Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Desertos

Você sabe o que são os desertos? Conhece as suas principais características? Clique e saiba mais sobre essa interessante paisagem geográfica!

O deserto é uma área com pouca existência de vida O deserto é uma área com pouca existência de vida

Os desertos são regiões do nosso planeta onde não costuma chover muito. Para você ter uma ideia, a média de pluviosidade (chuva) do deserto é de 250 mm anuais, enquanto na Amazônia, por exemplo, chove uma quantidade próxima dos 2500 mm por ano. É muita diferença!

Estamos acostumados a pensar nos desertos sempre como lugares muito quentes e áridos, não é mesmo? Mas isso nem sempre é verdade, pois os desertos podem apresentar temperaturas medianas, como o Deserto do Gobi, na China, e outros podem ser verdadeiras coberturas de gelo, a exemplo da Antárdida, que é considerada o maior deserto do mundo. São os chamados desertos frios.

No caso dos desertos quentes, o maior e mais conhecido em todo o mundo é o Saara, localizado no continente africano. O Saara possui aproximadamente nove milhões de quilômetros quadrados, uma área maior que a do território brasileiro. Além disso, ele está ficando maior, pois as atividades de exploração da natureza nas áreas ao seu redor estão fazendo com que o solo fique desprotegido e com que o espaço do deserto aumente.

Os desertos quentes (aqueles mais secos e onde faz mais calor) não são quentes o tempo inteiro. É que a falta de umidade do ar dificulta a conservação do calor emitido durante o dia, por isso as noites ficam mais frias. Para piorar, a areia é um elemento que perde e ganha calor muito rápido (já reparou que durante o dia a areia das praias fica quente e queima nossos pés?). Por essa razão, durante o dia, as temperaturas alcançam os 50ºC, mas, à noite, os termômetros registram, em alguns casos, até -10ºC!

As condições extremas dos desertos, sobretudo os quentes, fazem com que eles não sejam muito habitados. Mas mesmo assim existem algumas espécies, principalmente de vegetais, que resistem bravamente a essas situações ruins. Os cactos, por exemplo, por serem plantas xerófilas (que se adaptam à seca e à umidade), possuem a incrível habilidade de conservar água dentro de si, além de não terem folhas, reduzindo a transpiração. Alguns animais, como pequenos répteis, também conseguem sobreviver em alguns desertos.

Existe um deserto conhecido por ser muito “traiçoeiro”, é o deserto do Kalahari, no sul da África. Nele, durante cerca de três meses, chove um pouco e a paisagem rapidamente se modifica, formando pequenos lagos e algumas árvores e matas. Por esse motivo, pessoas e animais desavisados podem achar que lá há muitos recursos. No entanto, de repente, a seca apresenta-se e toda aquela bela paisagem transforma-se, ganhando os contornos típicos dos desertos quentes, com pouca comida e água. Mesmo assim, existem povos nativos que conseguem viver nesse lugar, pois estão acostumados a ele.

Os desertos, apesar de gerarem medo nas pessoas, são áreas naturais e muito bonitas. No entanto, as regiões em seu entorno precisam ser mais bem conservadas, pois eles estão se expandindo em alguns lugares do mundo, prejudicando os solos e as práticas econômicas e sociais das pessoas que vivem nessas localidades.


Por Me. Rodolfo Alves Pena

Por Rodolfo F. Alves Pena

Você pode se interessar também

Geografia

A Vegetação

Ciências

Biosfera

Ciências

Camelos

Geografia

Desertificação

Últimos artigos

Cerebelo

Cerebelo é uma parte do encéfalo e está relacionado, entre outras funções, com a manutenção do nosso equilíbrio, postura e ajuste dos movimentos corporais.

Tríplice Aliança

Tríplice Aliança foi um acordo militar assinado, em maio de 1882, por Alemanha, Áustria-Hungria e Itália, que procuravam se proteger de França e Rússia principalmente.

Raposa

Raposa é um nome popular usado para se referir a alguns representantes da família Canidae, a mesma família dos cães e lobos. São animais onívoros e geralmente solitários.

Aranha-armadeira

Aranha-armadeira pode ser encontrada em todo território brasileiro. Recebe essa denominação devido à posição que assume quando se sente ameaçada.