Mudanças climáticas

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Mudanças climáticas As mudanças climáticas têm alterado o clima em todo o planeta, provocando mudanças no ciclo da água e aumento da seca.
Por Rafaela Sousa
PUBLICIDADE

Mudanças climáticas são alterações provocadas no clima a partir de mudanças nas temperaturas médias globais, nos regimes de chuva e na cobertura vegetal. Essas transformações podem ser de ordem natural, como os fenômenos atmosféricos que ocorrem no interior do planeta, ou por meio da ação antrópica (atividades humanas).

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), organização criada pelas Nações Unidas, refere-se às mudanças climáticas como a variação do clima a longo prazo analisada estatisticamente segundo fenômenos da atmosfera, como temperatura, chuva e ventos. O objetivo desse órgão é apresentar o conhecimento sobre as mudanças climáticas e seus possíveis impactos ambientais, focando, especialmente, no aquecimento global.

Leia também: A diferença entre tempo e clima

Causas das mudanças climáticas

As mudanças climáticas podem ter origem natural ou antrópica, ou seja, provocada pela ação humana. Se originadas naturalmente, podem ser internas, advindas de processos que ocorrem no interior da Terra, ou externas, como a variação da energia solar. Uma das atividades humanas que desencadearam as mudanças climáticas são as atividades industriais, que liberam gases poluentes e de efeito estufa à atmosfera.

Causas naturais

Causas antrópicas

Atividade solar: variação da radiação solar, que não chega à Terra de maneira uniforme.

Emissão de gases de efeito estufa, principalmente de dióxido de carbono.

Variação orbital: elevação ou redução da radiação solar em decorrência de alterações no movimento da Terra em relação ao Sol.

Desmatamento da cobertura vegetal para fins agropecuários.

El Niño e La Niña: representam alterações na temperatura média das águas do Pacífico.

Queima de combustíveis fósseis nas indústrias.

Vulcanismo: as erupções vulcânicas emitem partículas que refletem a luz solar, impedindo que chegue à superfície. Dessa forma, ocorre o resfriamento do sistema climático da Terra.

Poluição atmosférica.

Efeito estufa, aquecimento global e mudanças climáticas

O agravamento do efeito estufa tem provocado o aumento das temperaturas médias do planeta, fenômeno conhecido como aquecimento global.
O agravamento do efeito estufa tem provocado o aumento das temperaturas médias do planeta, fenômeno conhecido como aquecimento global.

Há outros fatores que provocam mudanças no clima do planeta. O efeito estufa, fenômeno natural responsável por manter as temperaturas médias da Terra e, consequentemente, torná-la habitável, tem-se agravado em virtude de ações humanas, como atividades industriais e agropecuárias que emitem gases de efeito estufa à atmosfera. O agravamento desse fenômeno provoca o aumento das temperaturas, visto que os gases impedem que a radiação solar irradiada pela superfície terrestre seja dispersa.

O aumento anormal das temperaturas do planeta, provocado principalmente pelas ações humanas, é conhecido como aquecimento global. Nos últimos cem anos, segundo o IPCC, a temperatura média da Terra aumentou cerca de 0,74º C. Se esse aumento não for contido, a Terra poderá ter uma elevação entre 2º C e 5,8º C em sua temperatura. O aquecimento global, portanto, tem provocado diversas alterações climáticas. É válido lembrar que a comunidade científica não é unânime em relação a esse assunto, pois muitos acreditam que essas mudanças são naturais e não estão relacionadas à atividade humana.

Além do aumento das temperaturas, as principais mudanças no clima da Terra têm como consequências:

→ Elevação do nível dos oceanos;

→ Derretimento das calotas polares;

→ Alterações no regime de chuvas, cada vez mais escassas;

→ Aumento dos períodos de seca;

→ Falta de água e aumento de conflitos por recursos naturais;

→ Extinção de espécies;

→ Agravamento de problemas de saúde.

Consequências das mudanças climáticas

O derretimento das calotas polares é uma das consequências das mudanças climáticas.
O derretimento das calotas polares é uma das consequências das mudanças climáticas.

É natural que o clima mude ao longo do tempo em decorrência de fenômenos naturais. No entanto, nas últimas décadas, essas mudanças têm sido observadas em um espaço menor de tempo e de maneira mais intensa, sendo atribuídas, principalmente, às ações humanas. As principais consequências das mudanças climáticas no mundo são:

  1. Alterações nos ciclos da água.

  2. Intensificação dos eventos climáticos, como aumento de tempestades, furacões e enchentes.

  3. Períodos prolongados de seca.

  4. Elevação do nível dos mares e oceanos.

  5. Impactos na agricultura em decorrência de alterações nas condições naturais em áreas agricultáveis, dificultando a produção.

