Qual matéria está procurando ?

História

História

Descobrimento do Brasil

O descobrimento do Brasil é como conhecemos a chegada dos portugueses ao Brasil, em 22 de abril de 1500. A chegada dos portugueses aqui se deu pela expedição de Pedro Álvares Cabral, português que encabeçava a travessia cujo destino final era a Índia. Os historiadores ainda discutem, atualmente, se houve intencionalidade na chegada dos portugueses aqui.

A chegada dos portugueses ao Brasil foi parte do processo das Grandes Navegações e deu início à presença contínua dos portugueses no território brasileiro. A partir desse acontecimento, iniciou-se a colonização do Brasil, embora os portugueses só tenham tomado medidas efetivas de colonização a partir da década de 1530.

Pedro Álvares Cabral foi o líder da expedição que chegou ao Brasil em 22 de abril de 1500. [1]

Antecedentes históricos

O descobrimento do Brasil é resultado de um contexto histórico muito específico e relacionado à história portuguesa e às Grandes Navegações. Primeiramente, é importante considerar que a chegada dos portugueses aqui foi resultado da exploração oceânica, realizada durante as Grandes Navegações, ao longo do século XV.

Portugal foi o país pioneiro na exploração do Oceano Atlântico, e isso só foi possível graças ao fato de que Portugal acumulou todas as condições necessárias que lhe permitiram investir no desenvolvimento náutico. Politica, tecnológica, comercial e até geograficamente, Portugal tinha as condições para despontar na exploração marítima.

Politicamente, Portugal era uma nação estável (em comparação a outras nações europeias) porque tinha uma dinastia consolidada e o território unificado. No final do século XIV, conflitos relativos à Revolução de Avis levaram a dinastia de Avis ao trono português. No longo prazo, a dinastia de Avis estabilizou Portugal e permitiu que houvesse condições para o desenvolvimento comercial e tecnológico no país.

Acesse também: União Ibérica – como se encerrou a dinastia de Avis em Portugal

Além disso, o país não passava por guerras territoriais, uma vez que os mouros tinham sido expulsos do território português no século XIII. Outros países vizinhos, como a Espanha e França, enfrentavam momentos de instabilidade que não possibilitavam o investimento na exploração oceânica.

Além disso, Portugal estava numa posição geográfica muito favorável para a navegação, próxima às correntes marítimas que levavam ao continente africano. Essa posição tornava Lisboa, sua capital, um centro comercial importante, contando inclusive com o incentivo de mercadores italianos. As questões comerciais relacionavam-se também com a importância das mercadorias obtidas no Ocidente.

A partir de 1453, o caminho por Constantinopla fechou-se quando a cidade bizantina foi conquistada pelos otomanos. Era necessário encontrar uma nova rota para o Oriente, e a solução foi contornar a costa do continente africano. No entanto, essa via só seria possível se as embarcações tivessem condições de encontrar uma passagem na costa africana que as levasse em direção à Índia.

A rota para a Índia importava aos portugueses pela obtenção de especiarias, mercadorias como noz-moscada e canela, que tinham valorização considerável na Europa. Esse era o principal incentivo para os europeus, mas não o único. Os historiadores também falam do interesse de muitos em navegar com o propósito de evangelizar as populações que encontrassem.

Nesse cenário, os portugueses começaram a explorar o Oceano Atlântico e, pouco a pouco, chegaram a locais, até então, desconhecidos para os europeus. Locais como Madeira, Açores, Cabo Verde e São Tomé foram descobertos e ocupados pelos portugueses ao longo do século XV. As navegações também resultaram na criação de feitorias na costa africana e, por fim, no contorno dessa costa em direção à Índia, em 1487.

Divisão da América

As explorações portuguesas chamaram a atenção das grandes coroas do continente europeu e mobilizaram a Coroa espanhola para financiar uma expedição em direção à Índia. Os espanhóis financiaram a viagem de Cristóvão Colombo, que acabou chegando à América, em 1492.

A notícia dessa chegada logo se espalhou e gerou uma reação dos portugueses, que entraram na disputa. Essa disputa deu-se no campo diplomático e resultou no Tratado de Tordesilhas, acordo assinado pelas duas nações, em 1494. Nesse acerto, foi estipulado uma linha imaginária na qual as terras, a oeste, seriam espanholas, e a leste, portuguesas.

