Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Aposto e vocativo

Realize esta experiência, que certamente gostará do que irá aprender!

Talvez esses dois termos (aposto e vocativo) representem uma novidade para você, pois pode ser que ainda não tenha estudado sobre eles. Caso isso seja verdade, quando encontrá-los em seu livro didático, já estará sabendo todos os aspectos que os caracterizam.

Inicialmente, alguns assuntos relacionados à língua portuguesa podem parecer para nós difíceis, complicados, talvez até um pouco chatos. Entretanto, depois que passamos a conhecê-los melhor, descobrimos que estão presentes no nosso dia a dia – manifestados nas conversas cotidianas ou até mesmo naquilo que escrevemos. E, assim, tudo parece se tornar simples, simples. Como exemplo disso, citamos o caso do aposto e do vocativo, os quais conheceremos a partir de agora.




Dessa forma, para que possamos começar entendendo perfeitamente, observemos o exemplo abaixo.

Carlos, que é meu melhor amigo, é sincero e generoso com todos.

 Vamos tentar retirar o termo em destaque desta oração?

 Carlos é sincero e generoso com todos.


  Pronto! A mensagem, mesmo sem o termo que retiramos, ficou clara, de fácil entendimento.

Afinal, será que não devemos dar importância a ele assim como merece? Coitadinho!!!

Ao contrário, ele, que é chamado de aposto, tem sim, grande importância. Sabe por quê?

O aposto acrescenta uma informação naquilo que o emissor (a pessoa que fala) está querendo nos dizer, tornando-a mais completa. É exatamente por esse motivo que é considerado um termo acessório da oração, pois realça, embeleza o discurso (a mensagem).

Podemos compará-lo a nós mesmos: imagine que quando usamos qualquer tipo de acessório, seja uma bolsa, um relógio, uma maquiagem bem feita, um boné combinando com o tênis, entre outros, sem nenhuma dúvida ficamos mais apresentáveis, mais elegantes, concorda? Pois bem, assim também acontece com nosso amiguinho aposto.

Outro aspecto que também nos chama a atenção é que ele apareceu entre um sinal de pontuação, no caso, a vírgula. Pois bem, na maioria das vezes é assim que iremos encontrá-lo – entre vírgulas.


Agora, vamos analisar estes outros exemplos?

Mamãe, como você é linda!

  Como você é linda, mamãe!

   Mamãe, ajude-me nessa pesquisa.
 


Se você teve a impressão de que em ambos os casos chamamos, invocamos uma pessoa, que no caso é a mamãe, saiba que acertou. Por essa razão é que o termo “mamãe” é denominado de vocativo, pois ele representa um chamamento, uma invocação que fazemos a algo ou a alguém. Percebeu que ele, assim como o aposto, também aparece entre vírgulas?

Saiba que isso ocorrerá sempre.

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto:


Cada um deles exerce uma função diferente na oração Cada um deles exerce uma função diferente na oração
Por Escola Kids

Você pode se interessar também

Português

Adjunto Adverbial

Português

Aprendendo a escrever corretamente

Português

Orações subordinadas substantivas

Português

Quando devemos ou não usar a vírgula?

Últimos artigos

Rinocerontes

Rinocerontes são animais de grande porte encontrados na África e Ásia. São animais solitários, territorialistas e que podem viver cerca de 50 anos.

Animais ovíparos, ovovivíparos e vivíparos

Quando falamos em animais ovíparos, ovovivíparos e vivíparos, estamos nos referindo ao local onde o embrião de uma espécie se desenvolve.

Metáfora

A metáfora é uma figura de linguagem que usamos para comparar diferentes ideias por meio de algumas semelhanças entre elas. Isso é feito com o uso de linguagem figurada.

Cuca

Cuca é um ser do folclore brasileiro e apresentada como uma velha má que sequestra crianças. Por meio de Monteiro Lobato, a forma de jacaré da cuca se popularizou.