Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Regiões do Brasil

As regiões do Brasil são, hoje, definidas pelo IBGE. O Brasil possui cinco regiões: Norte, Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, todas repletas de particularidades.

As regiões do Brasil são recortes territoriais repletos de particularidades que levam em conta aspectos econômicos, sociais, políticos, culturais e físicos. Muitas foram as divisões regionais feitas no Brasil pelo órgão responsável, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Atualmente, a regionalização vigente é a de 1970 (a qual sofreu alterações após a Constituição de 1988), que divide o Brasil em cinco regiões:

  1. Norte
  2. Nordeste
  3. Centro-Oeste
  4. Sudeste
  5. Sul

Leia também: Mapa do Brasil: mapa político, mapa para colorir e muito mais

Estados e capitais das regiões do Brasil

→ Estados e capitais da Região Norte

Estado

Capital

Amazonas

Manaus

Acre

Rio Branco

Rondônia

Porto Velho

Roraima

Boa Vista

Amapá

Macapá

Pará

Belém

Tocantins

Palmas

→ Estados e capitais da Região Nordeste 

Estado

Capital

Maranhão

São Luís

Piauí

Teresina

Rio Grande do Norte

Natal

Ceará

Fortaleza

Paraíba

João Pessoa

Bahia

Salvador

Pernambuco

Recife

Alagoas

Maceió

Sergipe

Aracaju

→ Estados e capitais da Região Centro-Oeste

Estado

Capital

Goiás

Goiânia

Mato Grosso

Cuiabá

Mato Grosso do Sul

Campo Grande

 

Distrito Federal

Brasília (Sede de Governo)

→ Estados e capitais da Região Sudeste

Estado

Capital

Minas Gerais

Belo Horizonte

Espírito Santo

Vitória

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

São Paulo

São Paulo

→ Estados e capitais da Região Sul

Estado

Capital

Santa Catarina

Florianópolis

Paraná

Curitiba

Rio Grande do Sul

Porto Alegre

 


Mapa das regiões do Brasil e com a divisão das unidades federativas.

Características das regiões do Brasil

1. Região Norte


Manaus é a capital do maior estado da região Norte, o Amazonas. *

A região Norte é, em termos de extensão, a maior região do Brasil, com uma área de, aproximadamente, 3.853.676,948 km², constituída por sete estados.

  • Aspectos sociais: Essa região possui uma população que ultrapassa os 18 milhões habitantes, segundo o IBGE. Apesar do grande número populacional, devido a sua extensão territorial, a região possui baixa densidade demográfica, 4,72 hab/km2.
  • Aspectos físicos: Predomina na região o clima equatorial e, em algumas localidades, o clima tropical. Em sua maior parte, a umidade do ar é elevada, devido à abundância de chuvas em algumas partes da região. Nessa região, encontra-se a maior bacia hidrográfica do mundo, a bacia do Rio Amazonas, e também o ponto mais alto do Brasil, o Pico da Neblina. Podemos encontrar, nessa região, as planícies amazônicas, o planalto das Guianas e o planalto central. No que tange à vegetação, nessa região encontra-se a maior floresta tropical do planeta: a Floresta Amazônica.
  • Aspectos econômicos: O Produto Interno Bruto da região representa cerca de 5,3% do PIB nacional, segundo levantamento do IBGE. A economia baseia-se nas indústrias de extrativismo mineral e vegetal, no setor agropecuário e também no turismo.

3. Região Nordeste


Salvador é a capital do estado da Bahia, uma das cidades que mais atraem turistas na região Nordeste.

A região Nordeste é a terceira maior do Brasil, com uma área de, aproximadamente, 1.544.291 km2, constituída por nove estados, sendo, portanto, a região com maior número de unidades federativas.

  • Aspectos sociais: A região Nordeste é a segunda região com o maior número de habitantes. A população ultrapassa os 56 milhões de habitantes, segundo o IBGE. A densidade demográfica é de 36,39 hab/km2. Essa é a região com os menores indicadores sociais, portanto, a que mais enfrenta problemas de ordem social.
  • Aspectos físicos: O Nordeste possui a maior costa litorânea do país, e, por apresentar sub-regiões com características muitas distintas, nele podemos encontrar estes climas: semiárido, equatorial úmido, litorâneo úmido e tropical. Em muitas áreas, as temperaturas são elevadas durante todo o ano. Em contrapartida, as médias pluviométricas são baixas em diversas áreas, fazendo com que boa parte da população da região conviva com a seca extrema. A vegetação é representada pela Caatinga, Mata Atlântica, Cerrado e outros tipos de vegetações.
  • Aspectos econômicos: O Nordeste detém o terceiro maior PIB do país e, portanto, a terceira maior economia, representando cerca de 13,4% do PIB nacional. O turismo é um dos principais impulsionadores da economia nordestina. A região atrai muitos turistas durante todo o ano, devido às suas paisagens belíssimas.

3. Região Centro-Oeste


Goiânia é a capital do estado de Goiás e está localizada no coração do Brasil.

