Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Vegetação do Brasil

A vegetação do Brasil é o conjunto de plantas que recobre o território nacional, conjunto esse que é tão diverso e complexo quanto a variedade de climas e de solo do país.

Cerrado na chapada dos Veadeiros, um dos tipos de vegetação que existem no Brasil. A vegetação do Brasil é tão diversa quanto seus tipos de clima, e varia de florestas a savanas.

A vegetação do Brasil é o conjunto de plantas e de vegetais que recobre o país. A vegetação brasileira é muito complexa e diversa, resultado direto da variedade de climas que ocorre no território nacional, aliada aos diferentes tipos de solo que tais registros climáticos proporcionam e, também, às suas formas de relevo. Dessa forma, temos que a vegetação do Brasil é formada por florestas e matas, savanas, pradarias, planícies alagadas e mangues.

Leia também: Como é o relevo brasileiro?

Resumo sobre a vegetação do Brasil

  • Vegetação do Brasil é o conjunto de plantas que recobre o território brasileiro.
  • Está diretamente relacionada com os tipos de clima que ocorrem no país, uma vez que a vegetação depende de luminosidade, calor e umidade para se desenvolver.
  • Existem quatro tipos diferentes de vegetação no território brasileiro: florestas, savanas, pradaria e vegetação complexa.
  • As florestas e as matas brasileiras são: Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Mata de Araucárias e Mata dos Cocais, sendo a última uma vegetação de transição.
  • As savanas brasileiras são: Cerrado e Caatinga.
  • A pradaria brasileira são os Pampas, presentes somente no Sul do país.
  • A vegetação complexa é constituída pelo Pantanal mato-grossense e pelos mangues que se estendem pelo litoral do Brasil.

O que é vegetação do Brasil?

A vegetação do Brasil é o conjunto de plantas que recobre a superfície do território nacional e que dá origem a diferentes paisagens naturais. A vegetação brasileira é bastante diversa, produto dos distintos tipos de clima e também de solo que ocorrem no país. Em função disso, temos biomas variados e um amplo conjunto de ecossistemas que garantem a enorme biodiversidade pela qual o país é conhecido.

Formação da vegetação do Brasil

A formação da vegetação do Brasil se deu ao longo dos milhões de anos de existência do território nacional, adaptando-se às condições climáticas e aos aspectos físicos dos terrenos, isto é, à sua geomorfologia e aos nutrientes disponíveis nos solos. Assim, cada tipo de vegetação depende das condições edafoclimáticas (clima e solo) e do relevo local, desenvolvendo-se e adaptando-se de acordo com tais características.

Quais são os tipos de vegetação do Brasil?

O Brasil apresenta quatro diferentes tipos de vegetação, que descrevemos a seguir.

Florestas e matas

As florestas e matas brasileiras são quatro, e compreendem a Amazônia, a Mata Atlântica e as matas de Araucárias e dos Cocais.

Floresta Amazônica

A Floresta Amazônica é a maior floresta equatorial do mundo.

A Floresta Amazônica, mais conhecida como Amazônia, é considerada a maior floresta equatorial do mundo. Ela recobre predominantemente os estados da região Norte do país, além de estar em estados do Centro-Oeste (como o Mato Grosso) e no Maranhão, na região Nordeste. Apesar de a maior parte da Amazônia estar no Brasil, essa imensa floresta se estende para outros países sul-americanos.

Trata-se de um tipo de vegetação que ocorre em áreas de clima equatorial quente e marcado pela elevada umidade relativa do ar. Por se tratar de uma vegetação que começou a se formar há milhões de anos, observamos a presença de árvores de grande porte e de um dossel fechado, o que indica elevada densidade de plantas.

A Floresta Amazônica é dividida em três categorias, nas quais todos os estratos vegetacionais estão presentes: a mata de terra firme (área seca com árvores de grande porte), a mata de várzea (transição) e a mata de igapó (permanentemente alagada e formada em áreas de menor altitude do terreno).

Vários ecossistemas são formados nessa floresta. Em função disso, a Amazônia abriga a maior biodiversidade do mundo: são centenas de milhares de espécies de plantas e de animais, algumas ainda não catalogadas por pesquisadores. Para saber mais sobre a Floresta Amazônica, clique aqui.

Mata Atlântica

A Mata Atlântica é considerada a floresta mais devastada de todo o Brasil.

Assim como a Amazônia, a Mata Atlântica também é uma floresta. No entanto, podemos classificá-la como uma floresta tropical úmida. Situa-se na faixa leste do território brasileiro, mais precisamente no litoral atlântico. Abrange estados desde a região Nordeste até parte da região Sul do país, passando pelo Sudeste.

