Qual matéria está procurando ?

Geografia

Geografia

Pirâmides etárias

Pirâmides etárias são gráficos que apresentam a estrutura da população de um local. As pirâmides etárias são divididas por sexo e idade, permitindo a análise da dinâmica populacional.

Pirâmides etárias representam a população de um determinado lugar por meio de gráficos de acordo com a faixa etária e o sexo. Elas são divididas em quatro tipos principais. Sua análise permite observar a dinâmica populacional no que diz respeito aos indicadores sociais como expectativa de vida, taxa de natalidade (número de crianças nascidas vivas em um ano), taxa de mortalidade (número de óbitos no período de um ano).

Leia também: Crescimento da população mundial

Como analisar uma pirâmide etária?

As pirâmides etárias possuem uma estruturação comum: são compostas por barras superpostas, apresentando base, corpo e topo. As barras inferiores, ou seja, a base e parte do corpo da pirâmide, correspondem à população jovem. Já as barras superiores, ou seja, parte do corpo até o topo, correspondem à população mais velha. Sempre o lado esquerdo do gráfico será representado pela população masculina, já no lado direito estará representando a população feminina.

Observe a pirâmide etária abaixo:

Analisando a pirâmide do estado de Goiás, é possível observar que o topo representa a população idosa; o corpo, a população adulta; a base, a população jovem. O eixo vertical corresponde à faixa etária. Já o eixo horizontal corresponde à quantidade de pessoas (em valor absoluto ou em porcentagem). As mulheres sempre representadas à direita e os homens à esquerda.

Para que servem as pirâmides etárias?

As pirâmides etárias são importantes instrumentos de análise social, permitindo observar o comportamento da população de um determinado local, como ela é organizada; qual a expectativa de vida; as diferenças entre homens e mulheres.

Permite também refletir acerca de políticas públicas voltadas à saúde, à educação, à cultura, visto que sua análise traz também reflexos desses setores sociais por meio de taxas de natalidade (relacionadas à base da pirâmide), índices de violência (relacionadas ao corpo da pirâmide) e qualidade de vida (relacionadas ao topo da pirâmide).

Assim, é possível compreender a evolução demográfica ao longo de anos, observando os possíveis declínios, as expansões ou também a estabilidade da população.

Observe:


Pirâmides etárias do estado de São Paulo nos anos de 2010 e 2060. (Fonte: IBGE)

As duas pirâmides representam a população do estado de São Paulo em recortes temporais distintos. A pirâmide à esquerda é uma representação gráfica da população no ano de 2010, já a pirâmide da direita é uma projeção da população de São Paulo para 2060.

Em 2010, podemos observar que a base da pirâmide é mais larga ao comparar à base projetada para 2060. Isso indica que a taxa de natalidade e, possivelmente, a taxa de mortalidade infantil apresentam declínio. É possível ver também que em 2060 há tendência de estabilidade da população adulta. Em 2010, a população adulta tende a diminuir conforme a idade aumenta. Em relação à população idosa, em 2010 é possível dizer que a expectativa de vida é menor quando comparada à projeção para 2060. Indicando melhoria na qualidade de vida, bem como no setor de saúde.

Pirâmides etárias dos países desenvolvidos

A pirâmide etária dos países desenvolvidos é caracterizada por apresentar, em sua maioria, características como base reduzida ou declínio, corpo estável e com gradual ascensão até o topo.

A base reduzida significa que nesses países há uma tendência de redução nas taxas de natalidade devido aos fatores como políticas de controle de natalidade, participação das mulheres no mercado de trabalho e urbanização.

O topo alargado está relacionado à expectativa de vida nesses países, que é elevada indicando boa qualidade de vida, políticas públicas voltadas ao setor da saúde. Taxas de mortalidade infantil também têm se apresentado baixas devido ao melhor acesso à saúde. Contudo, o topo alargado pode representar também gastos elevados com programas de assistencialismo para a população envelhecida.

O corpo da pirâmide estável pode indicar possíveis problemas nesses países como a falta de mão de obra, visto que a população economicamente ativa (população inserida no mercado de trabalho) é reduzida.

Pirâmides etárias dos países subdesenvolvidos

A pirâmide etária dos países subdesenvolvidos é definida por apresentar, na maioria das vezes, características como base alargada, corpo com redução em algumas faixas etárias e topo reduzido.

A base alargada indica altas taxas de natalidade, visto que nesses países não é comum políticas de controle de natalidade. Isso indica, também, precaridade no setor de saúde, com políticas públicas ineficientes.

O corpo da pirâmide por vezes demonstra que, em algumas faixas etárias, há declínio da população. Isso pode indicar elevados índices de violência, principalmente, em relação à população masculina.

O topo reduzido indica baixa qualidade de vida, consequentemente baixa expectativa de vida. Nesses países a falta de acesso aos programas de saúde, a falta de informação, a falta de educação podem levar ao declínio da população idosa.

Contudo é válido dizer que nos últimos anos esses países têm apresentado melhorias no que tange ao aspecto socioeconômico e podendo ser observado por indicadores sociais como o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

Tipos de pirâmides etárias

 

 

Pirâmide jovem

Apresenta base alargada, indicando elevada taxa de natalidade, e topo estreito, indicando baixa expectativa de vida. Normalmente, países subdesenvolvidos possuem sua população representada por esse tipo de pirâmide.

 

 

Pirâmide adulta

Possui base com tendência ao declínio, o que aponta diminuição da taxa de natalidade. Tem o corpo e o topo mais alargados, revelando aumento gradual da expectativa de vida. Geralmente, representa países em desenvolvimento.

 

 

Pirâmide envelhecida

Apresenta base mais estreita, demonstrando redução das taxas de natalidade e fecundidade (estimativa de filhos por mulher em idade fértil). Contém topo mais alargado, em comparação às demais pirâmides, indicando aumento da expectativa de vida e redução da taxa de mortalidade. Em geral, representa países desenvolvidos.

 

 

 

Pirâmide rejuvenescida

Possui alargamento nas primeiras faixas da base, apontando aumento da população jovem. O topo também é mais largo o que mostra boa qualidade de vida. Países em desenvolvimento têm demonstrado tendência a esse tipo de pirâmide devido à preocupação com a população economicamente ativa e com a demanda por mão de obra.

Pirâmide etária do Brasil


Pirâmide etária brasileira em 2019. (Fonte: IBGE)

A pirâmide etária do Brasil, atualmente, indica redução da sua base e alargamento do corpo até o topo, se comparada às pirâmides dos anos anteriores. Isso significa que o país tem apresentado mais eficiência nos setores da saúde, em suas políticas públicas sociais, e, também, melhoria na economia, o que afeta diretamente na qualidade de vida da população brasileira.

Leia mais: Distribuição da população brasileira

As mulheres estão cada vez mais inseridas no mercado de trabalho, o acesso da população à programas de saúde e aos métodos contraceptivos também tem influenciado a diminuição das taxas de natalidade. A melhoria na educação e na saúde tem refletido na expectativa de vida da população que demonstrou avanços nos últimos anos. Contudo o país ainda enfrenta fragilidades relativas aos aspectos sociais. É necessário ainda no país políticas públicas eficazes, melhores oportunidades de estudo e trabalho.

Pirâmides etárias são gráficos que representam a população de um local, segundo a faixa etária e o sexo. Pirâmides etárias são gráficos que representam a população de um local, segundo a faixa etária e o sexo.
Por Rafaela Sousa

Você pode se interessar também

Geografia

População brasileira

Geografia

IDH – Índice de Desenvolvimento Humano

Geografia

Países desenvolvidos

Geografia

Distribuição da População Mundial

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.