Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Rio Ganges

O rio Ganges, que banha os territórios da Índia e de Bangladesh, é conhecido mundialmente pelo significado religioso que carrega, sendo um rio sagrado para os hinduístas.

Vista de um barco no rio Ganges. O rio Ganges, que percorre o subcontinente indiano, é um curso d’água considerado sagrado pelos seguidores do hinduísmo.

O rio Ganges é um rio que banha a Índia e Bangladesh, no Sul do continente asiático. Suas águas percorrem 2.525 quilômetros desde a base da Cordilheira do Himalaia até o oceano Índico, na região da Baía de Bengala. Trata-se de um rio carregado de simbolismo religioso para os hinduístas, que creem que o rio Ganges é a representação da deusa Mãe Ganga. Um banho nas águas desse rio seria capaz de purificar e absolver os pecados, preparando o indivíduo para a salvação.

Apesar do significado religioso e da importância que o Ganges tem para a região, haja vista que a sua bacia hidrográfica é a mais populosa do mundo, esse rio é, também, o mais poluído de todos os grandes rios conhecidos. Tal aspecto compromete a qualidade das suas águas e limita os usos do rio Ganges.

Leia também: Rio Nilo — um dos maiores mananciais de água do mundo

Resumo sobre o rio Ganges

  • O rio Ganges é um curso d’água localizado no subcontinente indiano, e que percorre os territórios da Índia e de Bangladesh.

  • Sua bacia hidrográfica compreende, também, a China e o Nepal. Ao todo, possui 1.080.000 km² e mais de 400 milhões de habitantes.

  • A extensão do Ganges é de 2.525 quilômetros, correndo de noroeste a sudeste.

  • Nasce a partir da confluência dos rios Bhagirathi e o rio Alaknanda, que, por sua vez, são formados a partir do derretimento de uma geleira no sopé da Cordilheira do Himalaia.

  • Deságua no oceano Índico na Baía de Bengala.

  • O Ganges é um rio considerado sagrado pelos seguidores do hinduísmo, apresentando significado e importância religiosa muito grande na região.

  • Suas águas são importantes para a economia local, tendo em vista a intensa peregrinação de fiéis e turistas.

  • Apesar do seu papel religioso e econômico, é um dos rios mais poluídos do mundo, e tem a qualidade de sua água comprometida.

Dados sobre o rio Ganges

  • Localização: Sul da Ásia, no subcontinente indiano.

  • Países: Índia e Bangladesh.

  • Comprimento: 2.525 quilômetros.

  • Nascente: situada no rio Bhagirathi, na Cordilheira dos Himalaias.

  • Altitude da nascente: 3.892 metros.

  • Principais afluentes: Ramganga, Brahmaputra, Son, Gomati, Bagmati, Tamsa, Yamuna, Ghaghara, Meghna, Kosi e Gandak.

  • Foz: Baía de Bengala (oceano Índico).

  • Bacias hidrográficas: Bacia do Ganges.

  • Países das bacias hidrográficas: Bangladesh, Índia, Nepal e China.

Quais as características do rio Ganges?

O rio Ganges é um curso d’água que percorre 2.525 quilômetros no sentido oeste-leste pelo subcontinente indiano, localizado na Ásia. As águas desse importante rio banham os territórios da Índia e de Bangladesh, mas a sua bacia hidrográfica compreende aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados e, além dos territórios indiano e bengali, abrange também a China e o Nepal.

A nascente do rio Ganges está localizada na base da Cordilheira do Himalaia, entre a Índia e a região autônoma do Tibete. Esse curso d’água tem origem a partir do degelo parcial da geleira Gangotri. Mais especificamente, as águas que participam da composição do rio Ganges são derivadas da porção final (ou posterior) dessa massa de gelo, que recebe o nome de Gomukh. A área de nascente do rio Ganges fica a uma altitude de quase 4.000 metros, e está localizada no estado indiano de Uttarakhand.

Rio Ganges passando pela Cordilheira do Himalaia.
O rio Ganges nasce a partir do degelo de uma geleira no sopé dos Himalaias.

