Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Noradrenalina

A noradrenalina ou norepinefrina atua como hormônio e neurotransmissor. Entre suas funções, podemos destacar a ação vasodilatadora e a degradação do glicogênio em glicose.

A noradrenalina é um hormônio da família de catecolaminas e atua também como um neurotransmissor do sistema nervoso autônomo. A noradrenalina é um hormônio da família de catecolaminas e atua também como um neurotransmissor do sistema nervoso autônomo.

A noradrenalina ou norepinefrina é um hormônio da família de catecolaminas, também conhecidas como aminas biogênicas, atuando também como neurotransmissor do sistema nervoso autônomo. Entre suas funções, podemos destacar a degradação do glicogênio em glicose, aumentando, assim, a glicemia, e sua ação vasodilatadora. Além disso, está relacionada também ao controle de ansiedade e ao aprendizado.

Saiba mais: Leia mais sobre este outro hormônio que também age sobre a glicose

Para que serve a noradrenalina?

Como dito anteriormente, a noradrenalina atua de duas maneiras no organismo, como hormônio e neurotransmissor.

Hormônio

A noradrenalina é sintetizada pela glândula suprarrenal e suas ações estão relacionadas ao auxílio da resposta do organismo diante de estresse de curta duração. Entre essas ações, podemos destacar o aumento do nível de glicose no sangue, devido à quebra de glicogênio no fígado e músculos esqueléticos.

Atua também sobre o sistema cardiovascular, aumentando, por exemplo, o fluxo sanguíneo. Além disso, atuam no sistema respiratório, dilatando os bronquíolos e aumentando a concentração de oxigênio no sangue.

Neurotransmissor

A noradrenalina também pode ser sintetizada no sistema nervoso, a partir do aminoácido tirosina, e tem ação excitatória sobre o sistema nervoso autônomo (responsável pelo controle da musculatura lisa e cardíaca, controle, geralmente, involuntário).

Além disso, sua ação também está relacionada à atenção, à memória, à aprendizagem, ao controle de ansiedade, entre outros.

Leia mais: Conheça essa importante glândula do corpo humano

Noradrenalina vasodilatador e UTI

Como dito anteriormente, a noradrenalina também atua sobre o sistema cardiovascular, apresentando ação vasoconstritora e auxiliando na modulação da pressão.

Assim, a noradrenalina passou a ser utilizada também em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), no tratamento de pacientes em choque séptico. O choque séptico está associado a alterações como a hipotensão, alterações no fluxo sanguíneo em determinadas regiões, como rins, entre outros.


O excesso de noradrenalina está associado à mania, umas das formas típicas do transtorno bipolar.

Noradrenalina e adrenalina

A adrenalina ou epinefrina, assim como a noradrenalina, também pertence à família das catecolaminas e atua como neurotransmissora e hormônio. A adrenalina também é sintetizada pela glândula suprarrenal.

É possível ocorrer a conversão de noradrenalina em adrenalina. Junto com a noradrenalina, a adrenalina atua na produção de resposta rápida do organismo diante de situações de estresse.

Uma das principais formas de ação é aumentando a quantidade de energia química para utilização imediata perante essas situações de estresse. Além disso, elas também atuam no sistema cardiovascular (aumento da pressão sanguínea e alterações no padrão de fluxo sanguíneo), no sistema respiratório (aumento da taxa respiratória), entre outros.

Síntese de noradrenalina - Alterações

Alterações na síntese de neurotransmissores estão relacionadas à diversas doenças neurológicas. A seguir descreveremos algumas destas alterações relacionadas a síntese de noradrenalina.

Excesso de noradrenalina

O excesso de noradrenalina está associado à mania. A mania é uma das formas típicas do transtorno bipolar. O transtorno bipolar caracteriza-se principalmente por alterações significativas de humor, variando entre períodos de depressão e humor elevado, além de estar associados a outros sintomas específicos.

A mania é o oposto da fase depressiva e é caracterizada pelo humor expansivo, pensamento acelerado, podendo apresentar também delírios, alterações de sono, entre outros sintomas.

A mania, assim, como a depressão, deve ser tratada de forma adequada, pois podem afetar significativamente a vida do indivíduo. É importante destacar que a mania pode levar a um quadro incapacitante.

Noradrenalina baixa

A escassez de noradrenalina está relacionada, por exemplo, a quadros de depressão profunda. A depressão não é apenas uma tristeza ou se sentir mal após um acontecimento ruim. Depressão não é frescura!

A depressão é caracterizada por sintomas como:

  • estado depressivo, ou seja, o indivíduo sente-se deprimido a maior parte do tempo;

  • falta de interesse em realizar as atividades de rotina;

  • dificuldade de concentração;

  • sensação de inutilidade ou culpa excessiva;

  • cansaço excessivo;

  • distúrbios do sono;

  • perda ou ganho significativo de peso;

  • pensamentos recorrentes sobre morte, entre outros.

Quanto maior a quantidade de sintomas apresentados, maior o grau de depressão. A depressão deve ser diagnosticada por um profissional de saúde qualificado e devidamente tratada.

Os medicamentos utilizados no tratamento, quando necessários, atuam aumentando as aminas biogênicas no cérebro, além de bloqueando o reaproveitamento da noradrenalina através da membrana sináptica, levando a um acúmulo nas regiões pós-sinápticas.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Depressão

Ciências

Hormônios

Ciências

Sistema cardiovascular

Ciências

Sistema endócrino

Últimos artigos

Presidente da república

Presidente da república é a autoridade máxima em nosso país. É eleito(a) por meio do voto popular para um mandato de quatro anos.

Porquinho-da-índia

O porquinho-da-índia é um mamífero roedor que possui corpo pequeno e orelhas curtas. Ele pode ser criado como animal de estimação.

Escambo

O escambo é uma modalidade de transação que foi muito comum na Antiguidade. Por meio desse acordo, realiza-se a troca de mercadorias ou serviços.

Nucleotídeo

O nucleotídeo é a subunidade que forma o DNA e o RNA. Cada nucleotídeo é constituído por um grupo fosfato, uma pentose e uma base nitrogenada.