Trata-se de uma floresta formada por vegetação ombrófila (sempre-verde, adaptada ao tempo chuvoso) e vegetação estacional (adaptada ao clima com uma estação seca pronunciada). Ocorre em uma área de clima tropical atlântico, marcado pela presença de uma estação chuvosa e outra estação seca, com pouca variação de temperatura ao longo do ano.

A Mata Atlântica abrange as regiões com maior densidade populacional do Brasil, o litoral. Está inserida, além disso, nas áreas com elevada urbanização e atividade industrial, compreendendo algumas das maiores cidades do país, como as capitais São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA). Por conta disso, essa é a floresta mais devastada do país, com menos de 20% da sua cobertura original presente. Para saber mais sobre a Mata Atlântica, clique aqui.

Mata de Araucárias e Mata dos Cocais

A Mata de Araucárias e a Mata dos Cocais são duas áreas de vegetação que recobrem uma superfície menor do que as demais florestas mencionadas:

  • Mata de Araucárias: está presente na região Sul do Brasil, predominantemente no estado do Paraná, e compreende também áreas de maior altitude e de clima ameno do Sudeste. Muitos autores consideram a Mata de Araucária parte da Mata Atlântica. Trata-se de uma floresta ombrófila mista que tem como principal representante da flora o pinheiro-do-brasil, mais conhecido como araucária.

A Mata de Araucárias está presente no Sul do Brasil.
  • Mata dos Cocais: é um tipo de vegetação de transição localizada entre o Cerrado, a Caatinga e a Amazônia, estendendo-se por estados das regiões Nordeste e Norte, como Maranhão, Pará, Tocantins e Piauí. Trata-se de uma floresta ombrófila aberta formada por espécies de planta como palmeiras, das quais os principais representantes são o babaçu e a carnaúba.
A Mata dos Cocais marca a transição entre três biomas no Norte e Nordeste do Brasil.

Savana

A vegetação do tipo savana está presente no Brasil na sua porção central e no Nordeste do território, e compreende o Cerrado e a Caatinga.

Cerrado

O Cerrado está presente na região central do Brasil, em áreas de clima tropical típico.

A vegetação do Cerrado faz parte da chamada savana brasileira. Considerando o caso aqui estudado, o Cerrado está presente nos estados do Centro-Oeste, do Nordeste e do Sudeste, tendo o segundo tipo de vegetação com maior abrangência territorial do país. Acontece em áreas de clima tropical típico, caracterizado pelas temperaturas elevadas na maior parte do ano e pela alternância entre uma estação úmida (verão) e a outra estação seca (inverno).

O Cerrado é formado por campos abertos e por florestas conhecidas como Cerradões, compostas por árvores de médio porte e com dossel aberto. A vegetação do Cerrado é composta por espécies arbustivas e herbáceas e também por árvores lenhosas, caracterizadas por tronco grosso e retorcido. Tais características são tanto uma adaptação natural ao fogo, no caso da primeira, quanto um resultado de solos ácidos das áreas em que essa vegetação se formou. Para saber mais sobre o Cerrado, clique aqui.

Caatinga

A Caatinga tem plantas adaptadas ao tempo quente e seco.

Também parte da savana brasileira, a Caatinga está presente em estados da região Nordeste do Brasil e no extremo-norte de Minas Gerais. Essa vegetação específica se desenvolve em áreas de clima tropical semiárido, caracterizado pelas altas temperaturas e pelos longos períodos de estiagem, isto é, sem chuvas. Por isso, trata-se de uma vegetação composta por flora adaptada à baixa umidade e a secas periódicas, sendo chamada de xerófita.

A Caatinga é caracterizada pelas árvores de médio porte e de troncos grossos e tortuosos, assim como no Cerrado. As plantas apresentam adaptações como folhas em formato de espinho e raízes longas e amplas, que abrangem uma superfície de solo considerável, para que, assim, possam sobreviver à estiagem, que pode durar mais de seis meses. Sabe-se que, em média, as chuvas na Caatinga ficam entre 250-750 mm anuais. Para saber mais sobre a Caatinga, clique aqui.

Pradaria

As pradarias são os campos abertos formados predominantemente por gramíneas e espécies herbáceas. No Brasil, apenas um domínio vegetal apresenta essas características.

Pampas

A vegetação dos Pampas é formada por campos de gramíneas e arbustivas.

Os Pampas são campos abertos formados em áreas de clima subtropical e de relevo suavemente ondulado da região Sul do Brasil, não sendo encontrados em outra parte do território nacional. Como adiantamos, trata-se de uma vegetação campestre com estrato predominantemente arbustivo, em que se encontra herbáceas e arbustivas como o capim-forquilha, a babosa-do-campo e diferentes espécies de grama. Para saber mais sobre os Pampas, clique aqui.

Vegetação complexa

Essa vegetação presente no Brasil é formada por tipos de planta que caracterizam dois ou mais outros tipos de vegetação que vimos anteriormente, motivo pelo qual é denominada complexa. Encontra-se, no território brasileiro, duas formações vegetacionais classificadas como complexas.

