Qual matéria está procurando ?

História

História

Mitologia nórdica

Clique e conheça a mitologia nórdica e saiba como foram registradas as narrativas míticas dos escandinavos e quais eram seus principais deuses.

O poeta islandês Snorri Sturluson foi responsável pelo mais importante relato sobre a mitologia nórdica existente * O poeta islandês Snorri Sturluson foi responsável pelo mais importante relato sobre a mitologia nórdica existente *

Por mitologia nórdica entende-se o conjunto de mitos e crenças que estava relacionado com a crença religiosa dos povos vikings. O conhecimento desses saberes foi legado, principalmente, a partir dos registros do poeta islandês Snorri Sturluson. Atualmente a mitologia nórdica foi resgatada a partir de reinterpretações modernas na religião denominada de Asatrú ou Odinismo.

O que é mitologia nórdica?

Segundo o historiador Johnni Langer, mitologia nórdica é o “conjunto de narrativas acerca de divindades e seres sobrenaturais, de base oral e pertencente à religiosidade pré-cristã na Escandinávia e Europa Setentrional”|1|. Essas narrativas eram transmitidas pelos escandinavos de forma oral e não delimitavam uma religião literalmente falando, mas apenas elementos que pertenciam à religiosidade local.

Principais registros da mitologia nórdica

O principal registro sobre a mitologia nórdica foi realizado pelo poeta islandês Snorri Sturluson no século XIII. Esse registro é conhecido como Edda em Prosa e foi escrito por volta de 1220. Snorri procurou registrar os eventos da mitologia nórdica da maneira mais linear possível e dividiu seus registros em quatro capítulos. Desses quatro capítulos, o destaque vai para o segundo, chamado de Gylfaginning (o logro de Gylfi), que registra de maneira linear a visão de mundo nórdica desde a criação até a destruição do universo no Ragnarök (crepúsculo dos deuses).

Outro registro importante é a Edda Poética, que reúne uma série de poemas escritos em nórdico antigo e contam uma série de histórias que envolvem os deuses nórdicos. A Edda Poética foi registrada em um manuscrito chamado Codex Regius e só foi encontrada no século XVII, na Islândia. Ao todo, a Edda Poética possui 18 poemas.

Outros registros importantes que podem ser considerados:

  • Sagas islandesas: narrativas literárias produzidas na Islândia entre os séculos XII e XIV;

  • Poemas escáldicos: poesia típica dos nórdicos que retratava em geral os grandes feitos e as histórias dos deuses;

  • Registros e crônicas históricas: registros escritos por historiadores antigos, como Adam de Bremen e Saxo Grammaticus;

  • Monumentos: destaque para as inscrições rúnicas (letra nórdica) em pedras.

Principais deuses da mitologia nórdica

  • Odin:

O principal deus da mitologia nórdica era conhecido também como Pai de Todos. Odin era o correspondente escandinavo para a divindade germânica chamada de Woden. Segundo Johnni Langer, Odin “vive em Asgard junto a seu trono, Hlidskjálf, e possui onisciência. Seu principal atributo é a lança Gungnir, e ele é cego de um olho, perdido para obter o conhecimento na fonte de Mimir”|2|.

  • Thor:

Thor era o deus mais poderoso da mitologia nórdica e ficou conhecido como deus do trovão. Era a divindade escandinava mais adorada pelos nórdicos. Thor era filho de Odin e era conhecido principalmente por lutar contra os gigantes. Seu símbolo era o martelo Mjöllnir. Possuía também um cinto mágico e usava luvas de metal.

  • Loki:

Loki é o deus mais polêmico da mitologia nórdica, principalmente pela sua característica irônica. As histórias que envolvem Loki, em geral, retratam intrigas e artimanhas criadas por Loki, como acontece no Lokasenna, poema da Edda Poética em que Loki troca insultos com os outros deuses nórdicos. Loki também é o responsável pela destruição do universo no Ragnarök. Alguns historiadores questionam a divindade de Loki, afirmando que ele era visto pelos nórdicos apenas como um gigante, e não como deus.

|1| LANGER, Johnni. Mitologia Nórdica. In: LANGER, Johnni (org.). Dicionário de mitologia nórdica: Símbolos, mitos e ritos. São Paulo: Hedra, 2015, p. 309.
|2| LANGER, Johnni. Odin. In: LANGER, Johnni (org.). Dicionário de mitologia nórdica: Símbolos, mitos e ritos. São Paulo: Hedra, 2015, p. 346.

*Créditos da imagem: Boris15 e Shutterstock


Por Daniel Neves
Graduado em História

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

História

Idade Média

História

Medusa

História

Thor

História

Vikings

Últimos artigos

Folclore brasileiro

O folclore brasileiro é o rico conjunto de manifestações de nossa cultura. Mitos, lendas, danças, músicas, brincadeiras e festas populares fazem parte dele.

El Niño

O El Niño é um fenômeno descrito pelo aquecimento anormal das águas do Oceano Pacífico, provocando chuvas volumosas no Sul do Brasil e secas severas no Norte e no Nordeste.

Bicho-papão

Bicho-papão é uma lenda presente no folclore brasileiro que fala de um monstro que sequestra e devora crianças desobedientes. Foi influência portuguesa em nossa cultura.

Queda da Bastilha

A queda da Bastilha foi um acontecimento marcante que se passou em 14 de julho de 1789, marcando o início da Revolução Francesa.