Qual matéria está procurando ?

História

História

Causas da Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial teve uma série de motivos que contribuíram para o seu início, como o imperialismo, o nacionalismo, a política de alianças e a corrida armamentista.

Soldados em trincheira na Batalha de Somme, na Primeira Guerra Mundial. A Primeira Guerra Mundial foi um conflito que se estendeu de 1914 a 1918.[1]

As causas da Primeira Guerra Mundial têm relação com uma série de fatores que se arrastavam desde o século XIX, como as rivalidades imperialistas e a disputa por colônias, os movimentos nacionalistas, as alianças militares e a corrida armamentista. O estopim para o início do conflito foi o assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando, em junho de 1914.

Leia também: Quais foram as causas da Segunda Guerra Mundial?

Resumo sobre as causas da Primeira Guerra Mundial

  • No começo do século XX, a Europa estava na Belle Époque, fase marcada pela euforia com o desenvolvimento tecnológico.

  • Os historiadores também apontam que o período entre 1871 e 1914 ficou conhecido como Paz Armada, porque não teve conflitos.

  • O imperialismo e a disputa por colônias foram um dos motivos para o conflito, assim como os movimentos nacionalistas.

  • A política de alianças e a corrida armamentista também contribuíram para o início da guerra.

  • O assassinato do arquiduque Francisco Ferdinando foi o estopim que deflagrou a Primeira Guerra Mundial.

Antecedentes históricos da Primeira Guerra Mundial

No começo do século XX, a Europa vivia um enorme clima de tensão, embora houvesse também uma grande euforia com o momento da humanidade. Essa euforia reinante no começo do século XX estava relacionada com a Belle Époque, ou Bela Época, em português. Esse período se estendeu entre 1871 e 1914.

A Europa presenciava enormes avanços tecnológicos nesse período e itens como o motor à explosão, a dinamite, a lâmpada, o automóvel, entre outros, foram inventados. Essas invenções criaram uma enorme euforia com o progresso humano. No campo cultural, a Belle Époque ficou marcada por uma grande agitação nas grandes cidades por meio de óperas, cafeterias, eventos públicos, entre outros.

A euforia com a tecnologia e a efervescência cultural aconteceram no mesmo período da Paz Armada, que também se estendeu de 1871 a 1914. A Paz Armada correspondeu ao período de paz que existiu na Europa na virada do século XIX para o XX. Essa paz, no entanto, era apenas uma fachada, uma vez que as relações entre as nações europeias eram cada vez mais tensas.

Quais foram as principais causas da Primeira Guerra Mundial?

Quando falamos das causas da Primeira Guerra Mundial, o ponto de partida é o imperialismo. Esse termo é usado para se referir ao ciclo de exploração colonial que foi iniciado no final do século XIX nos continentes africano e asiático. Por meio desse ciclo, as grandes nações europeias iniciaram uma corrida para ocupar e explorar territórios nesses continentes.

O imperialismo tem relação direta com a Segunda Revolução Industrial, que intensificou a necessidade por matérias-primas e mercados consumidores. Os continentes africano e asiático possuíam ambos e tornaram-se alvo da cobiça europeia. A disputa por terras foi um motivo para desentendimentos entre as nações europeias, abalando as relações diplomáticas das grandes potências.

Além disso, o nacionalismo contribuiu para criar o quadro de tensões no continente europeu. Havia ressentimentos, desejos de expansão territorial e luta pela autodeterminação em diferentes partes do continente. Os franceses nutriam um enorme ressentimento dos alemães e desejavam se vingar por causa da derrota na Guerra Franco-Prussiana.

Os alemães desejavam expandir o território de seu país por meio da unificação de todos os germânicos da Europa, e uma parcela da sociedade alemã via a guerra como um caminho legítimo para isso. No entanto, uma das regiões de maior tensão era os Bálcãs e a luta de muitos povos daquela região pela sua autodeterminação.