A região Centro-Oeste é a segunda maior região do país quando o critério é extensão territorial. Sua área é de, aproximadamente, 1.606.403 km², e é constituída de três estados.

  • Aspectos sociais: A região Centro-Oeste é a menos populosa dentre as regiões. Conta com um pouco mais de 16 milhões de habitantes. É a segunda menor densidade demográfica do país, ficando atrás apenas da região Norte, com 10,01 hab/km2.
  • Aspectos físicos: Dentre as regiões, é a única que não possui litoral. O clima predominante na região é o tropical, marcado por duas estações bem definidas: o inverno seco e o verão chuvoso. Essa região é considerada o berço das águas no país, pois nela encontram-se nascentes de muitos e importantes rios brasileiros. Apresenta formações vegetais distintas, por ser a região com maior quantidade de contatos biogeográficos. Podemos encontrar, no Centro-Oeste, os biomas: Cerrado, Pantanal e Amazônia.
  • Aspectos econômicos: A economia da região é baseada, especialmente, nas atividades agropecuárias e no extrativismo. Destacam-se a produção de soja, milho, arroz, algodão, bem como a criação de gado (pecuária extensiva, predominantemente). O turismo em algumas partes da região também impulsiona a economia. Na região, há presença de exuberantes chapadas, com muitas cachoeiras, como a Chapada dos Veadeiros e a Chapada dos Guimarães.

4. Região Sudeste


Rio de Janeiro é uma das cidades mais conhecidas e visitadas do país, e também capital do estado do Rio de Janeiro.

A Região Sudeste, em extensão territorial, é a segunda menor do país, atrás apenas da região Sul. Abrange uma área de, aproximadamente, 924.620 km2, e é composta por quatro estados, dois deles considerados os mais representativos do Brasil, no que tange ao desenvolvimento, São Paulo e Rio de Janeiro.

  • Aspectos sociais: É a região mais populosa do Brasil, com uma população que ultrapassa 85 milhões de habitantes, correspondendo a, aproximadamente, 44% da população do país. Considerada uma das regiões que mais atraem migrantes, essa é região com maior densidade demográfica, 92,05 hab/km2.
  • Aspectos físicos: O Sudeste do Brasil abrange, predominantemente, os climas: tropical atlântico e tropical de altitude, além de subtropical e semiárido, em algumas partes. O relevo é composto por serras, planaltos e planícies costeiras. A vegetação também é bastante diversa e conta com formações como a Mata Atlântica, o Cerrado e a Caatinga. No que tange à hidrografia, nessa região há predomínio dos rios de planalto.
  • Aspectos econômicos: É considerada a região mais desenvolvida do país, correspondendo a 55,2% do PIB nacional. É, portanto, a região de maior destaque industrial, comercial e financeiro do Brasil. Por representar oportunidades de trabalho, essa região enfrenta problemas como a favelização e superpopulação. Há destaque para indústrias de automóveis, petrolíferas e siderúrgicas.

5. Região Sul


Florianópolis é a capital do estado de Santa Catarina, um dos três estados da Região Sul.

A Região Sul é menor região em extensão territorial do país, com uma área de, aproximadamente, 576.774 km2. Difere-se das demais regiões, especialmente, pela colonização predominantemente europeia nela feita. Essa região é formada por três estados.

  • Aspectos sociais: É a terceira região mais populosa do país, contando com mais de 29 milhões de habitantes, cerca de 14,3% da população brasileira. A densidade demográfica é de 47,59 hab/km2. É a região com os melhores indicadores sociais de saúde e educação.
  • Aspectos físicos: A região localiza-se abaixo da zona tropical. O clima predominante é o subtropical. O sul do Brasil apresenta as estações do ano bem definidas, com invernos frios e verões quentes. Nessa região, ocorrem geadas na estação fria, o que, normalmente, não é visto nas demais regiões do país. As chuvas são bem distribuídas ao longo do ano. A maioria dos rios da região são de planaltos que constituem a bacia do Rio Uruguai e a bacia do Rio Paraná.
  • Aspectos econômicos: A região é a segunda região do país, em termos de riqueza medidos pelo PIB, e a segunda mais industrializada. A economia baseia-se em atividades, como: o extrativismo vegetal, especialmente praticado na Mata das Araucárias; a agricultura, com destaque para a uva, o feijão e o milho; e a pecuária, voltada à indústria de laticínios e à criação de suínos. Um dos maiores atrativos turísticos da região é o Parque Nacional do Iguaçu, no estado do Paraná. 

Mapa das regiões do Brasil


Mapa das regiões do Brasil, segundo a regionalização do IBGE.

* Créditos de imagem: A.PAES. / Shutterstock

O Brasil é dividido em cinco regiões, segundo a regionalização do IBGE. O Brasil é dividido em cinco regiões, segundo a regionalização do IBGE.
Por Rafaela Sousa

Você pode se interessar também

Geografia

Caatinga

Geografia

Floresta Amazônica

Geografia

Cerrado

Geografia

Bioma Pantanal

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.