Acesse também: Invasões holandesas: por que os holandeses invadiram o Brasil no século XVII?

Os portugueses chegam ao Brasil

A expedição portuguesa contava com 13 embarcações que traziam de 1200 a 1500 homens. [2]

As notícias dos espanhóis em terras tão a oeste, naturalmente, despertou a curiosidade e o interesse dos portugueses, mas, em 1500, Portugal ainda não havia chegado a elas. Sendo assim, uma nova expedição foi organizada, e sua liderança foi entregue ao comando de Pedro Álvares Cabral, um fidalgo em ascensão.

Essa expedição tinha destino final em Calicute, e Cabral teve como pagamento inicial a quantia de 10 mil cruzados, o que equivalia a 35 quilos de ouro. Ele ainda recebeu direito de comprar, para poder revender, determinada quantia de especiarias|1|. Os capitães de cada embarcação, assim como os marinheiros, tinham seus respectivos salários, mas, naturalmente, eram inferiores ao recebido pelo líder.

A expedição liderada por Cabral possuía 13 embarcações, sendo 10 naus e três caravelas, cada uma com um capitão. Segundo o historiador Jorge Couto, a expedição tinha de 1200 a 1500 homens, que zarparam de Lisboa no dia 9 de março de 1500|2|. Aqui começa um debate a respeito da intencionalidade da expedição de vir ao Brasil.

Isso porque a expedição de Cabral seguiu um caminho que ia direto para Cabo Verde, o que sugere uma certa precisão na rota tomada, e seguiu um caminho diferente do que se tomava nas viagens para a Índia. Tradicionalmente, os portugueses navegavam próximo à costa africana, e a rota para Cabo Verde fazia com que as embarcações não a seguissem.

De toda forma, a expedição seguiu cruzando águas desconhecidas até que, no dia 21 de abril, os marinheiros avistaram sinais de terra: algas. Na manhã do dia 22 de abril, mais um sinal foi avistado: pássaros. Por fim, no final da tarde desse mesmo dia, os tripulantes avistaram terra.

Os portugueses tinham avistado o Monte Pascoal, na região próxima a Porto Seguro, na Bahia. No dia seguinte, uma pequena expedição de portugueses, sob o comando de Nicolau Coelho, foi enviada para explorar a terra. Os portugueses encontraram um grupo de 18 indígenas, sendo esse o primeiro contato entre eles e nativos brasileiros, o qual foi pacífico e marcado pela troca de presentes.

No dia 2 de maio, os portugueses partiram do Brasil em direção à Índia. O rei português foi informado, ainda em 1500, a respeito do achado da nova terra, e o principal relato disso foi feito pelo escrivão da viagem, Pero Vaz de Caminha. Apesar do achamento em 1500, foi somente a partir da década de 1530 que os portugueses tomaram iniciativas consistentes de colonização.

 Leia mais:  Como os portugueses introduziram a escravidão no Brasil durante a colonização

Resumo ilustrado para crianças

Notas

|1| SCHWARCZ, Lilia Moritz e STARLING, Heloísa Murgel. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. p. 25.

|2| COUTO, Jorge. A gênese do Brasil. In.: MOTA, Carlos Guilherme (org.). Viagem incompleta: a experiência brasileira. São Paulo: Editora Senac, 1999. p. 48.

Créditos das imagens

[1] Lefteris Papaulakis e Shutterstock

[2] Commons

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

História

Alimentação nas Grandes Navegações Marítimas europeias

História

Descobrimento da América

História

Revolução de Avis

História

Colonização do Brasil

Últimos artigos

Sistema respiratório | Ensino Fundamental I

O sistema respiratório é responsável pela oxigenação das células. Para que isso aconteça, é necessário que o ar passe por diversos órgãos.

Sistema Urinário | Ensino Fundamental I

O sistema urinário é o responsável por eliminar as excretas do organismo, isto é, tudo aquilo de que nosso corpo não precisa mais.

8 de setembro — Dia Internacional da Alfabetização

O Dia Internacional da Alfabetização é uma data que busca conscientizar sobre os vários problemas que envolvem a alfabetização no Brasil e no mundo.

Idade Antiga

Idade Antiga é um dos períodos da história humana, de acordo com a periodização que predomina atualmente na disciplina. Trata sobre as civilizações antigas.