Ciclo de vida das pteridófitas

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Ciclo de vida das pteridófitas As pteridófitas têm um ciclo de vida com alternância de gerações.
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

O ciclo de vida das pteridófitas, assim como os ciclos dos demais grupos de planta, é marcado pela alternância de gerações, sendo possível observar uma geração gametofítica e uma geração esporofítica. Nesse ciclo, que depende da água para acontecer, verificamos como fase dominante a geração esporofítica, ou seja, a fase produtora de esporos.

As pteridófitas são um grupo de plantas que se destaca por ser o primeiro grupo vegetal que apresentou vasos condutores de seiva (xilema e floema). Esse grupo de plantas é frequentemente chamado de plantas vasculares sem sementes. Como exemplo de pteridófitas, podemos citar samambaias, avencas e cavalinhas.

Resumo

As pteridófitas são plantas vasculares sem sementes que se reproduzem de forma assexuada e sexuada. Quando observamos a reprodução sexuada, vemos um ciclo com alternância de gerações. Observe a seguir as principais etapas do ciclo de vida de uma samambaia, um exemplo típico de pteridófita:

As samambaias são exemplos de pteridófitas.
As samambaias são exemplos de pteridófitas.

  • A samambaia (fase esporofítica) apresenta folhas que contêm soros, pequenos pontos marrons nos quais são produzidos esporos.

  • Os esporos caem no ambiente e germinam.

  • Os esporos dão origem ao gametófito, conhecido como prótalo.

  • O prótalo é um gametófito, geralmente, bissexuado que possui arquegônios e anterídios, nos quais serão produzidos, respectivamente, a oosfera (gameta feminino) e os anterozoides (gametas masculinos).

  • Na presença de água, os anterozoides nadam até o arquegônio, onde está a oosfera.

  • Nas samambaias que produzem gametófitos bissexuados, observa-se a maturação dos anterídios e dos arquegônios em momentos diferentes. Sendo assim, os anterozoides fecundarão a oosfera de outro gametófito.

  • Após a fecundação, forma-se o zigoto.

  • O zigoto divide-se e forma o esporófito.

  • O esporófito fixa-se no solo, e o gametófito é desintegrado.

Leia também: Ciclo de vida das briófitas

Ciclo de vida das pteridófitas

As pteridófitas podem reproduzir-se de maneira assexuada e sexuada. Na forma assexuada, podemos observar a reprodução por meio de brotamento, no qual um broto dará origem a um novo indivíduo. Na forma sexuada, observamos um ciclo com alternância de gerações, ou seja, um ciclo que apresenta uma fase de gametófito (que produz gametas) e uma fase de esporófito (que produz esporos).

Leia também: A reprodução das plantas

Quando falamos em pteridófitas, o ciclo mais comumente utilizado para explicar o processo é o ciclo das samambaias. Essas plantas, quando adultas (fase de esporófito), apresentam folhas que contêm soros, que são agrupamentos de esporângios (onde são produzidos esporos).

Os esporângios liberarão os esporos, que cairão no solo e germinarão. A maioria das samambaias produz um gametófito bissexual, ou seja, capaz de produzir anterozoides (gametas masculinos) e oosfera (gameta feminino). Os anterozoides serão produzidos nos anterídios, enquanto a oosfera será produzida no arquegônio.

Nos gametófitos bissexuais, observamos que os anterídeos e os arquegônios amadurecem em tempos distintos e, portanto, o anterozoide de um gametófito não pode fecundar a própria oosfera. Nesses casos, os anterozoides produzidos em um gametófito irão fecundar a oosfera de algum gametófito próximo a ele.

Após a fecundação, temos a formação de um zigoto. Esse zigoto irá dividir-se e formar um embrião jovem, diferenciando-se até um esporófito adulto. A partir do momento em que ocorrer o enraizamento do esporófito no solo, o gametófito irá desintegrar-se. O esporófito adulto será responsável por produzir novos esporos, que irão reiniciar o ciclo.

Gametófito

O gametófito é a fase de vida da planta na qual se observa a formação dos gametas masculino (anterozoide) e feminino (oosfera). É a fase haploide desse ciclo e é chamada de prótalo em alguns grupos, como as samambaias. Essa estrutura é talosa e, geralmente, tem o formato que lembra um coração (cordiforme). O gametófito desenvolve-se após a germinação do esporo. Nele estão contidos anterídios e arquegônios, nos quais serão produzidos os anterozoides e a oosfera, respectivamente.

Esporófito

Nesses pequenos pontos marrons nas folhas da samambaia, são produzidos os esporos.
Nesses pequenos pontos marrons nas folhas da samambaia, são produzidos os esporos.

O esporófito das pteridófitas é uma fase diploide e dominante no ciclo. Nessa fase, as plantas têm raízes verdadeiras, caules e folhas. Essa é a fase em que se observa a produção de esporos.

Desenho do ciclo de vida das pteridófitas

Veja abaixo um desenho do ciclo de vida das pteridófitas, mais precisamente de uma samambaia:

Observe o ciclo de alternância de gerações da samambaia.
Observe o ciclo de alternância de gerações da samambaia.

O que é um ciclo com alternância de gerações?

O ciclo de vida das pteridófitas, assim como os ciclos das demais plantas, é caracterizado pela alternância de gerações. Isso significa que, durante a vida da planta, é possível observar uma fase gametofítica (que produz gametas) e uma fase esporofítica (que produz esporos). A fase gametofítica, nesse grupo, é menos desenvolvida e caracteriza-se por ser uma fase haploide. Já a fase esporofítica é mais desenvolvida e duradoura e é diploide.

Características das pteridófitas

As pteridófitas apresentam como representantes mais conhecidos as samambaias. Entre suas principais características, podemos citar:

  • Presença de vasos condutores de seiva (xilema e floema);

  • Presença de raízes, caule e folhas;

  • Ausência de semente, flor e fruto;

  • Fase esporofítica (produtora de esporos) dominante;

  • Esporângios (estruturas onde são produzidos esporos) reunidos em soros.

Habitat

As pteridófitas são encontradas em diferentes ambientes, que variam desde terrestres até aquáticos flutuantes ou submersos. Entretanto, a maioria das espécies desse grupo de plantas é encontrada no interior de matas, em locais com pouca exposição à luminosidade.

Classificação

Geralmente, denominam-se pteridófitas todas as plantas vasculares sem sementes. De acordo com os pesquisadores Ray Evert e Susan Eichhorn, os filos das plantas vasculares sem semente são Lycopodiophyta e Monilophyta, incluindo samambaias e Equisetum. Ainda de acordo com esses estudiosos, o termo “samambaia” é utilizado para identificar Ophioglossales, Marattiopsida e Polypodiopsida.

Avaliação

-

    Escola Kids