Antes de formar o curso do Ganges, entretanto, as águas de degelo dão origem a alguns de seus principais afluentes, que se unem e formam o rio sagrado do hinduísmo. Dentre esses afluentes está o rio Bhagirathi e o rio Alaknanda, que se unem para formar o rio Ganges.

Inicialmente o rio Ganges apresenta um fluxo muito intenso por se originar em uma região montanhosa de relevo bastante acidentado. Entretanto, à medida que segue o seu fluxo, o rio Ganges passa a banhar a Planície Indo-Gangética, uma extensa área de terrenos com altitude moderada, que não superam os 200 metros de altitude.

Muito embora o Ganges seja o rio mais caudaloso do país e um dos mais caudalosos do mundo, o seu regime hídrico, que é perene, varia consideravelmente de acordo com o período do ano. Isso acontece porque as áreas por onde esse curso d’água corre apresentam clima tipicamente de monções, caracterizado por uma estação chuvosa que faz com que volume pluviométrico anual atinja 3.000 milímetros em determinados trechos. A maior parte da chuva acontece entre os meses de junho e outubro.

O rio Ganges deságua no oceano Índico, na região conhecida como Baía de Bengala, por meio de uma foz em delta mais conhecida como Delta do Ganges. Trata-se da maior foz em delta do mundo, que abrange todo o litoral de Bangladesh e parte do litoral leste da Índia.

Imagem aérea do delta do rio Ganges, que deságua na Baía de Bengala.

Percurso do rio Ganges

As águas que se unem para formar o rio Ganges nascem a 3.900 metros de altitude, aproximadamente, na base da Cordilheira do Himalaia, no norte do estado indiano de Uttarakhand, próximo da região do Tibete. É nessa área que tem origem o rio Bhagirathi, que desce até a cidade de Devprayag, onde conflui com as águas do rio Alaknanda para, então, se tornar um dos rios mais importantes do continente asiático: o rio Ganges.

Cerca de 200 quilômetros abaixo do ponto de confluência o rio Ganges atinge a Planície Indo-Gangética, na altura da cidade de Haridwar, que fica localizada na margem direita do rio sagrado. Apesar de não banhar a capital indiana, o Ganges passa próximo da região de Nova Déli, que integra a sua bacia hidrográfica, em seu caminho rumo ao país vizinho. Cerca de 900 quilômetros abaixo da nascente, o Ganges passa pela cidade de Varanasi. Nela ficam muitos templos religiosos que foram construídos às margens do Ganges, motivo pelo qual essa cidade é tão importante quando falamos em peregrinação religiosa.

Em menos de 250 quilômetros à frente de Varanasi, pouco antes de chegar à cidade de Patna, o rio Ganges encontra alguns de seus principais tributários, como os rios Ghaghara e Son, no leste do territírio indiano. Ao adentrar em Bangladesh, o rio Ganges passa a ser conhecido como Padma. A partir de então, o Ganges atravessa o país de noroeste a sul, onde deságua na Baía de Bengala. Ao todo, foram percorridos 2.525 quilômetros.

Leia também: Rio São Francisco — curso d’água que banha o Nordeste conhecido como o Nilo brasileiro

Importância religiosa do rio Ganges

O Ganges, como vimos anteriormente, é um rio considerado sagrado pelos seguidores do hinduísmo. Essa é a religião oficial da Índia, praticada, ainda, por uma parcela grande de população que vive no subcontinente indiano e no Sul da Ásia. Acredita-se que a deusa hindu Mãe Ganga, ou Mãe Ganges, tenha descido dos céus para morar nas águas daquele curso d’água. Por conta disso, o rio Ganges representaria a materialidade da própria deusa cultuada pelos hindus.

Hindus banhando-se no rio Ganges.
Os hindus creem que, ao menos uma vez na vida, devem se banhar no rio Ganges.[1]

Por representar a própria Mãe Ganga, o ato de se banhar nas águas desse rio corresponde a um rito de purificação e de erradicação dos pecados. Os seguidores dessa fé, notadamente os indianos, devem tomar banho no rio Ganges pelo menos uma vez na vida para que possam alcançar a sua salvação. Além disso, a importância religiosa do rio Ganges é traduzida nos vários templos que ficam às suas margens e pelas cerimônias fúnebres que são realizadas em suas águas. Assim, tem-se o ciclo completo da vida e o renascimento representado pelo Ganges.