Pantanal

As planícies alagadas são típicas do Pantanal.

O Pantanal é uma vegetação presente nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, desenvolvido em planícies alagáveis, onde se encontra espécies amazônicas, e do Cerrado, como campos de gramíneas, matas ciliares e plantas aquáticas. Para saber mais sobre o Pantanal, clique aqui.

Mangue

O mangue marca a transição entre áreas de água doce e de água salgada.

O mangue é uma vegetação que se desenvolve nos estados litorâneos do Brasil, do Amapá (região Norte) a Santa Catarina (região Sul), sendo composto por espécies que se adaptam bem à água doce dos rios e à água salgada do mar. Forma-se, portanto, em áreas de transição entre o continente e o mar.

Mapa das vegetações do Brasil

Fonte: IBGE.

Acesse também: Mapas do Brasil — as representações cartográficas do território brasileiro

Relação entre clima e vegetação do Brasil

A vegetação e o clima são dois elementos da paisagem natural que estão diretamente relacionados. Isso porque o desenvolvimento e a manutenção das plantas em determinada área dependem de aspectos como a quantidade de luz diária, a variação de temperatura e a disponibilidade hídrica, que varia conforme a pluviosidade anual e com a umidade relativa do ar.

Então, áreas com maior umidade e temperaturas elevadas são aquelas em que as florestas se instalam, como vimos no caso da Amazônia e da Mata Atlântica. Em contrapartida, regiões de clima alternadamente úmido e seco, ou de clima seco, desenvolvem vegetação adaptada a situações adversas, como o Cerrado e a Caatinga. Cabe reforçar que o tipo de solo depende, igualmente, da ocorrência climática de uma região, sendo, portanto, os três fatores interligados: o clima, o solo e a vegetação.

Exercícios resolvidos sobre vegetação do Brasil

Questão 1

(Unesp)

A extração de madeira, especialmente do pau-brasil, os ciclos do açúcar e café e o desmatamento para instalação de indústrias são eventos de nossa história que contribuíram para a degradação desse bioma.

(www.eco.ib.usp.br)

O texto refere-se ao bioma:

A) Mata Atlântica.

B) Caatinga.

C) Cerrado.

D) Pantanal.

E) Floresta Amazônica.

Resolução:

Alternativa A

A Mata Atlântica sofreu com todos os principais ciclos econômicos desde o início da colonização. Foi o bioma em que o povoamento do território e, posteriormente, processos como o da industrialização tiveram início. Por isso, a floresta desse bioma é a mais devastada do país.

Questão 2

(Enem)

A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro, ocupando cerca de 7% a 10% do território nacional. Nesse ambiente seco, mesmo quando chove, não há acúmulo de água, pois o solo é raso e pedregoso. Assim, as plantas desse bioma possuem modificações em suas raízes, caules e folhas, que permitem melhor adaptação a esse ambiente, contra a perda de água e de nutrientes. Geralmente, seus caules são suculentos e suas folhas possuem forma de espinhos e cutículas altamente impermeáveis, que apresentam queda na estação seca.

Disponível em: www.ambientebrasil.com.br. Acesso em: 21 maio 2010 (adaptado).

Considerando as adaptações nos órgãos vegetativos, a principal característica das raízes dessas plantas, que atribui sua maior adaptação à Caatinga, é o(a):

A) armazenamento de nutrientes por um sistema radicular aéreo.

B) fixação do vegetal ao solo por um sistema radicular do tipo tuberoso

C) fixação do vegetal ao substrato por um sistema radicular do tipo sugador.

D) absorção de água por um sistema radicular desenvolvido e profundo.

E) armazenamento de água do solo por um sistema radicular do tipo respiratório.

Resolução:

Alternativa D

A vegetação da Caatinga é adaptada ao longo período sem chuvas, apresentando, por isso, um sistema radicular bem desenvolvido e profundo.

Fontes

Atlas Geográfico Escolar. IBGE, [2024]. Disponível em: https://atlasescolar.ibge.gov.br/atlas.html.

LUCCI, Elian Alabi. Território e sociedade no mundo globalizado 1, ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2016.

MOREIRA, Igor. O Espaço Geográfico: Geografia Geral e do Brasil. São Paulo: Editora Ática, 2004, 47ª edição, 3ª reimpressão.

ROSS, Jurandyr L. Sanches. (Org.). Geografia do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2019. 6 ed. 3 reimp. (Didática; 3). 

Por Paloma Guitarrara

Você pode se interessar também

Datas Comemorativas

21 de março - Dia Internacional das Florestas

Geografia

Bioma

Geografia

Bioma Pampa

Geografia

Brasil e América do Sul

Últimos artigos

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.