Qual matéria está procurando ?

História

História

Golpe Preventivo de 1955

Clique neste link do Escola Kids e tenha acesso a informações a respeito de um momento marcante da história do Brasil conhecido como Golpe Preventivo de 1955. Durante este evento, Henrique Teixeira Lott organizou um contragolpe que destituiu Carlos Luz da presidência e garantiu a posse de JK até então ameaçada.

Na centro da imagem, Henrique Teixeira Lott, militar que organizou o Golpe Preventivo de 1955 * Na centro da imagem, Henrique Teixeira Lott, militar que organizou o Golpe Preventivo de 1955 *

O Golpe Preventivo de 1955 também é conhecido como Movimento 11 de Novembro e ficou caracterizado por ser um autogolpe realizado por Henrique Teixeira Lott com o objetivo de garantir a legalidade e a posse de Juscelino Kubitschek, supostamente ameaçada por um golpe político que estaria sendo organizado pela UDN.

Antecedentes

Em 1955, o Brasil vivia uma forte crise política, consequência direta do suicídio de Getúlio Vargas em 1954. Desde a morte de Vargas, o Brasil era governado pelo vice-presidente, Café Filho. À medida que as eleições se aproximavam, a crise política se aprofundava, com certos grupos da nossa política defendendo uma postura que interrompia a continuidade democrática no país.

Leia também: Atentado da Rua Tonelero

O presidente Café Filho permaneceria no cargo até 31 de janeiro de 1956, quando então o transmitiria a um novo presidente. Este novo presidente seria definido a partir das eleições em outubro de 1955. No entanto, a continuidade da democracia na Quarta República Brasileira sofreu forte ameaça.

A União Democrática Nacional (UDN) era um partido conservador de orientação liberal e havia sido derrotada nos últimos dois pleitos eleitorais para a chapa PTB/PSD. O candidato udenista (Eduardo Gomes) perdeu em 1945 para Eurico Gaspar Dutra e, em 1950, para Getúlio Vargas. Em 1955, a UDN novamente estava em uma situação delicada, pois os pré-candidatos do partido não apresentavam a mesma força da possível candidatura de PSD/PTB.

Acesse também: Governo de Eurico Gaspar Dutra

Assim, membros da UDN, entre os quais se destaca Carlos Lacerda, passaram a atacar a democracia e a legalidade constitucional, começando a defender a anulação das eleições de 1955 e a formação de um “governo de emergência”. Essa postura, entendida como golpista, era um grave ataque à democracia brasileira.

De toda forma, as eleições de 1955 foram realizadas e contaram com os seguintes candidatos:

  • Juscelino Kubitschek (PSD/PTB): 36% dos votos

  • Juarez Távora (UDN): 30% dos votos

  • Ademar de Barros (PSP): 26% dos votos

  • Plínio Salgado (PRP): 8% dos votos

Para o posto de vice-presidente, o vencedor foi o candidato da chapa PSD/PTB, o político gaúcho João Goulart. A vitória de JK alarmou os udenistas, que intensificaram esforços no ataque contra a posse de seus adversários. Muitos, inclusive, passaram a defender a realização de um golpe militar para impedir JK e impor o desejado “governo de emergência”.

Golpe Preventivo de 1955

Com este impasse na política e a ameaça à democracia, os ânimos acirraram-se. Parte dos udenistas defendia um golpe para impedir JK de ser empossado. O grande obstáculo para os udenistas era uma pessoa que ocupava um cargo muito importante no governo: o marechal Henrique Teixeira Lott.

O militar ocupava o Ministério da Guerra e era conhecido por ser um defensor ferrenho da legalidade. O ministro brasileiro entrou em ação destacadamente em novembro de 1955. No dia 1º, o coronel Jurandir Mamede discursou em defesa do golpe militar e enfureceu Lott. O ministro solicitou ao presidente uma punição ao coronel, porém Café Filho não o fez, já que estava internado por problemas de saúde.

O novo presidente empossado foi Carlos Luz, que já comandava a Câmara dos Deputados e assumiu a presidência do país em 8 de novembro. No entanto, ele se opunha politicamente a JK e era partidário da ideia de impedir a posse do político mineiro. Carlos Luz inclusive se negou a punir o coronel rebelde (Mamede).

Enfurecido, Lott pediu demissão do Ministério da Guerra em 10 de novembro, mas, no dia seguinte, apoiado por muitos generais do Exército, organizou um contragolpe fulminante. A ação liderada por Lott ficou conhecida como Golpe Preventivo de 1955 e foi responsável por afastar Carlos Luz e acabar com qualquer ameaça do golpe que poderia ser realizado pela UDN.

O novo presidente do Brasil, Nereu Ramos, que presidia o Senado, governou o país em estado de sítio até a posse de Juscelino Kubitschek, em 31 de novembro de 1955.

*Créditos da imagem: FGV/CPDOC

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

Histórias e contos infantis

Governo João Goulart

História

Governo Juscelino Kubitschek

História

República Populista (Quarta República)

História

Segundo governo de Vargas

Últimos artigos

Tratado de Tordesilhas

Tratado de Tordesilhas foi assinado entre Portugal e Castela (Espanha) e determinava a divisão das terras que poderiam ser encontradas durante as Grandes Navegações.

Fruta

Fruta é um termo sem valor científico usado para se referir a frutos e frutos acessórios que possuem suco, apresentam sabor adocicado e aroma característico.

Coelho

O coelho é um animal pertencente à família Leporidae, a mesma das lebres. Coelhos destacam-se por possuírem orelhas e pernas grandes, além do corpo recoberto por pelos.

Medusa

Medusa era uma górgona, isto é, um monstro que possuía serpentes no lugar dos cabelos, e era conhecida por transformar em pedra todos que olhavam para o seu rosto.