Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Bexiga

A bexiga é um importante componente do sistema urinário. Ela atua como um reservatório temporário de urina no organismo.

Ilustração de uma bexiga armazenando urina. A bexiga armazena temporariamente a urina formada nos rins.

A bexiga urinária é um dos órgãos que compõem o sistema urinário. Ela possui a forma de uma bolsa muscular oca que tem a função de armazenar temporariamente a urina, proveniente dos rins, antes de ser eliminada do organismo. Além de atuar como um reservatório temporário, a bexiga também desempenha um papel fundamental no controle da eliminação da urina e na proteção do organismo contra infecções.

Distúrbios na bexiga podem afetar o funcionamento do sistema urinário como um todo. Para prevenir algumas condições médicas relacionadas à bexiga, é recomendado adotar medidas básicas, como aumentar o consumo de líquidos e urinar frequentemente. Quando há alterações ou problemas na bexiga, é essencial procurar a ajuda de um especialista médico, o urologista.

Leia também: Você sabe por que a cor do xixi é amarela?

Resumo sobre a bexiga

  • A bexiga é um órgão que faz parte do sistema urinário.
  • Ela tem formato de uma bolsa oca.
  • É composta por três camadas de tecido: túnica mucosa, muscular e serosa.
  • Suas funções principais são: armazenamento de urina, controle da micção e proteção contra infecções.
  • Condições médicas relacionadas à bexiga incluem: infecção urinária, incontinência urinária e câncer de bexiga.
  • O urologista é o médico responsável pelos órgãos do sistema urinário, incluindo a bexiga.

O que é a bexiga urinária?

A bexiga urinária é um órgão oco e flexível, dotado de paredes musculares, responsável por armazenar urina no sistema urinário. Essa estrutura está presente principalmente em mamíferos, mas não é encontrada em todas as espécies, como é o caso das baleias e golfinhos. As aves possuem estruturas similares à bexiga dos mamíferos. Já nos répteis e anfíbios, a bexiga urinária está ausente.

Localização da bexiga no corpo humano

A bexiga faz parte do sistema urinário e está conectada aos rins pelos ureteres.

A bexiga faz parte do sistema urinário e está localizada na porção inferior do abdômen, também conhecida como pelve, no corpo humano. Nos homens, ela se situa logo à frente do reto. Nas mulheres, a bexiga está posicionada à frente da vagina e abaixo do útero

Características e anatomia da bexiga

A bexiga é um órgão oco, com formato semelhante a um balão ou bolsa, dividido em quatro partes, sendo elas: ápice (porção anterior), corpo, fundo (porção posterior) e colo.

O órgão é formado por três camadas de tecidos que trabalham em conjunto para seu funcionamento adequado:

A bexiga é constituída por três camadas: mucosa, muscular e serosa.
  • Túnica mucosa: recobre o interior da bexiga, fornecendo proteção e evitando que a urina prejudique suas paredes. Quando a bexiga está vazia, a mucosa apresenta rugas.
  • Camada muscular: formada por fibras de músculo liso, constituindo o músculo detrusor. É a camada mais espessa da bexiga e é responsável pelas contrações que ajudam a armazenar e eliminar a urina.
  • Túnica serosa: é uma fina membrana que recobre a superfície externa do órgão, protegendo-a e mantendo-a no lugar dentro da cavidade abdominal.

Quais são as principais funções da bexiga e qual é a sua importância?

A bexiga é um componente essencial do sistema urinário e possui funções importantes para a manutenção da saúde geral do nosso organismo. As principais funções da bexiga são armazenamento temporário da urina, controle da micção e proteção contra infecções.

→ Armazenamento temporário da urina

A urina ou xixi é um líquido que contém ureia e outros produtos indesejados ao organismo. Ela é produzida nos rins e é levada até a bexiga através de tubos chamados ureteres. A bexiga atua como um reservatório temporário, guardando a urina até a hora de ser eliminada do corpo através de um canal chamado uretra, que está conectado à bexiga. Um adulto geralmente consegue armazenar na bexiga de 300 a 500 ml de urina, em média.

→ Controle da micção

A bexiga também ajuda no controle da micção, que é o ato de eliminar a urina do nosso corpo. Quando a bexiga está enchendo, a pressão dentro dela aumenta devagar até chegar ao máximo. Quando isso acontece, nosso corpo manda sinais para a medula espinhal, que é como um “caminhão” que leva mensagens para todo o corpo, avisando que está na hora de fazer xixi. A medula espinhal, então, envia outro sinal para os músculos da bexiga, que se contraem.

Na parte inferior da bexiga, existem dois músculos conectados à uretra, o esfíncter interno e o esfíncter externo, que funcionam como “portinhas” e ajudam a controlar o ato de urinar. O esfíncter interno é um músculo involuntário (não temos controle sobre ele) e mantém a uretra fechada para evitar que a urina saia quando não queremos fazer xixi. O esfíncter externo é um músculo voluntário (temos controle sobre ele) e ajuda a ter um certo controle sobre o fluxo de xixi durante o processo de urinar. Ao receber o sinal da medula espinhal, ambos esfíncteres relaxam para ajudar a urina a sair do nosso corpo.