Os Bálcãs é uma região no sul da Europa que é conhecida por sua diversidade étnica e cultural. No começo do século XX, a região era parte dominada pelos otomanos e parte pelos austríacos (do Império Austro-húngaro). Havia uma enorme luta para livrar, principalmente, os povos eslavos do domínio austríaco e otomano.

Um dos principais cenários envolvia a Sérvia, nação independente, e a Bósnia, território anexado ao Império Austro-húngaro. Os sérvios e os bósnios se inspiravam no pan-eslavismo, um movimento nacionalista que procurava se livrar do domínio austríaco para se unificarem, formando uma grande nação eslava.

Toda essa tensão ainda foi acompanhada por uma série de alianças militares que estabeleceram alguns grupos de apoio, para que, caso um país fosse atacado, os aliados interviessem e defendessem aquele que estivesse sob ataque. Além disso, as nações europeias passaram a investir de maneira maciça na produção de armas, fazendo da corrida armamentista mais um motivo para o início do conflito.

No que se refere às alianças militares, o quadro se formou da seguinte maneira:

  • Tríplice Aliança: formada inicialmente por Itália, Áustria-Hungria e Alemanha.

  • Tríplice Entente: formada inicialmente por Rússia, Reino Unido e França.

À medida que os anos se passaram e também após o início do conflito, essas alianças sofreram pequenas modificações. Pouco antes do início da guerra, o Império Otomano se aliou com a Alemanha; depois de o conflito se iniciar, a Itália mudou de lado, deixando a Tríplice Aliança e aderindo à Entente.

Toda essa tensão foi deflagrada quando o herdeiro do trono austríaco foi assassinado, em 28 de junho de 1914. O arquiduque Francisco Ferdinando estava em Sarajevo, capital da Bósnia, quando foi interpelado por um estudante, membro de um movimento nacionalista, que o alvejou. O arquiduque fazia uma carreata em carro aberto nas ruas de Sarajevo — mesmo tendo sido orientado sobre os riscos de fazer isso.

Esse acontecimento gerou uma enorme crise diplomática entre Sérvia (que apoiava o movimento nacionalista bósnio) e a Áustria-Hungria, resultando na declaração de guerra no final de julho de 1914. Isso criou um efeito dominó que arrastou outros países para o conflito.

Leia também: Primeira Guerra Mundial — fases, desfecho e consequências

Curiosidades sobre a Primeira Guerra Mundial

  • A Primeira Guerra Mundial ficou marcada pelo uso de armas químicas, como o gás mostarda.

  • A escassez de alimentos fez com que o governo britânico proibisse a tradição de jogar arroz em casamentos.

  • Estima-se que alguns jogos de futebol foram realizados entre soldados adversários nas trincheiras da frente ocidental durante as vésperas de Natal.

  • Os tanques, também conhecidos como blindados, foram inventados durante a Primeira Guerra Mundial.

Fontes

ARARIPE, Luiz de Alencar. Primeira Guerra Mundial. In.: MAGNOLI, Demétrio (org.). História das Guerras. São Paulo: Contexto, 2013, pp. 318-353.

HASTINGS, Max. Catástrofe – 1914: a Europa vai à guerra. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos: o breve século XX 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Por Daniel Neves Silva

Você pode se interessar também

História

Causas da Segunda Guerra Mundial

História

Crise de 1929

História

Imperialismo

História

Primeira Guerra Mundial

Últimos artigos

Sedentarização

A sedentarização foi o processo por meio do qual os humanos abandonaram o nomadismo, fixando-se em uma localidade.

Comidas de Festa Junina

Algumas comidas de Festa Junina são: a pamonha, o milho cozido, o milho assado, a canjica, o curau, o arroz-doce, a paçoca, o mané pelado, o pé de moleque e o bolo de milho.

Lixiviação

Lixiviação é um processo de degradação do solo que consiste na retirada de seus nutrientes pela percolação da água, o que reduz sua fertilidade e pode levar à desertificação.

Ciclo do Café

O ciclo do café foi o ciclo econômico em que o café predominou na economia brasileira. Iniciou em meados do século XIX, estendendo-se até metade do século XX.