Qual matéria está procurando ?

História

História

Plano Marshall

Fique sabendo o que foi o Plano Marshall e quais eram seus principais objetivos.

Sabemos que, após a Segunda Guerra Mundial, a situação de muitos países do continente europeu era absolutamente crítica. Além das vultosas perdas humanas que a guerra produziu, a destruição de cidades inteiras, a ruína econômica e a desagregação social levaram os sobreviventes a condições de vida lastimáveis. A fome foi o primeiro grande problema enfrentado pelos europeus após 1945. Esse cenário catastrófico exigiu uma estratégia para promover a recuperação desses países. Essa estratégia foi proposta por um general dos Estados Unidos chamado de George Marshall e, por isso, ficou conhecida como “Plano Marshall”.

O Plano Marshall tinha, portanto, como objetivo principal a reconstrução da Europa – ou, ao menos, da Europa Ocidental. Calcula-se que o valor empregado pelos americanos nesse processo de reconstrução foi de aproximadamente 12,6 bilhões de dólares entre 1948 e 1952. Além da reconstrução das cidades, no auxílio do Plano Marshall, estava incluso o envio de alimentos, produtos industriais e matérias-primas. Em contrapartida, as exigências que os americanos fizeram aos europeus foram: estabilização da moeda e a integração e cooperação entre os países – como forma de prevenção contra novas formações nacionalistas totalitárias, tais como o nazismo.

Deve-se ressaltar que os países que mais se beneficiaram do auxílio fornecido pelo plano Marshall foram a Grã-Bretanha, a França e a Holanda. A parte atribuída à Alemanha, menos da metade da que coube à Grã-Bretanha, foi relativamente modesta. Esse plano, inicialmente, foi proposto também aos soviéticos, como bem destaca o historiador Norman Davies:

O discurso original do Marshall convidava explicitamente a URSS a participar. Porém, tal como Kennan previa, Stalin recusou – não sem antes incumbir Molotov de investigar os pormenores. Impediu também a Polônia e a Checoslováquia de estarem presentes na conferência de Paris, em que o funcionamento do plano ficaria definido. A URSS compensaria a sua economia exigindo fornecimentos a pressos irrisórios a todos os Estados-satélites. [1]

O trecho acima faz referência ao convite à URSS feito pelas autoridades americanas para que também participasse do Plano Marshall. O principal representante soviético para essas questões na época era o Ministro das Relações Exteriores, Viatcheslav Molotov, que não chegou a fazer as negociações com os EUA em virtude da pronta recusa de Stalin. O problema maior por trás dessa recusa era a profunda divergência ideológica entre a União Soviética, de expressão comunista, e os EUA, marcadamente liberais e democráticos.

Em 1947, o presidente dos EUA, H. Truman, já havia deixado claro sua preocupação com a possível expansão do comunismo soviético pelo continente europeu após a guerra. Stalin, por sua vez, via no Plano Marshall uma estratégia americana para promover a hegemonia ocidental sobre a Europa. Em dada medida, esse era mesmo um dos efeitos colaterais do plano de reconstrução: impedir o avanço do comunismo. Como resposta ao Plano Marshall, Stalin pressionou os países-satélites da URSS, como a Checoslováquia, onde, apesar da liberdade política, vigorava ampla tendência comunista, a não aderirem ao plano dos americanos.

Outra estratégia de Stalin foi a criação de organismos como o Comecon (Conselho mútuo para assistência econômica), que tinha como objetivo promover a reconstrução dos países do leste europeu afetados pela guerra, e o Cominform (Escritório de Informação dos Partidos Comunistas Operários), que atuaria na política externa soviética como forma de bloquear a influência ideológica americana. Nasciam, assim, as bases para a Guerra Fria e sua consequente polarização do mundo.

NOTAS

[1] DAVIES, Norman. A Europa em Guerra. Lisboa: Edições 70, 2006. p. 229.


Por Me. Cláudio Fernandes

O Plano Marshall forneceu apoio econômico a muitas das nações afetadas pela Segunda Guerra O Plano Marshall forneceu apoio econômico a muitas das nações afetadas pela Segunda Guerra
Por Cláudio Fernandes

Você pode se interessar também

História

Causas da Segunda Guerra Mundial

História

Segunda Guerra Mundial

História

As bombas atômicas lançadas sobre o Japão

História

Guerra Fria

Últimos artigos

Lobisomem

O lobisomem é um homem amaldiçoado com a condição de se transformar em um ser violento, que é metade homem e metade lobo, todas as noites de lua cheia.

Sarampo

O sarampo é uma virose que pode desencadear complicações e até mesmo a morte. Causa febre, manchas no corpo e mal-estar.

Bicho-preguiça

Bicho-preguiça, também conhecido apenas por preguiça, é um animal vertebrado, mamífero, pertence à superordem Xenarthra, e habita desde a América Central até a América do Sul.

USMCA

A nova atualização do acordo trilateral entre Estados Unidos, México e Canadá foi chamada de USMCA. Esse acordo representa uma modernização da zona de livre comércio.