Poluição do rio Ganges

O rio Ganges tem a bacia hidrográfica mais populosa do mundo, onde há intensa atividade urbana e industrial que produzem rejeitos descartados diretamente, sem qualquer tipo de tratamento, nas águas dos mananciais próximos, entre os quais está o próprio rio Ganges. Isso acontece pela carência de infraestrutura adequada em muitas partes da Índia, principalmente, mas também das demais áreas abastecidas pelas águas do Ganges. Esse déficit infraestrutural se concentra no setor de saneamento urbano, o que compreende a coleta e o tratamento adequado de efluentes.

Os ritos funerários, como o descarte das cinzas, que são realizados às margens do rio Ganges contribuem, de igual maneira, para a piora na poluição das suas águas. Ainda em se tratando do uso religioso do rio Ganges, muitos fiéis e turistas levam objetos e oferendas que acabam sendo depositados diretamente no curso desse manancial, o que acarreta uma piora na poluição hídrica observada no rio Ganges. Por todos os fatores que vimos, o Ganges é, hoje, o rio mais poluído do mundo.

História do rio Ganges

O rio Ganges é mencionado como um curso d’água sagrado no livro religioso Rigueveda, que foi escrito entre 1700 e 1100 a.C. Por atravessar uma ampla região de planície, o rio Ganges, além do seu aspecto sacro, também foi desde sempre utilizado para os transportes e para a navegação. Assim, os registros que descrevem as características físicas do rio datam do século XV. É importante citar, entretanto, que o uso das suas águas para fins de deslocamento e de abastecimento é feito há milhares de anos.

Existem indícios de sistemas de irrigação que foram construídos às margens do rio Ganges no século IV a.C., o que denota o uso das águas desse rio para o desenvolvimento de atividades econômicas como a agricultura. Com o passar do tempo, o rio Ganges se tornou um dos principais rios do subcontinente indiano, fundamental para o abastecimento urbano-industrial e para as atividades econômicas primárias.

Hoje em dia, entretanto, a deterioração da qualidade das suas águas causada pela intensa poluição compromete a realização de algumas dessas atividades. Ademais, a navegação foi parcialmente interrompida, ou melhor, deixada de lado quando do surgimento das vias férreas, especialmente quando se trata do transporte de passageiros.

Curiosidades sobre o rio Ganges

  • Em termos de vazão, o Ganges é o terceiro maior rio do mundo e o maior do continente asiático. O volume hídrico que passa por uma seção desse rio é de 18.490 m³/s.

  • A profundidade do rio Ganges varia entre 16 e 33 metros.

  • Na Índia, o rio Ganges recebe também a denominação de Ganga.

  • Esse curso d’água possui muitos nomes, como: Bhagirathi, Vishnupadi, Alaknanda e outros.

  • A bacia hidrográfica do Ganges é a mais populosa do mundo: estima-se que 400 milhões de pessoas vivam nos seus limites e dependam direta ou indiretamente das águas desse curso d’água.

Créditos da imagem

[1] CherylRamalho / Shutterstock

Fontes:

GOYAL, Shikha. What is the origin of holy river Ganga? Jagran Josh, 20 mar. 2020. Disponível em: https://www.jagranjosh.com/general-knowledge/what-is-the-origin-of-holy-river-ganga-1536924684-1.

LODRICK, Deryck O. Ganges River. In: Encyclopaedia Britannica, [S.I.]. Disponível em: https://www.britannica.com/place/Ganges-River/Climate-and-hydrology.

NATIONAL GEOGRAPHIC. Encyclopedic entry: Ganges River Basin. Disponível em: https://www.nationalgeographic.org/encyclopedia/ganges-river-basin/.

QADRI, Altaf. Ganges River flows with history and prophecy for India. AP News, 11 ago. 2020. Disponível em: https://apnews.com/article/ap-top-news-glaciers-international-news-photography-india-0a2dfe48fd4c9bbe48981f5b9a191e68.

Por Paloma Guitarrara

Você pode se interessar também

Geografia

Continente Asiático

Ciências

Os Rios

Geografia

Países mais populosos do mundo

Geografia

Rio Nilo

Últimos artigos

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.