Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Rotação de culturas

A rotação de culturas corresponde a uma técnica agrícola que planeja o cultivo com alternância planejada de culturas em uma mesma área por um período determinado.

A rotação de culturas corresponde a uma técnica praticada na agricultura a fim de promover a conservação do solo. A rotação de culturas corresponde a uma técnica praticada na agricultura a fim de promover a conservação do solo.

Rotação de culturas é uma prática agrícola que consiste em alternar culturas distintas em uma área destinada ao cultivo. A escolha das espécies é planejada, bem como a sua alternância. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), essa técnica diminui a vulnerabilidade criada pelo monocultivo, ou seja, o cultivo de uma única espécie, sendo, portanto, ambientalmente autossustentável.

Objetivo da rotação de culturas

O principal objetivo da rotação de culturas é promover a conservação e preservação do solo. Ao escolher diferentes espécies para serem alternadas, os sistemas radiculares particulares a cada uma acabam por amenizar os efeitos da compactação do solo, visto que cada uma exige um tipo diferente de nutriente, diminuindo, então, a exaustão do solo.

Leia também: Tipos de solo no Brasil

Escolha das espécies

As espécies selecionadas para a rotação de culturas devem apresentar propósito comercial e de recuperação do solo. Essa escolha, além de seguir esse critério, precisa também de:

  1. Gerar fitomassa (massa dos seres vivos que habitam uma determinada superfície) suficiente para que amenize os processos erosivos e diminua também as oscilações de temperatura;

  2. Promover a redução da perda de água por evapotranspiração;

  3. Garantir condições favoráveis ao solo com o objetivo de reduzir a ação de pragas e doenças;

  4. Possuir exigências nutricionais e aproveitamento nutritivo diferente entre uma espécie e outra.

De acordo com a Embrapa, a escolha das espécies também está relacionada com as características e condições ambientais da área de cultivo, seja clima, tipo de solo, entre outras.

Rotação de culturas e a agricultura


A rotação de culturas representa para a agricultura uma alternativa sustentável de produção.

A rotação de culturas é uma alternativa a uma das práticas mais comuns na agricultura, especialmente no Brasil, a monocultura. O cultivo de uma única espécie em uma determinada área provoca a exaustão do solo e favorece o ciclo de pragas, fazendo com que áreas tornem-se inutilizáveis e possibilitando possíveis danos à plantação e consequentemente colocando em risco a produtividade.

Leia mais: Clima e agricultura

Assim, alternar espécies em uma determinada área torna-se uma prática que provoca menos impactos ambientais negativos, bem como favorece a produção. A rotação de culturas, segundo a Embrapa, é aliada do Sistema de Plantio Direto.

De acordo com a empresa, esse sistema consiste em fazer o plantio de uma determinada espécie diretamente sobre a palhada da espécie cultivada anteriormente. Essa prática, portanto, não realiza as etapas do preparo habitual como a aração (técnica de inversão das camadas do solo) e a gradagem (etapa realizada após a aração do solo que consiste em romper os torrões deixados pelo processo de aração, fazendo com que o solo fique plano).

Assim, a alternância de culturas juntamente com o Sistema de Plantio Direto diminui o impacto provocado pelo escoamento superficial da água, mantém a temperatura do solo e conserva a umidade do mesmo.

Benefícios


Rotacionar culturas em uma mesma área evita a compactação do solo e aumenta a produtividade.

A rotação de culturas além de proporcionar a produção diversificada, é uma importante estratégia para uma produção agrícola sustentável. São inúmeros os seus benefícios. O primeiro deles é a conservação do solo, permitindo que a área mantenha-se propícia ao cultivo por bastante tempo.

Evita-se a compactação e a exaustão nutricional dele. Ao se evitar a possível compactação do solo, há melhor infiltração da água pelos poros presentes no solo, favorecendo o aumento da atividade biológica.

Saiba também: Agrotóxicos: o que são, tipos, vantagens e desvantagens

Essa técnica também atua de forma positiva no controle de pragas, doenças e ervas daninhas, evitando maiores danos à plantação e garantindo, então, uma melhor produtividade. Isso é possível porque as espécies possuem suscetibilidade e resistência diferentes à pragas. Assim há também menor custo com pesticidas. É válido ressaltar que essa técnica deve ser empregada como uma forma de prevenção e não de remediação.

Desvantagens

A técnica de rotação de culturas apesar dos inúmeros benefícios apresenta algumas desvantagens como:

  • Sua realização exige um planejamento estratégico dificultoso, pensando não só na escolha das espécies, mas também nas condições ambientais da área e no propósito comercial.

  • Há, muitas vezes, maior necessidade de investimentos, especialmente em maquinário.

  • A mecanização exige uma boa gestão do trabalho.

  • Geralmente, há maior dificuldade de se conseguir créditos e investimentos quando a cultura escolhida é de menor expressão no mercado.

Sucessão de culturas x rotação de culturas

Diferente da rotação de culturas que alterna as espécies em uma área de forma planejada, a sucessão de culturas representa uma técnica em que duas ou mais espécies são cultivadas em sequência, também em uma mesma área em um determinado período. A sucessão de culturas não leva em conta a família botânica da espécie.

Exemplo: cultiva-se em sequência milho-trigo-milho

Essa prática pode ocasionar degradação física, química e biológica do solo, influenciando a produtividade e também favorecendo o ciclo de pragas e doenças.

Por Rafaela Sousa

Você pode se interessar também

Geografia

Agricultura

Geografia

O Solo e as Plantações

Geografia

Solo | Ensino Fundamental I

Geografia

Sustentabilidade

Últimos artigos

Nomadismo

O nomadismo é um estilo de vida em que os seres humanos não possuem residência em um local fixo, mudando-se de tempos em tempos de acordo com sua necessidade.

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.