Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Jiboia

A jiboia é uma serpente robusta, encontrada em diferentes tipos de vegetação, que faz parte da família das serpentes que matam suas presas por constrição.

por Vanessa Sardinha dos Santos
As jiboias fazem parte da família das serpentes constritoras. As jiboias fazem parte da família das serpentes constritoras.

As jiboias (Boa constrictor) são serpentes da família Boidae, a família das espécies de serpentes constritoras. Existem cerca de onze subespécies dessa serpente, sendo duas encontradas no Brasil. As subespécies de jiboias estão distribuídas desde o norte da Argentina até o norte do México.

Leia também: Cobra ou serpente?

 

Classificação taxonômica da jiboia

Reino: Animalia

Filo: Chordata

Classe: Reptilia

Ordem: Squamata

Família: Boidae

Gênero: Boa

Espécie: Boa constrictor

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características da jiboia

A jiboia é um réptil que pode atingir até quatro metros de comprimento, entretanto, geralmente não apresenta mais de dois metros. De uma maneira geral, as fêmeas distinguem-se por serem maiores que os machos. As jiboias perdem em tamanho, no nosso país, apenas para a sucuri, sendo considerada, portanto, a segunda maior espécie da fauna brasileira. É um animal classificado como de médio a grande porte.

A coloração das jiboias é bastante variada, a Boa constrictor amarali, por exemplo, é uma subespécie encontrada em nosso país e sua cor predominante é cinza ou marrom, podendo ser vistos indivíduos de coloração bastante escura, quase pretos. Já a Boa constrictor constrictor, também presente no Brasil, possui indivíduos com coloração desde o cinza claro até marrom bem escuro.

Essa serpente possui corpo robusto, com musculatura bem desenvolvida, a qual é fundamental para sua alimentação. A cabeça das jiboias, que possui formato de seta, é bem destacada do corpo, o qual é cilíndrico e comprimido lateralmente.

As jiboias são animais de hábitos terrestres e semiarborícolas.
As jiboias são animais de hábitos terrestres e semiarborícolas.

Essas serpentes têm hábito noturno, porém podem ser avistadas durante o dia. Destacam-se por serem terrestres e semiarborícolas, vivendo e alimentando-se de maneira eficiente em ambos os lugares. As jiboias podem ser observadas em todas as formações vegetais brasileiras, por exemplo, na Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal.

A alimentação das jiboias baseia-se, principalmente, na ingestão de mamíferos roedores, entretanto, esses animais também alimentam-se de aves, lagartos e ovos. Essas serpentes localizam suas presas devido à captação de estímulos térmicos, visuais e químicos.

As jiboias são estrategistas “senta-espera”, ou seja, permanecem em locais que são frequentemente visitados por presas. Quando uma presa é localizada, ela é capturada e a jiboia tira a vida da presa, contraindo seu corpo, de modo a evitar movimentos respiratórios da presa. Sendo assim, a jiboia não utiliza veneno para matar e, sim, atua asfixiando a presa.

As jiboias alimentam-se principalmente de mamíferos roedores.
As jiboias alimentam-se principalmente de mamíferos roedores.

A jiboia ingere seu alimento, assim como a grande maioria das serpentes, iniciando pela cabeça da presa. Isso é importante, pois conforme a presa é ingerida, seus membros são comprimidos de maneira paralela ao corpo. Isso evita que os membros dificultem a deglutição do animal.

Apesar de serem grandes e temidas por muitos, as jiboias também enfrentam perigos. Para se defenderem de seus predadores, elas utilizam algumas técnicas. Uma delas é a produção de um som agudo, acompanhado da retração do pescoço e da cabeça. Além disso, a serpente pode morder e eliminar fezes nesses contextos.

Reprodução da jiboia

A jiboia é uma serpente vivípara, ou seja, essa serpente não bota ovos e o embrião é desenvolvido dentro do corpo da fêmea. Nascem totalmente formados, cerca de 12 a 50 filhotes, apresentando cada um em média 50 cm de comprimento. A gestação desse grupo de serpentes dura de 4 a 8 meses.

A jiboia é venenosa?

As jiboias matam sua presa por asfixia.
As jiboias matam sua presa por asfixia.

A jiboia é uma serpente que não possui presa inoculadora de veneno, sendo, portanto, uma serpente de dentição áglifa. Esse animal mata sua presa comprimindo seu corpo, até que a vítima seja incapaz de respirar e morra por asfixia. Diferente do que muitos pensam, essa serpente não mata sua presa devido à quebra dos ossos. Vale destacar que a jiboia é um animal pouco agressivo.

Leia também: Como a serpente injeta o veneno?

A jiboia pode ser comercializada?

Você sabia que a jiboia pode ser criada como animal de estimação? No Brasil, é possível comprar e criar jiboiais, entretanto, para ter essa serpente como animal de estimação, é necessário comprá-las em locais devidamente registrados e autorizados pelo Ibama.

As jiboias vendidas nesses locais são indivíduos nascidos exclusivamente em cativeiro, ou seja, não foram retiradas do seu ambiente natural. Além disso, as jiboias comercializadas possuem chips eletrônicos para identificação de origem e acompanham um certificado que mostra a condição de saúde desses animais, além, é claro, de informações a respeito de como esses animais devem ser criados.

É importante salientar que não se deve comprar animais silvestres sem procedências, sendo essa prática considerada crime. Assim sendo, caso queira adquirir um animal como esse, certifique-se que se trata de um local de compra licenciado.

Você pode se interessar também

Ciências

Cobra ou serpente?

Ciências

Como a serpente injeta o veneno?

Últimos artigos

Cangurus

Cangurus são animais marsupiais que se destacam por possuírem pernas traseiras fortes, que conseguem garantir saltos a grandes distâncias.

Operadores argumentativos

Operadores argumentativos são expressões que ligam orações, períodos ou até mesmo parágrafos, conforme a intenção do autor.

Catar

Catar ou Qatar é um emirado localizado no Oriente Médio. O Catar é considerado um país com uma das maiores economias do planeta.

Tráfico negreiro

O tráfico negreiro começou a ser direcionado para o Brasil a partir da década de 1540 e trouxe milhões de escravos para atender à demanda por trabalhadores na colonização.