Qual matéria está procurando ?

História

História

Coroação de Napoleão Bonaparte

A coroação de Napoleão Bonaparte foi um dos eventos mais interessantes de toda a Era Napoleônica (1799-1815), pois nele o recém-intitulado imperador francês reatava os laços políticos e diplomáticos com a Igreja Católica, após a ruptura ocorrida com a Revolução Francesa, entre 1789 e 1799.

Veja também: Quais foram os antecedentes da Revolução Francesa?

Como foi a coroação de Napoleão Bonaparte?

A cerimônia de coroação foi realizada na catedral de Notre-Dame, em 1804, e teve um fato inusitado para os rituais de coroação existentes na Europa. Napoleão havia convidado para a cerimônia o papa Pio VII, como indicação da reaproximação da França com a Igreja Católica. A saída de Pio VII de Roma a Paris já era um grande feito diplomático de Bonaparte.

De acordo com os rituais de coroação, o imperador ajoelhava-se frente ao representante da Igreja, que colocava em sua cabeça a coroa, demonstrando assim a superioridade do poder religioso sobre o poder temporal dos homens.

Porém, ao invés de Napoleão Bonaparte se ajoelhar frente ao papa, o imperador francês alterou o ritual. Primeiramente, ele coroou sua esposa, a Imperatriz Josefina. Depois, Napoleão tomou a coroa em suas mãos e colocou em sua própria cabeça. Perplexos, os presentes à cerimônia viram o novo imperador deixar o papa Pio VII como um mero espectador.

Coroação de Napoleão I e da Imperatriz Josephine em Notre-Dame de Paris, obra de Jacques-Louis David (1748-1825).

Napoleão pretendia, dessa forma, apresentar simbolicamente seu poder como superior ao poder religioso da Igreja Católica. A atitude mostrava também o tipo de personalidade de Napoleão Bonaparte, que pretendia se colocar como um dos grandes nomes da história mundial.

Veja também: Qual a relação entre a vinda da família real para o Brasil e Napoleão Bonaparte?

A coroação de Napoleão contrastava também com outro evento da história francesa. Em 799, o imperador franco Carlos Magno dirigiu-se de Aix-la-Chapelle, capital de seu reino, para Roma, onde seria coroado imperador pelo papa Leão III. Com essa atitude, Carlos Magno pretendia realizar uma aliança com a Igreja Católica, fortalecendo seu poder temporal. Mas as fontes escritas e em imagens apresentam o imperador franco ajoelhado para receber a coroa do papa, em sinal de submissão ao poder da Igreja, o oposto de Napoleão.

Outra característica da cerimônia que pretendia colocar Napoleão Bonaparte como uma grande figura da história mundial foi a adoção da estética neoclássica, inspirada no estilo greco-romano, na decoração da catedral de Notre-Dame. Com essa medida, Bonaparte pretendia se igualar aos grandes imperadores de Roma.

Entretanto, as demais potências europeias não compartilhavam das intenções de Bonaparte e lutaram contra seu Império, que caiu em 1815. A coroa que Napoleão colocou em sua própria cabeça voltou a Luís XVIII, descendente dos antigos reis franceses.

Por Tales Pinto

Você pode se interessar também

História

Antecedentes da Revolução Francesa de 1789

História

Batalha de Waterloo

História

Calendário Revolucionário Francês

História

Era Napoleônica (1799-1815), a vitória burguesa

Últimos artigos

Epiglote

Epiglote é uma estrutura cartilaginosa que atua como uma válvula. Essa válvula se fecha durante o ato de engolir, impedindo que o alimento entre na via respiratória.

Héstia

Héstia era uma divindade presente nos mitos gregos, considerada a personificação da lareira. Era a deusa do lar, da hospitalidade e da vida doméstica.

Papiro

Papiro é uma planta aquática que era encontrada ao longo do rio Nilo e utilizada para a fabricação de uma superfície para registro de textos.

Hades

Hades era um dos deuses mais tradicionais de toda a mitologia grega, conhecido como senhor do submundo, local para onde iam as almas dos mortos para os gregos.