Revolta da Sabinada na Bahia

  • Atualmente 5/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Revolta da Sabinada na Bahia Cabanagem, Farrapos e Balaiada também foram exemplos de rebeliões contra o governo regencial
PUBLICIDADE

O Brasil, após a sua independência em 1822, implantou uma monarquia cujo primeiro Imperador foi D. Pedro I, que se manteve no poder até 1831, quando abdicou ao trono em virtude, principalmente, das pressões políticas de fazendeiros que exigiram sua saída. A consequência do ato de abdicação ao trono foi a formação do governo regencial, que vigorou de 1831 a 1840, uma vez que D. Pedro II não possuía idade suficiente para comandar o país. Durante esse período, diversas rebeliões provinciais com o objetivo de buscar melhorias no campo político, econômico e social ocorreram. 

A Sabinada foi uma revolta provincial que aconteceu na Bahia entre os anos de 1837 e 1838, e teve como líder o médico Francisco Sabino Barroso. A falta de autonomia política da província durante o período regencial, as dificuldades econômicas e o recrutamento forçado da população em 1837 para combater a Guerra dos Farrapos no Rio Grande do Sul foram os motivos principais para o surgimento desse movimento.

Uma das características da Sabinada foi a ausência da camada popular durante a luta contra o governo central.  A classe média composta por comerciantes e profissionais liberais (como médicos, advogados e professores) foram os responsáveis pela liderança da rebelião. Essas lideranças também contaram com o apoio do exército baiano que ajudou a conquistar a cidade de Salvador em 7 de novembro de 1837, onde instalaram a República Baiana com o objetivo de separar a província do Império até que D. Pedro II alcançasse a maioridade.

Os fazendeiros ricos apoiaram inicialmente a rebelião, mas, devido à radicalização das ideias das lideranças, eles se afastaram e passaram a ajudar as forças imperiais no combate aos revoltosos. As promessas de libertação dos escravos que se unissem ao movimento assustaram os fazendeiros que temiam uma revolução escrava na Bahia, assim como foi a Revolta dos Malês em 1835.

O governo central com o apoio dos fazendeiros agiu violentamente contras os revoltosos, que perderam o poder de Salvador em 1838, quando foram derrotados pelas forças imperiais. As lideranças da Sabinada foram perseguidas e presas, como foi o caso de Francisco Sabino, que foi capturado e enviado para a província de Mato Grosso. Assim, essa rebelião provincial não conseguiu êxito frente à força do governo central, que acabou conseguindo controlar a situação.


Por Fabrício Santos
Graduado em História

Avaliação

10.0

    Escola Kids