Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Meiose

Conheça mais sobre a meiose, um tipo de divisão celular que resulta em quatro células com metade do número de cromossomos.

A meiose é um tipo de divisão celular em que se observa a formação de quatro células-filhas com metade do número de cromossomos da célula-mãe. Sabemos que as células humanas, por exemplo, apresentam 46 cromossomos, portanto, aquelas que sofrem meiose têm apenas 23 cromossomos. Nos animais, a meiose ocorre na formação dos gametas. Isso significa que o processo de meiose acontece no corpo humano apenas para formar espermatozoides e óvulos.

O processo de meiose

A meiose é dividida em duas etapas: a meiose I e a meiose II. A meiose I dá início à divisão celular propriamente dita e começa após uma fase de preparação denominada de interfase. Na interfase, a célula produz organelas e proteínas, o material genético é duplicado e são formadas as cromátides-irmãs. Cada cromátide é um dos filamentos de DNA produzido durante a duplicação.

  • Meiose I

A meiose I é dividida em quatro etapas: a prófase I, a metáfase I, a anáfase I e a telófase I.


Etapas da meiose I

Na prófase I, assim como ocorre na mitose, os centrossomos (onde são organizadas estruturas proteicas chamadas de microtúbulos) movimentam-se para polos opostos da célula, forma-se o fuso que se liga aos cromossomos, o envelope nuclear é desfeito, o nucléolo (região onde são produzidos os ribossomos) também se desfaz e os cromossomos tornam-se mais condensados. Durante a meiose, o evento característico da prófase I é o crossing over, no qual acontece a troca de pedaços dos cromossomos.

Na metáfase I, os cromossomos homólogos (cromossomos iguais entre si que formam um par) arranjam-se no meio da célula e formam a placa metafásica ou equatorial.

A anáfase I é caracterizada pela movimentação dos cromossomos para os polos das células, guiados pelas fibras.

A telófase I é a divisão da célula em duas (citocinese). Em algumas espécies, pode formar-se um novo envoltório e os cromossomos descondensam-se. No final dessa etapa, haverá duas células, cada uma com os seus cromossomos formados por duas cromátides-irmãs. Essas células possuem metade do material genético da célula que iniciou o processo.

  • Meiose II


Etapas da meiose II

A meiose II é uma etapa semelhante à mitose. Antes de seu início, não se observa a duplicação do material genético. Durante a meiose II, ocorrem as etapas: prófase II, metáfase II, anáfase II e telófase II.

Na prófase II, observa-se a movimentação dos centrossomos, desintegra-se o envoltório nuclear das células (formado no final da meiose I), e o fuso liga-se aos cromossomos. Na metáfase II, os cromossomos dispõem-se na placa metafásica. Durante a anáfase II, ocorre a separação das cromátides, que se encaminham para os polos opostos. Na telófase II, o núcleo é formado, os cromossomos descondensam-se e a célula separa-se em duas.

No final da meiose, portanto, há a formação de quatro células-filhas, as quais apresentam metade do número de cromossomos da célula-mãe. No caso dos gametas, a formação de células com metade do número de cromossomos é essencial, pois, no momento da fecundação, o número de cromossomos daquela espécie pode ser restabelecido.

Nos seres humanos, a meiose leva à formação dos gametas Nos seres humanos, a meiose leva à formação dos gametas
Por Vanessa Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Diferenças entre mitose e meiose

Ciências

Divisão celular

Ciências

Gametas

Ciências

Gametogênese

Últimos artigos

Pau-brasil

Pau-brasil foi o primeiro artigo que os portugueses exploraram durante a colonização. Era uma madeira conhecida por permitir a fabricação de um corante avermelhado.

Deuses gregos

Os deuses gregos formavam o chamado panteão da religião dos gregos. Na crença grega, eram imortais, mas tinham forma humana e sentimentos comuns aos dos humanos.

Macacos

Macacos são animais mamíferos da ordem dos primatas que, geralmente, são encontrados vivendo em grupos, os quais apresentam comportamento social.

Tutu

Tutu, no folclore brasileiro, é reconhecido como um monstro disforme que é muito associado com o bicho-papão, o monstro devorador de crianças.