitam, sendo fundamentais para as cadeias alimentares desses locais.

As espécies com hábitos detritívoros são essenciais para a ciclagem de nutrientes, uma vez que se alimentam de matéria orgânica em decomposição. Não podemos deixar de citar também que algumas espécies são parasitas e podem ser encontradas, por exemplo, aderidas às nadadeiras e brânquias de alguns peixes.  

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Anelídeos

Ciências

Aracnídeos

Ciências

Ariranha

Ciências

Artrópodes

Últimos artigos

Nomadismo

O nomadismo é um estilo de vida em que os seres humanos não possuem residência em um local fixo, mudando-se de tempos em tempos de acordo com sua necessidade.

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.