Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Corujas

  Corujas são aves que apresentam cabeça grande, rosto achatado, grandes olhos e bico forte e curvado. São animais, em sua maioria, noturnos e bem adaptados a viver na escuridão, sendo capazes, por exemplo, de capturar suas presas mesmo contando apenas com a luminosidade garantida pela Lua. Graças aos hábitos noturnos, as corujas são conhecidas também como “rainhas da noite”.

As corujas mexem muito com o imaginário popular, sendo reconhecidas em algumas culturas como símbolo de prosperidade e sabedoria, enquanto em outras são relacionadas com azar, morte e entidades amaldiçoadas. Devido à associação com o mau agouro, muitas corujas são mortas pela população. Sendo assim, é importante deixar o preconceito de lado, conhecer melhor esses incríveis animais e cobrar políticas de conservação que assegurem a sobrevivência dessa espécie e de vários outros animais que estão frequentemente sujeitos à ação prejudicial do homem.

Leia também: Por que nem todas as aves são pássaros?

Classificação taxonômica das corujas

As corujas são aves que pertencem à ordem Strigiformes e que estão divididas em duas famílias: Tytonidae e Strigidae. Existem diferentes espécies de corujas, sendo estimadas cerca de 212 espécies distintas em todo o planeta.

  • Corujas brasileiras

A coruja-buraqueira é uma espécie de coruja encontrada no Brasil

No Brasil ocorrem 22 espécies de corujas, como é o caso da coruja-buraqueira (Athene cunicularia). Essa espécie destaca-se por ser uma espécie generalista e por usar buracos no solo para se abrigar e colocar seus ovos. Os buracos utilizados por essa espécie são geralmente feitos por outros animais, como tatus. Outra característica peculiar da coruja-buraqueira é o fato de ser mais ativa durante o dia, uma característica que derruba o mito de que toda coruja apresenta hábitos noturnos.

Outras espécies de corujas que ocorrem no Brasil são:

  • coruja-listrada (Strix hylophila);

  • corujinha-orelhuda (Otus usta);

  • corujinha-do-mato (Otus choliba);

  • corujinha-do-sul (Otus sanctaecatarinae);

  • coruja-de-garganta-preta (Pulsatrix perspicillata ).

Vale destacar que algumas espécies são endêmicas do Brasil, ocorrendo, portanto, apenas em nosso país. Uma dessas espécies é a corujinha-sapo (Megascops atricapilla), que é endêmica do domínio da Mata Atlântica.

Características gerais das corujas

As corujas são um grupo de aves que apresentam algumas características peculiares, como rosto achatado, olhos voltados para frente e bico curvado e forte. São animais que possuem uma grande variedade de tamanho, existindo espécies pequenas, com cerca de 60 g, e outras que podem pesar até mais de 1 kg. A coloração das penas varia de uma espécie para outra, mas a maioria apresenta penas marrons, brancas ou cinzas. As corujas são encontradas em diferentes partes do mundo, incluindo o Brasil, onde estão distribuídas em todos os biomas.

As corujas possuem olhos grandes e bico curvado.
As corujas possuem olhos grandes e bico curvado.

As corujas são animais que apresentam uma visão bastante aguçada. Sua visão é binocular, seus olhos são fixos, porém a cabeça pode girar até 270º, o que garante um grande aumento na capacidade de visão. Esses animais não são capazes de enxergar em local com ausência total de luz, porém apresentam uma boa visão durante o dia e a noite. Uma boa visão noturna é importante para a sobrevivência desses animais, uma vez que as corujas são, em sua maioria, noturnas. É durante a noite que a maioria delas captura suas presas, as quais incluem, por exemplo, roedores e marsupiais.

Além de uma boa visão, as corujas são animais que apresentam também uma audição muito desenvolvida. Elas são capazes de capturar ruídos a longas distâncias, como o som de suas presas se movendo no solo e na vegetação. Esse sentido, aliado com uma boa visão, torna as corujas excelentes predadoras.

As corujas são aves voadoras e destacam-se por apresentarem um voo bastante silencioso. O ruído da batida das asas é reduzido devido ao fato de que esses animais apresentam uma plumagem macia. O voo silencioso das corujas permite que elas não sejam percebidas com facilidade por suas presas.

Alimentação das corujas

As corujas são animais carnívoros, ou seja, alimentam-se de outros animais. A dieta das corujas varia de acordo com a espécie estudada. Algumas espécies se alimentam de peixes; outras, de roedores; outras, de insetos; e algumas comem até mesmo outras aves. De maneira geral, as principais presas das corujas são roedores e insetos.

Para capturar a presa, as corujas contam com garras que possuem fortes unhas e com bicos resistentes e curvados. As corujas costumam engolir suas presas inteiras e regurgitar aquilo que não pode ser digerido, como penas, pelos, ossos e escamas.

Muitas corujas se alimentam de roedores.
Muitas corujas se alimentam de roedores.

Reprodução das corujas

O período de reprodução das corujas varia de acordo com a região onde uma espécie vive. Nos trópicos, por exemplo, a estação reprodutiva pode ocorrer durante todo o ano, principalmente no final da estação seca. No Brasil, o período reprodutivo dessas aves inicia-se com a primavera.

As corujas atraem seus parceiros por meio de cantos e chamados. Os machos podem também oferecer presas como presentes para as fêmeas na tentativa de conquistá-las. Os casais formados durante a estação reprodutiva podem manter-se durante várias estações ou até mesmo por toda a vida. Algumas espécies, no entanto, trocam de parceiro a cada ano.

As corujas são animais que não constroem ninhos. Elas colocam seus ovos, por exemplo, em depressões no chão, em troncos e em ninhos de outros animais. Essas aves botam em média de dois a três ovos, os quais são postos em intervalos de alguns dias. Os ovos são incubados pela fêmea, que é alimentada pelo macho durante o período.

Durante o período reprodutivo, as corujas defendem seu ninho, dando voos rasantes naqueles que se aproximam e também emitindo sons. Após o nascimento, apenas a fêmea cobre e alimenta os filhotes, no entanto, com o passar do tempo, o macho também passa a cuidar dos filhotes.

Leia também: Kiwi, uma ave da Nova Zelândia

Ameaças às corujas

As corujas, assim como muitas espécies, são ameaçadas pela ação destrutiva do homem, que polui e desmata grandes áreas, destruindo o habitat desses animais. Não podemos deixar de citar também que muitas dessas aves são mortas devido a atropelamentos, choques elétricos, acidentes com arames, entre outras causas que estão diretamente relacionadas com a ação humana. Além disso, muitas pessoas acreditam em lendas que dizem que as corujas são animais que atraem a morte e azar, o que faz com que muitos indivíduos sejam sacrificados pela população.  

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Aves

Geografia

Biomas brasileiros

Ciências

Canto das aves

Ciências

Penas

Últimos artigos

Hipérbole

A hipérbole é uma figura de linguagem que usa, de propósito, o exagero nas expressões para dar ênfase ao discurso. Ela é classificada como figura de pensamento.

Período Neolítico

Período Neolítico é um dos períodos da Pré-História, profundamente marcado pela sedentarização do humano, uma consequência do desenvolvimento da agricultura.

Predatismo

Predatismo ou predação é uma relação ecológica estabelecida entre indivíduos de espécies diferentes, na qual um organismo serve de alimento para outro.

Amensalismo

Amensalismo é uma relação ecológica em que uma das espécies envolvidas inibe o crescimento ou a reprodução de outra. Um exemplo dessa interação é a maré vermelha.