Teníase

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Teníase A tênia apresenta uma cabeça com ventosas e um corpo cheio de anéis
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

A teníase é uma doença causada por platelmintos pertencentes à classe Cestoidea: a Taenia solium e a Taenia saginata. Esses dois organismos desencadeiam um quadro que pode provocar desconforto abdominal, constipação (dificuldade para defecar) ou diarreia, náuseas, vômitos e cólicas intestinais.

Taenia solium e Taenia saginata

A T. solium e a T. saginata são organismos conhecidos também como solitárias. Eles apresentam corpo achatado e dividido em escólex, que seria a cabeça do animal, e o corpo formado por proglotes, que são espécies de anéis. No escólex, observamos ventosas que ajudam o animal a fixar-se. Na T. Solium, verifica-se também a presença de ganchos.

A T. Solium apresenta como hospedeiro intermediário (no qual ocorre a fase larvar desse platelminto) o porco, e a T. saginata possui o boi como hospedeiro intermediário. Ambas as espécies de parasitas pertencem ao filo Platyhelminthes, classe Cestoidea, ordem Cyclophillidea, família Taenidae e gênero Taenia.

As tênias, em sua forma adulta, são causadoras da doença chamada de teníase. Entretanto, essa não é a única doença causada por esses animais. Quando ingerimos ovos das tênias, podemos desenvolver a chamada cisticercose.

→ Ciclo da teníase

A teníase é uma doença contraída quando consumimos carne crua ou mal passada de suínos ou bovinos contendo larvas encistadas da tênia (cistercercos). A ingestão faz com que o cisticerco siga em direção ao estômago, onde ocorre a eclosão da larva e sua posterior fixação na mucosa. Nesse ponto, acontece o desenvolvimento da forma adulta da tênia.

Quando no estágio adulto, a tênia inicia a liberação das proglotes, que são porções de seu próprio corpo. Esses proglotes apresentam estruturas reprodutivas masculinas e femininas que são capazes de autofecundar-se. Por dia, a tênia libera, em média, de uma a cinco proglotes contendo centenas de ovos, os quais podem ficar viáveis no ambiente por meses.

Se o homem soltar suas fezes a céu aberto, pode causar a liberação dos ovos da tênia no ambiente. Esses ovos podem, então, contaminar animais e plantações ou a água de rios e lagoas. Essa água pode ser usada, por exemplo, para consumo humano, de outros animais e, até mesmo, para irrigar hortas. O hábito citado, pouco higiênico, portanto, contribui para a disseminação da doença.

Quando os bovinos e suínos ingerem os ovos, acabam adquirindo a chamada cisticercose, doença em que as larvas encistam (transformam-se em cistos) nos músculos do animal. Ao consumirmos essa carne mal passada ou crua contendo esses cisticercos, damos início a um novo ciclo.

→ Sintomas

Os sintomas da teníase variam muito de pessoa para pessoa. Entre alguns sintomas que podem ser citados, destacam-se: irritabilidade, anorexia ou aumento de apetite, perda de peso, dor abdominal, distúrbios digestivos, náusea e vômitos, diarreia ou constipação e fraqueza.

Tratamento

Ao ser realizado o diagnóstico, que normalmente é feito após exame laboratorial das fezes, inicia-se o tratamento. O tratamento baseia-se no uso de medicamentos como praziquantel e albendazol. Entretanto, o medicamento mais apropriado para o tratamento deverá ser recomendado por um médico após avaliar o estado físico do paciente.

→ Prevenção

A principal forma de prevenção da teníase é não ingerir carne crua ou mal passada. Além disso, é fundamental certificar-se de que a compra da carne é realizada em locais adequados e vistoriados pelos órgãos responsáveis, que fiscalizam a produção e comercialização de alimentos.

Avaliação

-

    Escola Kids