Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Classificação dos seres vivos

Compreenda a forma atual de classificação dos seres vivos em categorias taxonômicas.

por Vanessa Sardinha dos Santos
Normalmente agrupamos os seres vivos por suas características similares. Na figura observamos aves, mamíferos, répteis e plantas Normalmente agrupamos os seres vivos por suas características similares. Na figura observamos aves, mamíferos, répteis e plantas

Imagine todos os grupos de seres vivos presentes no planeta! Provavelmente você os separou em grupos, tais como animais, plantas, fungos, protozoários e bactérias. De maneira inconsciente você acabou de classificar alguns dos seres vivos da Terra.

Normalmente quando encontramos uma grande quantidade de coisas diferentes, tentamos agrupá-las de modo a unir aquelas que possuem características semelhantes. Ao lavar uma porção de roupas, por exemplo, separamos as brancas das coloridas. Isso é uma forma de classificação.

Os seres vivos também foram separados em grupos para facilitar o seu estudo. A primeira pessoa que tentou realizar tal feito foi o filósofo Aristóteles, que agrupou todos os seres vivos em dois grupos: os que possuíam sangue e aqueles que não possuíam. Claro que essa classificação não era a ideal, mas outras foram, posteriormente, propostas.

No final do século 18, Carl von Linné propôs uma classificação por categorias, baseada nas semelhanças anatômicas, que é usada até o momento com algumas pequenas mudanças. Primeiramente ele considerou que o grupo básico da classificação era uma espécie. Para ele, uma espécie seria um grupo de indivíduos com características não observadas em nenhum outro grupo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As espécies que apresentavam alguma semelhança eram agrupadas em gêneros. Os gêneros semelhantes eram agrupados em famílias. As famílias com características em comum eram agrupadas em ordens, e as ordens semelhantes eram agrupadas em classes. Estas, por sua vez, eram agrupadas em filos, e estes, em reinos.

Sendo assim, temos as seguintes categorias, também chamadas de categorias taxonômicas:

Reino → Filo → Classe → Ordem → Família → Gênero → Espécie

Observe que a categoria mais ampla é o reino e a mais restrita é a espécie. Nossa espécie, por exemplo, possui o mesmo reino que peixes, pássaros e crocodilos. Veja a seguir as categorias taxonômicas nas quais o homem se encontra:

Reino: Animal

Filo: Cordados

Classe: Mamíferos

Ordem: Primatas

Família: Hominidae

Gênero: Homo

Espécie: Homo sapiens

Além dessas categorias, muitos pesquisadores costumam utilizar algumas categorias intermediárias, ou seja, compreendidas entre uma categoria e outra. Entre essas categorias, podemos citar o subfilo, superfamília, subfamília e subgênero.

Curiosidade: Dá-se o nome de taxonomia à parte da biologia que descreve, nomeia e classifica todos os seres vivos.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Você pode se interessar também

Ciências

Características de um ser vivo

Ciências

Os Animais

Ciências

Seres vivos e seres não-vivos

Ciências

Mamíferos

Últimos artigos

Escandinávia

A Escandinávia é uma região que abrange a Península Escandinávia. Os países pertencentes a essa região assemelham-se cultural, histórica e politicamente.

Simón Bolívar

Simón Bolívar foi um dos nomes mais importantes da história sul-americana, tendo participação direta nas independências de países, como Venezuela e Colômbia.

Monarquia

Monarquia é a forma de governo mais antiga que existe no mundo, e atualmente mais de 40 países adotam-na sob dois modelos: constitucional e absoluto.

Marquês de Pombal

Marquês de Pombal ficou conhecido por ter sido o administrador de Portugal entre 1750 e 1777, promovendo reformas que fizeram parte do Reformismo Ilustrado.