Revolução Cubana

  • Atualmente 1/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Revolução Cubana Selo cubano em comemoração aos 50 anos da Revolução Cubana (2009) *
Por Daniel Neves Silva
PUBLICIDADE

A Revolução Cubana foi o movimento revolucionário responsável pela derrubada da ditadura militar de Fulgêncio Batista, em 1959, e pela subida de Fidel Castro ao poder cubano. Além disso, como desdobramento, Cuba aliou-se à União Soviética, tornando-se uma nação socialista em 1961.

Desde o começo da década de 1950, o processo democrático em Cuba havia sido interrompido, pois Fulgêncio Batista liderou um golpe, tomou o poder e iniciou uma ditadura que foi responsável pela prisão e tortura de muitos. Além disso, havia uma grande insatisfação na ilha com a forte influência dos Estados Unidos, que, além de interferirem na política cubana – inclusive apoiando a ditadura de Fulgêncio –, também conduziram uma forte exploração econômica de Cuba desde a independência cubana em 1898.

Membro do Partido Ortodoxo desde quando ingressou na faculdade de Direito, Fidel Castro – um dos líderes da Revolução Cubana – defendia o desenvolvimento econômico cubano, a industrialização e o fim da influência estrangeira na economia de Cuba. Atuava ativamente contra a ditadura de Fulgêncio quando organizou um assalto – fracassado – contra o Quartel de Moncada, na cidade cubana de Santiago. O objetivo do assalto ao quartel era roubar as armas que ficavam no arsenal. Fidel foi preso e condenado, mas solto em 1955. Após ser solto, exilou-se no México com a intenção de formar um novo movimento contra Fulgêncio Batista.

Bandeira do Movimento 26 de Julho, liderado por Fidel Castro
Bandeira do Movimento 26 de Julho, liderado por Fidel Castro

Fidel Castro fundou o Movimento 26 de Julho durante seu exílio no México. No novo grupo formado, estava Che Guevara, que foi outra importante liderança da revolução e foi considerado um dos maiores nomes na luta revolucionária na América Latina. O novo movimento retornou a Cuba no iate Granma para tentar derrubar a ditadura de Batista. Entretanto, a chegada de Fidel e de seus combatentes era aguardada pelo exército cubano, que preparou uma emboscada e matou vários dos combatentes.

A partir daí, o movimento liderado por Fidel Castro foi realizado na luta da guerrilha, que se organizou em Sierra Maestra. A guerrilha é uma tática militar que permite que grupos armados pequenos enfrentem grupos maiores por meio de ataques-surpresa e de grande mobilidade para encerrar o ataque e realizar a fuga.

Em Sierra Maestra, Fidel Castro organizou um grupo de cerca de trezentos homens, que foram responsáveis pela derrubada de Fulgêncio Batista em 1º de janeiro de 1959. Apesar do pequeno grupo de combatentes, o movimento de Fidel Castro possuía amplo apoio dos camponeses e da população urbana em geral, tornando impossível para Fulgêncio a manutenção do poder.

O movimento de Fidel Castro, que, a princípio, era de cunho nacionalista, transformou Cuba em uma nação socialista quando Fidel Castro assim decretou em 1961. A escolha pelo socialismo foi a resposta cubana aos Estados Unidos, que tentaram sufocar o novo governo, principalmente por prejudicar seus interesses econômicos na ilha.

Como as empresas americanas instaladas em Cuba foram nacionalizadas, ou seja, foram tomadas e passaram a ser administradas pelo governo cubano, os Estados Unidos realizaram embargos – restrições – econômicas sobre Cuba e tentaram tomar o poder cubano em 1961. Isolado econômica e politicamente, Cuba viu na União Soviética um aliado que poderia ser importante para manter sua soberania.

Assim, a Revolução Cubana teve esse importante desdobramento, que, dentro do contexto da Guerra Fria, transformou o país em uma nação socialista, tornando-o parte do bloco socialista. A partir daí, os Estados Unidos, líder do bloco capitalista, tornaram-se o maior adversário de Cuba.

* Créditos da imagem: Neftali e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História

Avaliação

2.0


    Escola Kids