Os esfíncteres interno e externo ajudam a controlar o fluxo de urina do interior da bexiga para a uretra.

O nosso cérebro também participa desse processo. Ele consegue “avisar” para a bexiga esperar um pouco mais antes de fazer xixi. O esfíncter externo permanece contraído e conseguimos segurar o fluxo de xixi. Assim, podemos adiar o xixi até estarmos em um lugar apropriado para isso, como no banheiro, e fazer tudo de forma controlada.

Controle neural da micção.

→ Proteção contra infecções

A bexiga também ajuda a proteger nosso corpo contra infecções. Ela tem uma camada de muco protetor que ajuda a impedir que as bactérias se proliferem e causem infecções urinárias. Além disso, quando urinamos, eliminamos micro-organismos que podem ser prejudiciais e que podem ter entrado no nosso sistema urinário.

Doenças relacionadas à bexiga

Problemas na bexiga podem levar a distúrbios que comprometem o sistema urinário como um todo e requerem atenção médica. Entre as principais condições na bexiga, podemos destacar a infecção do trato urinário, a incontinência urinária e o câncer de bexiga.

→ Infecção do trato urinário

A infecção do trato urinário é também conhecida como infecção urinária ou inflamação da bexiga. É considerada uma das doenças mais comuns nesse órgão e estima-se que 60% das mulheres serão afetas com essa condição em algum momento da vida.

Essa infecção ocorre quando micro-organismos (geralmente bactérias) entram no sistema urinário, atingem a bexiga e se multiplicam nesse local, causando um processo inflamatório ou infeccioso. Os sintomas incluem dor ou ardência ao urinar, necessidade frequente de urinar, desconforto na região abdominal inferior e urina escura ou com sangue e cheiro forte. Aumentar o consumo de líquidos e não segurar o xixi por muito tempo ajudam a evitar essa doença. O tratamento é usualmente realizado por meio de antibióticos. Saiba mais sobre essa doença clicando aqui.

→ Incontinência urinária

A incontinência urinária é uma condição caracterizada pela perda involuntária de urina, ou seja, a pessoa não consegue controlar a saída de urina da bexiga de forma adequada. Isso pode resultar em pequenos vazamentos em atividades comuns do dia a dia, como tossir, realizar exercícios físicos e rir. A incontinência urinária pode variar em gravidade, desde pequenos gotejamentos até perdas mais significativas de urina, e pode afetar pessoas de todas as idades, mas é mais comum em mulheres e idosos.

As principais causas são: lesões nervosas, alterações hormonais (em mulheres) e enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico. O tratamento é voltado para o fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico, uso de medicamentos e, em alguns casos, cirurgia.

→ Câncer de bexiga

Câncer de bexiga em estágio avançado. As células cancerígenas proliferaram-se para diversas camadas da bexiga.

O câncer de bexiga é um tumor maligno que se instala nas células que constituem as paredes da bexiga, principalmente da mucosa. Tem maior incidência em homens acima de 50 anos, e o desenvolvimento dessa doença está relacionado ao tabagismo. As substâncias ingeridas com o cigarro são eliminadas pelos rins junto à urina. Esta, por sua vez, pode agredir as paredes que formam o interior da bexiga.

No início do tumor geralmente não há sintomas. Com a evolução da doença, ardor e urgência para urinar, anemia e perda de peso são sintomas recorrentes. O principal tratamento é a remoção do tumor. Também pode ser recomendado quimioterapia ou radioterapia, se necessário.

Qual é o médico que cuida da bexiga?

Quando há alterações ou problemas no sistema urinário, incluindo a bexiga, é importante procurar a ajuda do urologista, um médico especialista nesse sistema e qualificado para realizar diagnósticos e indicar o tratamento adequado para cada caso.

Fontes

FUJITA JR, L. Infecção urinária. Site Drauzio Varella, 2019. https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/infeccao-urinaria/.

JUNQUEIRA, L. C. U. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. 558 p.

LANZOTTI, N.J. et al. Physiology, Bladder. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing, 2023. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK538533/.

TORTORA, G.J. & DERRICKSON, B. Princípios de anatomia e fisiologia. 14ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016. 1216 p.

VARELLA BRUNA, M.H. Câncer de bexiga. Site Drauzio Varella, 2015. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/cancer/cancer-de-bexiga/.

VARELLA BRUNA, M.H. Incontinência urinária. Site Drauzio Varella, [s.d.]. Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/mulher/incontinencia-urinaria/.

Por Heloísa Fernandes Flores

Você pode se interessar também

Ciências

Baço

Ciências

Características e funções dos rins

Ciências

Faringe

Ciências

Formação da urina

Últimos artigos

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.

Ciclo do Café

O ciclo do café foi o ciclo econômico em que o café predominou na economia brasileira. Iniciou em meados do século XIX, estendendo-se até metade do século XX.

Arte rupestre

A arte rupestre são as obras de arte produzidas pelos hominídeos na Pré-História, destacando-se as pinturas e as gravuras.