Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Águias

As águias são aves carnívoras que apresentam uma visão aguçada, bico curvo e forte e garras afiadas que usam para capturar a sua presa.

Águia-americana As águias-americanas são a espécie de águia mais conhecida em todo o mundo.

Águias são animais muito admirados por sua beleza e também por suas características imponentes. São consideradas aves de rapina, uma vez que são aves que se alimentam de outros animais e possuem adaptações que favorecem a caça.

São aves de grande porte e se destacam por possuírem uma visão aguçada, bico curvo e forte e garras afiadas. Podem se alimentar de diferentes animais a depender da espécie estudada, sendo peixes, anfíbios e pequenos mamíferos animais que podem fazer parte da dieta das águias.

Existem mais de 70 espécies de águias, sendo uma das espécies mais conhecidas a chamada águia-americana. No Brasil ocorrem nove espécies: águia-solitária, águia-serrana, harpia, uiraçu, águia-cinzenta, águia-pescadora, gavião-de-penacho, gavião-pega-macaco e gavião-pato.

Leia também: Corujas — tudo sobre essas aves de hábito noturno

Resumo sobre as águias

  • As águias são animais que possuem visão aguçada, bico curvo e forte e garras afiadas.

  • Suas características as tornam um predador eficiente e ágil.

  • As águias são animais pertencentes à família Accipitridae, na qual também se encontram outras aves de rapina, como os gaviões.

  • Águia-solitária, águia-serrana, harpia, uiraçu, águia-cinzenta, águia-pescadora, gavião-de-penacho, gavião-pega-macaco e gavião-pato são águias que ocorrem no Brasil.

  • A espécie mais popular de águia é sem dúvida a águia-americana, a qual pode ser observada na América do Norte.

Características das águias

As águias possuem adaptações que as tornam predadoras eficientes, tais como as garras afiadas e bico curvo.

As águias são aves de rapina que apresentam grande porte e podem ser encontradas em diferentes partes do planeta, incluindo o Brasil. Denominamos aves de rapina as aves que se caracterizam por serem carnívoras e apresentarem características que permitem que elas efetivamente consigam capturar a sua presa. Vale destacar que a palavra rapina significa “raptar”, um termo propício para se referir à forma como esses animais capturam suas presas.

Algumas características importantes que podem ser destacadas nas aves de rapina e consequentemente nas águias são:

  • Olhos voltados para frente, proporcionando uma visão binocular (capacidade de converter em uma única imagem os sinais enviados por cada olho).

  • Visão bastante desenvolvida e nítida, o que faz com esses animais sejam capazes de enxergar melhor que os seres humanos. De acordo com informações do site Aves de Rapina Brasil, desenvolvido pelo ornitólogo Willian Menq, a águia-real (Aquila chrysaetos), por exemplo, é capaz de avistar uma lebre a mais de 3 km de distância.

  • Bico forte e curvo que permite que o animal seja capaz de matar e cortar a carne de sua presa.

  • Garras fortes e afiadas que ajudam o animal na captura e também morte da presa.

Alimentação das águias

As águias, como salientado anteriormente, são animais carnívoros que se alimentam, portanto, de outros animais. A dieta é variada e depende da espécie que estamos estudando.

Dentre os animais que podem fazer parte da dieta das águias estão outras aves, gambás, esquilos, saguis, ratazanas, lagartos, serpentes e tatus. Vale salientar que animais de porte relativamente grande podem também fazer parte da dieta das águias, como é o caso dos bichos-preguiça e bugios, que servem de alimento para a harpia.

Leia também: Avestruz — ave que se destaca por ser uma excelente corredora

Espécies de águias

As águias são animais pertencentes à família Accipitridae, sendo o termo utilizado para se referir a mais de 70 espécies diferentes que ocorrem em várias partes do planeta. É importante destacar que nessa família também estão incluídas outras aves de rapina, sendo esse o caso dos gaviões. Vamos conhecer a seguir algumas espécies de águias.

