Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Por que chove muito na Amazônia?

Você sabe por que chove muito na Amazônia? Entenda, de maneira rápida, o porquê dessa característica climática da região Norte do país!

As chuvas na Região Amazônica relacionam-se com a presença da própria floresta As chuvas na Região Amazônica relacionam-se com a presença da própria floresta

A região amazônica estende-se pela região Norte do país e por vários países circundantes, que são o Peru, a Venezuela, a Colômbia, Guiana, Guiana Francesa, Equador, Suriname e Bolívia. Na região onde essa floresta se encontra, as chuvas são muito constantes, atingindo uma média de 3000m a 6000m por ano!

Mas por que chove muito na Amazônia?

A explicação para a alta incidência de chuvas na Amazônia está em uma combinação de fatores, mas principalmente pela existência da própria floresta, pois esta é responsável pela geração de uma grande quantidade de umidade na atmosfera.

O tipo de chuva que ocorre na Amazônia é a de convecção. Ela ocorre pela elevação do ar quente (que é mais leve) e pela descida do ar frio (que é mais pesado), havendo a interação entre eles, a condensação do ar úmido gerado e a consequente formação das chuvas.

O processo em que a floresta Amazônica gera uma grande quantidade de umidade para o ar é chamado de evapotranspiração. Muitas árvores da região absorvem uma grande quantidade de água dos solos e emitem boa parte disso para o ar, como se fosse uma bomba d'água. Assim, quanto maior a quantidade de gotículas de água em forma de vapor que estiverem na atmosfera, maiores são as chances de chover. É por isso que lá as chuvas são mais do que frequentes.

É bom lembrar que não é apenas a floresta que gera esse ar úmido para a região da Amazônia. Esse papel também é realizado por massas de ar advindas do oceano Atlântico e que se deslocam em direção à floresta por algumas correntes atmosféricas que chamamos de ventos alísios, do leste para o oeste.

Recentes estudos comprovaram que a floresta é importante não apenas para a manutenção das chuvas na região Norte e, portanto, para abastecer a bacia hidrográfica da região. Graças ao fenômeno dos “rios voadores”, boa parte dessa umidade gerada é transportada por massas de ar para outras regiões do Brasil e do restante do continente sul-americano, provocando chuvas também nesses lugares. Portanto, a destruição dessa floresta poderia gerar sérios prejuízos climáticos nessa região e, provavelmente, para outras áreas do planeta.

Por Rodolfo F. Alves Pena

Você pode se interessar também

Datas Comemorativas

21 de março - Dia Internacional das Florestas

Geografia

Bacia Amazônica

Geografia

Desmatamento no Brasil

Geografia

Floresta Amazônica

Últimos artigos

Crise de 1929

A Crise de 1929 foi a maior crise econômica da história dos Estados Unidos e do capitalismo. Foi iniciada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

Retângulo

O retângulo possui quatro lados e todos os ângulos internos medindo 90°. Essa forma geométrica está muito presente no cotidiano, como na face de caixas e nas paredes.

Paralelepípedo

O paralelepípedo é um sólido geométrico que possui todas as faces com paralelogramos. Essa forma pode ser percebida nos prédios e em caixas de sapatos.

Hiena

Hiena é um animal encontrado na África e na Ásia, bastante conhecido por seu hábito de se alimentar de carniça. Existem atualmente três espécies diferentes de hienas.