Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Narração

A narração é um tipo de texto focado em contar uma história. Seus elementos são: narrador, personagens, espaço, tempo e acontecimento. Muitos gêneros são do tipo narrativo.

Ilustração traz menino sentado em escrivaninha e escrevendo um livro. Texto na imagem: “Narração”. A narração é o tipo textual que conta uma história.

A narração ou texto narrativo é uma das categorias que classifica os textos pelo seu conteúdo, estrutura, estilo, função etc. É aquela que conta uma história, real ou fictícia, através de um narrador e da enumeração de acontecimentos.

É um tipo textual, assim como o texto descritivo, argumentativo, expositivo, instrucional, entre outros. Gêneros como conto, romance, fábula, notícia, carta ou muitos outros podem ser colocados nessas categorias de acordo com seus elementos. Alguns elementos o formam, como narrador, personagens, espaço, tempo e acontecimento.

Leia também: Descrição — o tipo textual usado quando se deseja descrever alguém ou algo

Resumo sobre narração

  • A narração é uma categoria que engloba textos que contam uma história.

  • Pode ser real ou fictícia.

  • Muitos gêneros são narrativos, como conto, romance, fábula, novela etc.

  • Seus elementos são: narrador, personagem(ns), espaço, tempo e acontecimento(s).

  • Sua estrutura envolve apresentação, desenvolvimento, clímax e desfecho.

  • Há exemplos de narração na prosa e na poesia.

Quais são os elementos da narrativa?

  • Narrador

    • Narrador personagem (participa da história).

    • Narrador observador (apenas observa a história, mas não participa dela).

    • Narrador onisciente (sabe de todos os detalhes, como o passado, futuro e os pensamentos dos personagens).

  • Personagem(ns)

  • Cenário/Espaço (o(s) lugar(es) onde a história acontece)

  • Tempo (quando a história acontece)

  • Acontecimento(s)

Gêneros narrativos

Dentro do tipo de texto narrativo, pode-se desenvolver diversos gêneros textuais, ou seja, textos que têm a narração como característica central. Alguns deles são:

  • biografia;

  • conto;

  • conto de fada;

  • epopeia;

  • fábula;

  • lenda;

  • mito;

  • notícia;

  • novela;

  • piada;

  • romance.

Qual a estrutura da narrativa?

A narrativa não tem uma única estrutura fixa, já que isso depende do gênero a ser desenvolvido. Entretanto, a maioria costuma apresentar alguns elementos iguais:

  • Apresentação: o narrador apresenta os personagens, espaço e tempo da narrativa.

  • Desenvolvimento/mudança: com a base já apresentada, surge a situação principal, o centro da história.

  • Clímax: depois do desenvolvimento da ação central, surge o ponto de maior emoção, geralmente por uma revelação ou reviravolta.

  • Desfecho: após o clímax, mostram-se os resultados das ações, o final da história.

Leia também: Os diferentes tipos de discurso em um texto narrativo

Como fazer uma narração?

Para fazer uma narração, o escritor deve selecionar seus elementos principais: o tipo de narrador, quais, quantos e como serão os personagens e qual será o espaço e o tempo da história. Além disso, todos esses elementos devem estar em volta de um acontecimento ou situação principal.

Com isso definido, basta pensar no gênero de narração que se deseja exercer, como um conto (narrativa curta com uma trama), romance (narrativa com várias tramas), carta (narração para um receptor específico) etc. Para conferir um passo a passo de como fazer uma narração, clique aqui.

Exemplos de narração

  • Furto de flor”, de Carlos Drummond de Andrade (crônica)

Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava e eu furtei a flor. Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo destina-se a beber, e flor não é para ser bebida.

Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplarmos bem. Sendo autor do furto, eu assumira a obrigação de conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico das flores. Eu a furtara, eu a via morrer.

Já murcha, e com a cor particular da morte, peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim onde desabrochara. O porteiro estava atento e repreendeu-me:

Que ideia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste jardim!

  • A raposa e as uvas”, de Esopo (fábula)

A famosa fábula “A raposa e as uvas” é um exemplo de texto narrativo.

Uma raposa estava com fome e viu um delicioso cacho de uvas pendurado numa parreira. Decidida, fez vários esforços para alcançá-la, mas não conseguiu cumprir a missão. Foi aí que, com ar de desdém, resolveu ir embora, afirmando: “Estão verdes.”

Moral: Muitas vezes, quando não conseguimos cumprir um objetivo, temos tendência a culpar os outros.

  • Agora eu quero cantar”, de Mário de Andrade (poema)

Agora eu quero cantar
Uma história muito triste
Que nunca ninguém cantou,
A triste história de Pedro,
Que acabou qual principiou.
 

Não houve acalanto. Apenas
Um guincho fraco no quarto
Alugado. O pai falou,
Enquanto a mãe se limpava:
É Pedro. E Pedro ficou.
Ela tinha o que fazer,
Ele inda mais, e outro nome
Ali ninguém procurou,
Não pensaram em Alcebíades,
Floriscópio, Ciro, Adrasto,
Que-dê tempo pra inventar!
É Pedro. E Pedro ficou.
(...)

Por Luiza Pezzotti Pugles

Você pode se interessar também

Português

Autor e Narrador

Português

Características da crônica

Português

Como escrever um texto narrativo?

Português

Como produzir um bom texto?

Últimos artigos

Brincadeiras juninas

As brincadeiras juninas são uma das partes mais divertidas da Festa Junina. A seguir, você verá dicas de 15 dessas brincadeiras!

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.