  • Águia-americana

A águia-americana (Haliaeetus leucocephalus) é, sem dúvida, a espécie mais conhecida de águia de todo o mundo. A espécie é encontrada em toda a América do Norte, estando, geralmente, em regiões próximas a grandes corpos d’água. Quando adultas, destacam-se por apresentar bico amarelo, cabeça e cauda branca e corpo castanho escuro. Seu corpo mede cerca de 79 a 94 cm, e elas apresentam de 178 a 229 cm de envergadura.

Trata-se de aves monogâmicas, permanecendo com o mesmo parceiro durante a vida. Essas aves fazem grandes ninhos, os quais podem reutilizar por vários anos. A cada ano, a águia vai aumentando seu ninho, utilizando para isso grama, galhos e gravetos. O maior ninho da espécie encontrado pesava 2 toneladas e foi usado por 30 anos. A espécie coloca de um a três ovos a cada temporada.

  • Águias brasileiras

No Brasil, de acordo com o site Aves de Rapina Brasil, existem nove espécies de águias. São elas: águia-solitária, águia-serrana, harpia, uiraçu, águia-cinzenta, águia-pescadora, gavião-de-penacho, gavião-pega-macaco e gavião-pato. Vamos conhecer a seguir três dessas espécies.

Harpia

Foto foca em rosto de harpia, na cor cinza.
A harpia é a maior águia do mundo.

A harpia (Harpia harpyja), também conhecida como gavião-real, ocorre em toda a América Central até a América do Sul. Esses animais preferem viver em locais de florestas intactas, mas podem caçar em áreas abertas.

Destacam-se por serem a maior espécie de águia do planeta, apresentando um comprimento que varia de 89 a 102 cm e envergadura de 2 metros. Suas garras afiadas podem atingir mais de 12 cm de comprimento. Fêmeas tendem a ser maiores que machos, apresentando entre 7 e 9 kg, enquanto os machos apresentam entre 5 e 8 kg.

Essas aves formam pares que permanecem juntos por toda a vida e constroem grandes ninhos em árvores altas. A fêmea põe dois ovos, porém apenas um filhote será criado. Os filhotes tornam-se independentes com cerca de dez meses. As harpias vivem de 25 a 35 anos.

Gavião-de-penacho

O gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus), apesar de seu nome popular, é uma águia. É considerado um animal discreto que pode ser encontrado no interior de florestas. Essa ave possui cerca de 67 cm de comprimento e 140 cm de envergadura. O animal recebe essa denominação devido às penas em sua cabeça.

Gavião-de-penacho

O gavião-de-penacho faz seu ninho na copa das árvores e bota nele apenas um ovo. Durante o período de incubação, que varia entre 48 a 51 dias, o macho da espécie fica responsável pela alimentação.

→ Águia-pescadora

A águia-pescadora é capaz de capturar peixes dentro da água.

A águia-pescadora (Pandion haliaetus) é uma ave de distribuição mundial, sendo uma espécie capaz de viver em qualquer lugar em que estejam disponíveis águas rasas com peixes e locais seguros para construir seu ninho. Apresentam entre 55 e 58 cm de comprimento e uma envergadura que pode variar entre 145 e 170 cm. Pequenas variações podem ser observadas no tamanho e também na cor da pena a depender de onde a espécie se desenvolve.

Essa águia se destaca por ser uma águia pescadora, alimentando-se de peixes. Para garantir sua alimentação, conta com uma série de adaptações que garantem a pesca e captura desses animais escorregadios. Dentre essas características podemos citar garras afiadas e longas, plumagem oleosa e válvulas nasais que impedem a entrada de água nas narinas quando o animal mergulha. 

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Albatroz

Ciências

Arara-azul

Ciências

Aves

Ciências

Avestruz

Últimos artigos

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.

Ciclo do Café

O ciclo do café foi o ciclo econômico em que o café predominou na economia brasileira. Iniciou em meados do século XIX, estendendo-se até metade do século XX.