Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Colocação pronominal

A colocação pronominal faz referência à colocação do pronome oblíquo átono na oração.

Antes de darmos início à nossa discussão, torna-se necessário e importante fazermos uma perguntinha a você: lembra-se dos pronomes oblíquos, os quais já estudamos? Caso tenha se esquecido, relembre-os por meio do texto “Os pronomes oblíquos e suas funções”. Agora sim, tudo se tornará mais fácil, pois o que aprenderemos aqui é exatamente a maneira como eles são colocados na oração, por isso o nome “colocação pronominal” – sempre lembrando que somente ocorre com os pronomes átonos (representados pelos pronomes me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes). Existem três maneiras básicas de eles aparecerem: antes do verbo, no meio e depois dele, cujas posições recebem nomes específicos.

Dessa forma, começaremos pela primeira posição, aquela em que o pronome fica antes do verbo, também chamada de próclise. Assim, devemos usá-la nas seguintes circunstâncias:


A colocação pronominal se refere à posição em que o pronome oblíquo se encontra na oração

* Com verbos modificados por advérbios, sendo que esses advérbios sempre aparecem antes dos verbos:

Nunca os vi passeando por aqui.
Temos que “nunca” representa um advérbio de negação.

Sempre a considerei uma garota muito educada.
Percebemos que “sempre” se classifica como advérbio de tempo.

* Em orações iniciadas por pronomes indefinidos ou pronomes demonstrativos:

Aquela brincadeira de mau gosto a incomodava bastante.
Temos que “aquela” representa um pronome demonstrativo.

Tudo a deixava contente.
“Tudo” se classifica como um pronome indefinido.

* Em orações interrogativas iniciadas por pronomes ou advérbios interrogativos:

Que me custa ajudar a querida professora?
Como você a trouxe de volta?

* Em orações exclamativas iniciadas por pronomes ou advérbios exclamativos:

Quantas vezes a cumprimentei pelo esforço e dedicação!
Quanto nos faz bem ajudar a quem precisa!

* Nas orações optativas, ou seja, aquelas que expressam desejo por algo, uma vez que o sujeito se encontra antes do verbo:

Deus o abençoe, meu amigo!

* Diante do verbo expresso no gerúndio (uma das formas nominais), acompanhado da preposição “em”:

Em se tratando da língua escrita, precisamos utilizar nossos conhecimentos.

* Com o verbo no infinitivo pessoal (flexionado ou não) acompanhado de alguma preposição:

Obrigada por me respeitar tanto assim.

Percebemos que “por” é uma preposição e “respeitar” se encontra no infinitivo (verbo na forma original).

Vejamos como se usa a ênclise (quando o pronome se encontra depois do verbo):

* Com verbos no início da oração, desde que não estejam no futuro do indicativo:

Custa-me não ir ao cinema com vocês.
Lembro-me daquele passeio inesquecível.

* Com verbo no imperativo afirmativo:

Diga-me toda a verdade.
Ofereça-lhe todos os presentes que chegaram.

* Em orações interrogativas iniciadas por palavras interrogativas, com o verbo no infinitivo pessoal (aquele que não é flexionado):

Por que acompanhar-me nesta caminhada?

Como utilizar a mesóclise (pronome no meio do verbo):

A mesóclise não é uma forma que utilizamos muito no nosso cotidiano, pois está mais presente na linguagem literária, mas mesmo assim devemos conhecer suas características. Ela é usada somente em dois casos:

- Com verbos no futuro do pretérito:

Oferecer-vos-ia uma grande ajuda. Temos que a terminação “-ia” faz referência ao tempo verbal já expresso anteriormente (futuro do pretérito).

- Com verbos no futuro do presente:

Parabenizar-lhes-ei pela vitória conquistada. Constatamos que a terminação “-ei” diz respeito ao futuro do presente.

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto:

Colocação pronominal diz respeito à colocação do pronome oblíquo átono na oração Colocação pronominal diz respeito à colocação do pronome oblíquo átono na oração
Por Escola Kids

Você pode se interessar também

Português

Para eu ou para mim?

Português

Uso dos pronomes oblíquos

Português

Você concluiu seu texto... é hora de revisá-lo

Português

Aprendendo a escrever corretamente

Últimos artigos

Dízima periódica

Uma dízima periódica é um número que possui sua parte decimal infinita e periódica

Período Helenístico

Período Helenístico foi iniciado com a conquista da Grécia pelos macedônicos e ficou marcado pela difusão da cultura grega a partir do reinado de Alexandre, o Grande.

Império Carolíngio

Império Carolíngio foi a continuidade do Reino dos Francos sob o controle da Dinastia Carolíngia, iniciada por Pepino, o Breve em meados do século VII.

Civilização Micênica

Civilização Micênica foi uma das grandes civilizações do período de formação do povo grego, conhecida por suas grandes cidades fortificadas e pelo seu bom comércio.