Qual matéria está procurando ?

História

História

Coronelismo

Fique sabendo em que consistiu a política do coronelismo, que caracterizou a chamada República Velha.

O coronelismo definiu-se como uma relação política em que prenominavam práticas como o mandonismo e o clientelismo * O coronelismo definiu-se como uma relação política em que prenominavam práticas como o mandonismo e o clientelismo *

Ao estudar a República Velha (1889-1930), você certamente se deparou com o conceito de coronelismo. Pois bem, para entender o modo como se operava a política regionalista no Brasil, sobretudo no período que vai de 1894 (com Prudente de Moraes) até 1930 (com o fim do governo de Washington Luís), é necessário que você saiba o que quer dizer “coronelismo”.

Após a fase de implantação da república, conhecida como fase da República da Espada (1889-1894), começou a fase em que os civis passaram a ditar os rumos políticos do Brasil. Tal fase ficou conhecida como República dos Oligarcas, isto é, um tipo de governo que se concentrava nas mãos de poucas pessoas. Esses oligarcas estavam ligados aos centros de produção econômica, que se subdividiam nas regiões geográficas brasileiras. Desse modo, haviam os oligarcas de São Paulo, que se organizavam politicamente em torno da produção de café, e os oligarcas de Minas, que faziam o mesmo em torno da produção de leite e outros produtos.

O poder que essas elites econômicas exerciam sobre a política afetava diretamente a vida das pessoas comuns. Esses oligarcas também ficaram conhecidos como “coronéis”, isto é, compravam tal título para exercer influência regional e ostentar sua capacidade de “mando”. Nesse sentido, o coronel “mandava” sobre sua região de influência e instrumentalizava a vida política dos cidadãos comuns por meio de métodos como o voto decabresto” (voto declarado, sem sigilo) a fim de garantir a vitória do candidato de seu interesse.

Esse “mandonismo” associado ao coronelismo tornava os cidadãos comuns “clientes” dos coronéis, ou seja, as pessoas, principalmente as mais humildes, convertiam-se em seres absolutamente dependentes dos mandos e desmandos dos coronéis e submetiam-se à instrumentalização política em troca de favores mínimos, às vezes até em troca de mantimentos e abrigo. “Clientelismo” é o nome que se dá a esse tipo de comportamento.

Até os dias de hoje ainda se encontram resquícios desse tipo de política que caracterizou a República Velha, seja em grandes centros urbanos ou, com maior frequência, no interior do Brasil. Não é difícil encontrar relatos de pessoas que foram pressionadas a votar em candidato “X” ou “Y” por medo de perder algum benefício proporcionado por algum político.

* Créditos da imagem: Commons


Por Me. Cláudio Fernandes

Por Cláudio Fernandes

Você pode se interessar também

História

A Cultura do Brasil no Período da República Velha

História

Governo de Floriano Peixoto

História

Proclamação da República

História

República Velha (Primeira República)

Últimos artigos

Símbolos nacionais

Símbolos nacionais são quatro símbolos que, por determinação da nossa lei, representam a nação brasileira.

Guerra do Contestado

Guerra do Contestado foi um conflito que se estendeu de 1912 a 1916 e mesclou insatisfação social com messianismo religioso.

Encontro vocálico

O encontro vocálico ocorre quando uma vogal e uma semivogal aparecem uma depois da outra em uma palavra. Há três tipos de encontro vocálico: o ditongo, o tritongo e o hiato.

Transporte passivo

Transporte passivo garante o transporte de substâncias através da membrana plasmática sem que ocorra o gasto de energia. A osmose é um tipo de transporte passivo.