Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Função poética

Saiba mais sobre os elementos da comunicação: conheça a função poética da linguagem.

Cinco funções, cinco intenções. As funções denunciam a motivação de quem fala ou escreve Cinco funções, cinco intenções. As funções denunciam a motivação de quem fala ou escreve

Você já percebeu que por detrás de nossas palavras escondem-se nossas verdadeiras intenções? A todo momento estamos envolvidos em situações nas quais a comunicação dita nossas relações com as pessoas e, dependendo daquilo que você quer transmitir, você pode mudar o discurso de acordo com as necessidades do momento e colocar em prática as funções da linguagem.

São seis as funções da linguagem: conativa, emotiva, referencial, fática, poética e metalinguística. Nosso objeto de estudo será a função poética da linguagem, presente nos textos literários e nos textos não literários. Certamente, a função poética é uma das funções mais interessantes, aquela que nos permite produzir belíssimos textos permeados por imagens e palavras que constroem sentidos diversos!

A função poética está voltada para a própria mensagem: a palavra é a grande protagonista. Ela pode ser encontrada na Literatura, nos poemas de grandes escritores e até mesmo em um anúncio publicitário, onde é possível brincar com a palavra e com seus significados. Observe o exemplo de função poética da linguagem em um poema de Paulo Leminski:


A função poética confere novos significados às palavras, permitindo que o leitor faça interessantes experiências sensoriais

Ovo do coelho

Coelho não bota ovo,
quem bota ovo é galinha.
Mas eu conheço um coelho
que é mesmo uma maravilha.


Os ovos que ele bota,
você nem imagina.
São ovos de chocolate
ou ovos de baunilha.

Por isso, nosso coelho
foi expulso da família.
O pai dele disse: - Meu filho,
isso é coisa de galinha.

O coelho respondeu rapidamente:
- Meu pai eu não tenho culpa,
botar ovo é meu destino.
Se não posso botar ovos em casa,
prefiro botar sozinho.

E foi assim que o coelho
saiu de casa para a rua,
botando ovo na Páscoa,
no sonho de todo mundo.

Paulo Leminski

Foi possível observar, após a leitura do poema de Paulo Leminski, que a função poética preocupa-se com a sonoridade das palavras, com a maneira com a qual elas são dispostas nos versos, estrofes e rimas e com os elementos que estão relacionados com as nossas sensações. Agora veja como a publicidade também pode apropriar-se da função poética:


Na propaganda do perfume Quasar, de O Boticário, podemos perceber que há uma brincadeira com as palavras “Quasar” e “casar”

Veja que não se trata de uma simples propaganda, pois os publicitários fizeram uso da função poética para construir os significados do texto. Você percebeu a brincadeira entre as palavras “Quasar” e “casar”? Pois é, novos sentidos foram construídos, o que permitiu que a propaganda rompesse com o modo tradicional com o qual estamos acostumados a ver as palavras. Assim é a função poética, ela nos faz ir além e enxergar nas palavras imagens e sons.

 

Por Luana Castro
Graduada em Letras

Por Luana Castro Alves Perez

Você pode se interessar também

Português

Anúncio publicitário

Português

Função emotiva

Português

Função fática

Português

Função referencial

Últimos artigos

Crise de 1929

A Crise de 1929 foi a maior crise econômica da história dos Estados Unidos e do capitalismo. Foi iniciada pela quebra da Bolsa de Valores de Nova York.

Retângulo

O retângulo possui quatro lados e todos os ângulos internos medindo 90°. Essa forma geométrica está muito presente no cotidiano, como na face de caixas e nas paredes.

Paralelepípedo

O paralelepípedo é um sólido geométrico que possui todas as faces com paralelogramos. Essa forma pode ser percebida nos prédios e em caixas de sapatos.

Hiena

Hiena é um animal encontrado na África e na Ásia, bastante conhecido por seu hábito de se alimentar de carniça. Existem atualmente três espécies diferentes de hienas.