  6. Alterações nos regimes pluviométricos, provocando secas extremas em alguns lugares e intensas enchentes em outros.

  7. Agravamento de problemas de saúde, alterando o bem-estar da população, visto que as mudanças climáticas podem contribuir para a disseminação de doenças.

  8. Desequilíbrio ecológico e extinção de espécies.

Quais são as consequências das mudanças climáticas para os seres vivos?

As mudanças climáticas têm provocado redução do regime de chuvas e secas extremas, afetando o equilíbrio ecológico terrestre e aquático.
As mudanças climáticas têm provocado redução do regime de chuvas e secas extremas, afetando o equilíbrio ecológico terrestre e aquático.

Segundo a revista Science, grande parte dos seres vivos já foi afetada pelas mudanças climáticas, especialmente pelo aquecimento global. Pesquisadores norte-americanos constataram que cerca de 82% dos processos ecológicos (diversidade genética e processos migratórios) já sofreram alterações em decorrência do aumento anormal das temperaturas. Espécies têm sofrido mudanças genéticas, com alterações em suas características físicas. Além disso, mudanças em seus processos migratórios têm levado esses animais a deslocarem-se para locais antes nunca explorados.

Boa parte das espécies no mundo todo tem sofrido processos evolutivos a fim de adaptar-se às novas condições climáticas. Nos humanos, as alterações poderão ocorrer por meio de surtos de doenças e do risco da segurança alimentar. Já as espécies de plantas poderão ser afetadas caso não consigam absorver grandes quantidades de carbono.

Leia mais: Animais ameaçados de extinção

Soluções para as mudanças climáticas e para os impactos ambientais

As mudanças climáticas têm sido tema de intensos debates entre a comunidade internacional. O desafio de compreender e conter essas alterações é realidade no mundo todo, já que têm provocado desequilíbrios nos ecossistemas e na qualidade de vida das pessoas.

A partir da Revolução Industrial o homem passou a usar os combustíveis fósseis mais intensamente, causando poluição e emissão de diversos gases de efeito estufa à atmosfera. O excesso desses gases provocou o aumento das temperaturas médias da Terra, acentuando as alterações climáticas em todo o planeta. Dessa forma, despertou-se a preocupação da comunidade científica, das sociedades e de representantes de nações de todo o mundo.

Essa preocupação resultou em diversas conferências ambientais, cujo objetivo principal é reunir representantes dos países para avaliar as mudanças climáticas e propor ações que amenizem os impactos ambientais e que contenham a elevação das temperaturas. Essas conferências resultaram em vários tratados, como o Acordo de Paris e Protocolo de Kyoto, os quais demandavam respostas urgentes para a redução da emissão de gases de efeito estufa.

Embora as mudanças climáticas têm-se tornado assunto de urgência na pauta da agenda de diversas nações, boa parte da sociedade civil continua alheia a essas discussões. É necessário que os países cumpram as metas estabelecidas para redução de emissão de gases poluentes que provocam o aumento das temperaturas. É preciso também que essas mudanças climáticas sejam discutidas não só no âmbito científico, mas também com toda a comunidade a fim de buscar alternativas que colaborem para a preservação do meio ambiente e dos recursos naturais.

Saiba também: Consumo consciente da água

Histórico das mudanças climáticas

Diversas alterações climáticas foram registradas ao longo dos 4,6 bilhões de anos da Terra. É natural que o clima altere-se ao longo dos anos: nos últimos 400 anos, a Terra passou por quatro ciclos diferentes. Há 120 mil anos, houve o período interglacial, no qual as temperaturas eram um pouco maiores que as atuai. Há 20 mil anos, houve o período glacial. Atualmente, estamos em um período interglacial, e as temperaturas estão entre 5º C e 6º C acima das temperaturas do último período glacial.

As alternâncias entre eras glaciais e períodos interglaciais são provocadas por oscilações na órbita da Terra, ocorrendo geralmente no intervalo de 100 mil anos. Essas alterações no clima são, portanto, de ordem natural. Contudo, nos últimos 150 anos, a temperatura da Terra aumentou consideravelmente em um período de tempo muito curto. A Terra está aquecendo quase 0,2º C por década, um ritmo 50 vezes mais acelerado que o período natural entre as eras glaciais e interglaciais.

No período pós-Segunda Guerra Mundial, as alterações climáticas e as questões ambientais passaram a ser discutidas com vigor. As inúmeras catástrofes que assolaram o mundo nesse período despertaram na comunidade a consciência da gravidade dessas alterações no clima e de suas consequências para o planeta. Era, portanto, necessário propor medidas que diminuíssem os impactos provocados pela ação humana.

Para propor alternativas e estratégias que visassem à desaceleração das mudanças climáticas, bem como dos impactos provocados no meio ambiente, surgiram as chamadas Conferências Ambientais, que reúnem representantes de diversos países para propor metas e estratégias que contenham a emissão de gases poluentes e a exploração intensa e irracional dos recursos naturais.

Avaliação

-

    Escola Kids