Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Operadores argumentativos

Operadores argumentativos são expressões que ligam orações, períodos ou até mesmo parágrafos, conforme a intenção do autor.

Os operadores argumentativos interligam as partes do texto. Os operadores argumentativos interligam as partes do texto.

Os operadores argumentativos são palavras ou expressões fundamentais para a coesão textual, ou seja, para a ligação entre as diversas orações, períodos e parágrafos que existem em um texto. Eles são responsáveis por articular as partes do texto, conferindo a elas a intenção desejada pelo autor.         

Função

A função dos operadores argumentativos é estabelecer uma ligação entre as orações, períodos ou até mesmo parágrafos de um texto. Eles são fundamentais para a unidade textual, haja vista que é por meio de tais operadores que as partes do texto relacionam-se.

Leia também: Textos sem coesão: Entenda como isso pode acontecer!

Tipos

Existem centenas de operadores argumentativos, e a língua, em seu uso, cria tantos outros nos diversos processos comunicativos. Entretanto, existem alguns desses operadores que valem a pena ter sempre em mente:

  • Operadores de oposição: são aqueles que interligam ideias que se contrapõem.

São eles: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto, senão, embora, conquanto, ainda que, mesmo que, mesmo quando, apesar de que, se bem que, malgrado, não obstante, inobstante, em que pese etc.

Eu gosto de sorvete, MAS estou gripado.

  • Operadores de adição: são aqueles que aglutinam trechos com sentidos complementares, que não se contrapõem. São eles: e, nem, também, não só... mas também, mas ainda, como também, ademais, outrossim, além disso etc.

Eu NÃO SÓ vou ficar, MAS TAMBÉM dormirei aqui.

  • Operadores de conclusão: são aqueles que denotam uma conclusão em relação ao que foi dito anteriormente. São eles: logo, portanto, então, assim, enfim, consequentemente, por isso, por conseguinte, de modo que, por fim etc.

Eu não tenho dinheiro. LOGO, não irei sair hoje.

  • Operadores de explicação:  são os operadores que representam uma explicação sobre o que foi citado antes. São eles: pois, porque, que, porquanto etc.

Eu não posso comer lasanha, POIS tenho alergia a queijo.

  • Operadores de conformidade: são aqueles que fazem referência a algo ou alguém. São eles: conforme, como, segundo, consoante, de acordo com etc.

SEGUNDO Paulo Freire, ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção.

  • Operadores de condição: sugerem uma condição para a realização de algo. Exemplos: se, caso, desde que, contanto que, exceto se, salvo se, a menos que, a não ser que, sem que, uma vez que (com o verbo no subjuntivo) etc.

SE fizer bom tempo amanhã, eu vou.

  • Operadores de finalidade: são aqueles que denotam a razão pela qual algo acontece. Exemplos: a fim de que, para que, com o fito de, que, porque (= para que) etc.

Eu bebo água A FIM DE QUE não fique desidratado.

  • Operadores de comparação: tais operadores constroem uma comparação entre duas sentenças. Exemplos: mais que, menos que, tão... quanto, tão... como, tanto... quanto, tão... como, tal qual, da mesma forma, da mesma maneira etc.

Um passeio no parque é MAIS agradável QUE sair para festas.

  • Operadores de consequência: são aqueles que denotam uma relação de consequência em relação a determinado ato. Exemplos: tão... que, tal... que, tanto... que, tamanho... que, de forma que, de modo que, de sorte que, de maneira que etc.

O grito foi TÃO alto QUE acordou toda a vizinhança.

  • Operadores de alternância: são os que apresentam uma relação de alternância entre dois polos. Exemplos: ou... ou, ora... ora, já... já, não... nem, quer... quer, seja... seja, talvez... talvez etc.

 ORA quero dormir, ORA comer.

  • Operadores de proporção, simultaneidade: são aqueles que sugerem uma relação de proporcionalidade entre os elementos interligados. Exemplos: à medida que, à proporção que, ao passo que, quanto mais, quanto menos etc.

À MEDIDA QUE estudo, me torno mais inteligente.

Leia também: Como escrever um parágrafo?

Exemplos

Para compreender bem o que são os operadores argumentativos, é interessante observar como essas ferramentas linguísticas são observadas na prática. Acompanhe a análise do caso abaixo.

A expressão “MAS”, na frase “Maria quer sair, MAS vai chover” é considerado um operador argumentativo de oposição, pois liga a oração “Maria quer sair” àquela que diz “vai chover”. No caso, por conta do uso do MAS, fica parecendo que Maria não poderá sair devido ao fato de chover.

É interessante notar que, se trocássemos o operador MAS pelo operador POIS, teríamos: “Maria quer sair, POIS vai chover”. Repare, o sentido da frase mudou completamente: agora parece que Maria quer sair justamente porque irá chover.

Leia também: Cinco erros de português e como evitá-los

Exercícios resolvidos

1. Escreva qual é o operador argumentativo presente em cada uma das frases abaixo:

a) Carlos correu vinte quilômetros, mas não bateu o recorde.

b) Preciso sair, pois tenho uma reunião agora.

c) Você não só permanecerá no emprego, mas também receberá um aumento.

d) Conforme combinaram, os três homens partiram para o carnaval.

RESOLUÇÃO:

  1. MAS;
  2. POIS;
  3. NÃO SÓ... MAS TAMBÉM.;
  4. CONFORME.

2. (Enem)

O mundo é grande

O mundo é grande e cabe

Nesta janela sobre o mar.

O mar é grande e cabe

Na cama e no colchão de amar.

O amor é grande e cabe

No breve espaço de beijar.

(ANDRADE, Carlos Drummond de. Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1983)

Nesse poema, o poeta realizou uma opção estilística: a reiteração de determinadas construções e expressões linguísticas, como o uso da mesma conjunção para estabelecer a relação entre as frases. Essa conjunção estabelece, entre as ideias relacionadas, um sentido de:

a) comparação

b) conclusão.

c) oposição.

d) alternância.

e) finalidade.

RESOLUÇÃO: [C] A repetição da conjunção E, que tem função, nesse contexto, de operador argumentativo de oposição, faz da alternativa C aquela que está correta. Para confirmar, podemos substituir a conjunção E por outra também de oposição, tal qual o operador MAS. Nesse caso, teríamos “o mundo é grande MAS cabe / nesta janela” ou ainda “o mar é grande MAS cabe/ na cama e no colchão de amar”. Nos dois casos, é possível perceber que o sentido se mantém e, então, fica como correta a letra C.

Por Me. Fernando Marinho

Você pode se interessar também

Português

Cinco erros de português e como evitá-los

Português

Como escrever um parágrafo?

Português

Orações subordinadas

Português

Textos sem coesão: Entenda como isso pode acontecer!

Últimos artigos

Crise de 1929

A Crise de 1929 foi a maior crise econômica da história dos Estados Unidos e do capitalismo. Foi iniciada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

Retângulo

O retângulo possui quatro lados e todos os ângulos internos medindo 90°. Essa forma geométrica está muito presente no cotidiano, como na face de caixas e nas paredes.

Paralelepípedo

O paralelepípedo é um sólido geométrico que possui todas as faces com paralelogramos. Essa forma pode ser percebida nos prédios e em caixas de sapatos.

Hiena

Hiena é um animal encontrado na África e na Ásia, bastante conhecido por seu hábito de se alimentar de carniça. Existem atualmente três espécies diferentes de hienas.