Qual matéria está procurando ?

História

História

Persas

Os persas eram um povo originário do planalto iraniano e que, a partir de Ciro, formou um dos maiores impérios da Antiguidade. Foram conquistados por Alexandre, o Grande.

Ruínas de Persépolis, uma tradicional cidade do Império Aquemênida. Ruínas de Persépolis, uma tradicional cidade do Império Aquemênida.

Os persas foram um povo da Antiguidade que formou um dos maiores impérios da história entre os séculos VI a.C. e IV a.C. Originaram-se no planalto iraniano e tomaram o controle da região quando Ciro, o Grande liderou uma revolta contra os medos. A partir daí, estabeleceu-se o Império Aquemênida.

O Império Aquemênida possuiu um vasto território que incluiu diferentes regiões, como o Egito, o Levante, a Ásia Menor, a Mesopotâmia e o Vale do Rio Indo. Os persas tinham uma moeda corrente que deu enorme facilidade para as transações comerciais. Entraram em decadência depois do reinado de Xerxes I, sendo conquistado pelos macedônios em 330 a.C.

Leia mais: Mesopotâmia — região do Oriente Médio que abriu algumas das principais civilizações da Antiguidade Oriental

Resumo sobre os persas

  • Os persas foram um povo da Antiguidade originário do planalto iraniano.

  • Conquistaram o domínio do planalto iraniano por meio de uma revolta liderada por Ciro, o Grande.

  • Formaram o Império Aquemênida, um dos maiores e mais prósperos da Antiguidade.

  • Conquistaram um vasto território que se estendia do Egito e Ásia Menor até o Vale do Rio Indo.

  • Seu território era dividido em satrapias, províncias governadas por sátrapas.

  • Foram conquistados pelos macedônios em 330 a.C.

Quem foram os persas?

Os persas foram um povo que habitava o planalto iraniano e foi responsável por um dos maiores impérios da Antiguidade. O Império Persa foi iniciado na liderança de Ciro, o Grande, que destituiu os medos do domínio da região. Isso aconteceu no século VI a.C., e o poderio dos persas se estendeu até o século IV a.C.

Além do grande território, os persas ficaram marcados pela boa administração de seu império, pelo uso da moeda, por um eficiente sistema de estradas e correios, entre outros feitos. Também eram adeptos de uma grande religião monoteísta, o zoroastrismo. Entraram em decadência quando Alexandre, o Grande invadiu seu território.

Características dos persas

  • Cultura dos persas

O grande destaque cultural dos persas foi seu multiculturalismo, pois eles davam grande liberdade para os povos conquistados, permitindo que mantivessem sua cultura e suas tradições. Era exigido desses povos apenas a fidelidade e o pagamento dos impostos.

  • Política dos persas

A administração persa se concentrava na figura do rei, mas havia uma considerável autonomia administrativa no império. Isso porque os persas dividiram o seu território em satrapias, cada qual administrada por um sátrapa. Os sátrapas eram figuras nomeadas diretamente pelo rei e eram responsáveis pela ordem e pelo desenvolvimento de sua satrapia. Eles eram monitorados por espiões dos reis a fim de garantir que não fariam mal uso de sua função.

  • Economia dos persas

A economia persa era marcada pelo uso de uma moeda em todo o domínio do império. Essa moeda era o dárico. Era cunhada de ouro ou prata e deu dinâmica à economia persa, pois era usada nas transações comerciais.

A base da economia persa era a agricultura, e a grande parte da produção era feita pelos camponeses. Os camponeses poderiam trabalhar na sua própria terra mas também eram obrigados a trabalhar nas terras do rei. As boas estradas no interior do Império Persa facilitavam a circulação de mercadorias internamente, e os persas também praticavam o comércio marítimo.

  • Religião dos persas

Originalmente os persas e demais povos do planalto iraniano eram politeístas, acreditando em diferentes deuses, como Ahura Mazda. O aparecimento de um profeta chamado Zoroastro causou profundas transformações na cultura religiosa persa. Esse profeta viveu entre os anos de 1500 a.C. e 1000 a.C. (seu tempo de vida é incerto).

Zoroastro afirmava ter recebido uma revelação divina que lhe trouxe uma nova verdade religiosa. O profeta passou a defender que o único e verdadeiro deus dos persas era Ahura Mazda e que o correto seria que todos seguissem os princípios dessa divindade. Zoroastro defendia que as pessoas deveriam seguir o exemplo de Ahura Mazda e praticar unicamente o bem.

O zoroastrismo se popularizou entre os persas e, no século VI a.C. (período de surgimento do Império Persa), se consolidou como a principal religião. A religião persa se expandiu com o tempo, chegando ao território de partas e sassânidas.

Surgimento dos persas

Os persas são originários do planalto iraniano, no continente asiático, e a presença humana nessa região remonta a mais de 10 mil anos. A ocupação humana no planalto iraniano permitiu que uma série de tribos se estabelecessem. Uma das mais importantes era a tribo dos arianos, formada por diferentes povos, como os partas, os medos, os persas, entre outros.

A coexistência desses povos no planalto iraniano era pacífica, mas, por volta do século VIII a.C., os medos se consolidaram como a forma dominante naquela região. Os medos centralizavam o seu poder na cidade de Ecbátana. Os persas eram uma das tribos que estavam submetidas ao domínio medo.

O domínio medo sobre os persas acabou no século VI a.C., quando uma das tribos que formavam os persas, a tribo Pasárgada, do clã Aquemênida, decidiu liderar uma rebelião contra os medos. O responsável por essa revolta foi Ciro, conhecido como “o Grande”. Em 550 a.C., os persas derrotaram os medos e passaram a dominar o planalto iraniano.

Império Persa

Com a vitória persa, a cidade mais importante do planalto iraniano passou a ser Pasárgada, e de lá formou-se o Império Aquemênida, conhecido como Império Persa. Após a derrota dos medos, povos da região rebelaram-se para conquistar sua autonomia, mas Ciro conseguiu contê-los.

Depois de conter essas revoltas no planalto iraniano, Ciro partiu para conquistar novos territórios, como Sardis, em 546 a.C., e a Babilônia, em 539 a.C. Em 530 a.C., Ciro faleceu, e o trono persa foi ocupado por Cambises, seu filho. No reinado de Cambises II, as expansões persas continuaram, com destaque para a conquista do Egito, em 525 a.C.

Em 522 a.C., Cambises II foi assassinado e o poder foi transmitido para Dario I, rei que expandiu mais ainda as fronteiras do Império Persa. Durante o reinado de Dario I, os persas chegaram à região do Vale do Rio Indo, controlando um território vasto que se estendia do Egito à Índia. Dario I foi um dos reis mais prósperos do Império Persa, implantando uma série de medidas importantes. Caso queira saber mais sobre o Império Persa, leia nosso texto.

  • Videoaula sobre o Império Persa

Decadência dos persas

O reinado de Dario I, no entanto, ficou marcado por uma derrota humilhante. Isso porque, em 499 a.C., os persas tiveram que lidar com uma revolta na Jônia, região culturalmente grega, mas dominada pelos persas. A revolta jônia contou com o apoio ateniense, e o rei persa decidiu realizar uma expedição para punir a cidade de Atenas.

A expedição originou uma guerra que ficou conhecida como Primeira Guerra Médica, oficialmente iniciada em 492 a.C. A esperada vitória persa nesse conflito não veio porque as cidades gregas se uniram contra os invasores persas. Em 490 a.C., os persas foram definitivamente derrotados, na Batalha de Maratona.

A derrota deixou ressentimento nos persas, e uma nova expedição foi organizada, dessa vez com Xerxes I, para invadir a Grécia. A Segunda Guerra Médica se iniciou em 480 a.C. e foi encerrada no ano seguinte, quando os persas acumularam derrotas capitais em Salamina e Plateia. A nova derrota fez com que a Pérsia desistisse de invadir a Grécia.

O reinado de Xerxes I foi o último de grande prosperidade na história persa. Depois que ele morreu, o Império Persa entrou em declínio, sendo impactado pela crise econômica, pela corrupção interna e pela grande quantidade de povos sob o seu controle. Quando o território persa foi invadido pelos macedônios de Alexandre, o Grande, a Pérsia ruiu. Em 330 a.C., o rei Dario III foi morto e o Império Persa foi anexado ao Reino da Macedônia.

Leia mais: Guerras Médicas — conflitos travados entre as cidades-estados gregas e o Império Persa

Localização dos povos persas

Como mencionado, os persas se estabeleceram no planalto iraniano, onde fica a atual República Islâmica do Irã. Expandiram-se, conquistando grande parte do Oriente Médio, a região do Levante, a Ásia Menor, o Egito e foram até as margens do Vale do Rio Indo, na atual Índia.

Exercícios sobre os persas

Questão 01

As províncias que existiam no Império Aquemênida receberam o nome de:

a) polis

b) limes

c) satrapias

d) feudo

e) capitania

Resposta: Letra C

As satrapias eram as províncias que formavam o Império Aquemênida, sendo administradas pelos sátrapas. Essas autoridades deveriam arrecadar os impostos, administrar sua província, cuidar do recrutamento, impedir que revoltas acontecessem etc. Eram monitorados pelo rei para evitar a corrupção, comum nas satrapias.

Questão 02

O Império Aquemênida ruiu quando foi conquistado por:

a) assírios

b) macedônios

c) elamitas

d) medos

e) hititas

Resposta: Letra B

O Império Aquemênida foi conquistado pelos macedônios, liderados por Alexandre, o Grande. Os macedônios invadiram as terras persas em 334 a.C., consolidando sua conquista em 330 a.C., quando Dario III foi morto.

Fontes

DAVIDSON, Peter. Achaemenid Empire. Disponível em: https://www.worldhistory.org/Achaemenid_Empire/

MARK, Joshua J. Mark. Ten ancient Persia facts you need to know. Disponível em: https://www.worldhistory.org/article/1606/ten-ancient-persia-facts-you-need-to-know/

MARK, Joshua J. Mark. Ancient persian culture. Disponível em: https://www.worldhistory.org/Ancient_Persian_Culture/

MARK, Joshua J. Zoroastrianism. Disponível em: https://www.worldhistory.org/zoroastrianism/

MOSSÉ, Claude. Alexandre, o Grande. São Paulo: Estação Liberdade, 2004.

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

História

Alexandre e o Reino da Macedônia

História

Alexandre, o Grande

História

Atenas

História

Civilização hebraica

Últimos artigos

Folclore brasileiro

O folclore brasileiro é o rico conjunto de manifestações de nossa cultura. Mitos, lendas, danças, músicas, brincadeiras e festas populares fazem parte dele.

El Niño

O El Niño é um fenômeno descrito pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico, provocando chuvas volumosas no Sul do Brasil e secas severas no Norte e no Nordeste.

Bicho-papão

Bicho-papão é uma lenda presente no folclore brasileiro que fala de um monstro que sequestra e devora crianças desobedientes. Foi influência portuguesa em nossa cultura.

Queda da Bastilha

A queda da Bastilha foi um acontecimento marcante que se passou em 14 de julho de 1789, marcando o início da Revolução Francesa.