Qual matéria está procurando ?

Português

Português

K, W e Y: vogais ou consoantes?

K, W e Y: vogais ou consoantes? Não fique na dúvida, aprenda clicando aqui!

Que o nosso alfabeto é composto por 26 letras você já sabe, não é? Talvez, o que você não saiba é que as letras K, W e Y só foram consideradas letras do alfabeto brasileiro recentemente, a partir do Novo Acordo Ortográfico. Antes, elas eram “intrusas”, agora são, oficialmente, parte constituinte de nossa língua.

Essas três letrinhas fizeram parte de nosso alfabeto até o ano de 1943, quando foram consideradas desnecessárias. Seu uso só era admitido em palavras estrangeiras e em algumas abreviaturas. Essa situação perdurou até pouco tempo, quando foram novamente admitidas em nosso alfabeto, que até então contava com 23 representantes, sendo cinco vogais e dezoito consoantes. Com a volta do K, W e Y, uma questão interessante surgiu: como elas seriam classificadas? E quanto ao seu uso? K, W e Y: vogais ou consoantes?

Bom, é claro que a questão despertou o interesse dos linguistas, os cientistas da linguagem. Pensaram bastante sobre o caso e chegaram à conclusão de que essas letras deveriam ser usadas em situações especiais, e que sua classificação como vogal, semivogal ou consoante estaria condicionada à análise dos fonemas que representam. Confira:

As letras K, W e Y: Devem ser usadas em antropônimos, como Joyce, Kleper, Conan Doyle, Kafka etc.

→ Em topônimos (nomes próprios de lugares) originários de outras línguas e seus derivados: Hong Kong, Sri Lanka, Hawaii etc.;

→ Em abreviaturas, siglas, símbolos e em palavras adotadas como unidades de medida de circulação internacional, como os vários símbolos da tabela periódica, K (potássio); Kg (quilograma), Km (quilômetro), Kw (quilowatt), Khz (quilohertz) etc.;

→ Em palavras derivadas de nomes próprios estrangeiros, como shakesperiano, de Shakespeare, comtista, de Comte, garrettiano, de Garrett, taylorismo, de Taylor, Weberniano, de Weber, etc.;

→ A letra “K” representa a consoante /k/, como em Karina, Kant, kart, ketchup, kaiser etc;

→ A letra “W” pode representar o fonema vocálico /u/, como em web e Willian, ou fonema consonantal /w/, como em Wagner e Walter etc. Sendo assim, o “W” pode ser vogal ou consoante, depende do uso;

→ A classificação da letra “Y” demanda de nós maior análise, pois sua classificação dependerá da forma como ela aparece na sílaba. Será vogal quando for base da sílaba, como na palavra chantilly; será semivogal quando estiver apoiada em uma vogal, como acontece na palavra office-boy. Em outros casos, a letra “Y” será classificada como um ditongo oral decrescente, como nas palavras byte e byssolita, pois o grafema “Y” será pronunciado como o fonema /ai/.

Para finalizarmos nosso estudo, é importante ressaltar que erradamente associamos as letras a uma visão simplista que as classifica apenas como vogais, semivogais ou consoantes. As letras são, sobretudo, o som que representam, sendo assim, o que vale é sua análise fonética, e não a divisão arbitrária que por consenso linguístico foi feita.


Por Luana Castro
Graduada em Letras

O uso e classificações das letras K, W e Y estão condicionados a algumas regrinhas muito importantes O uso e classificações das letras K, W e Y estão condicionados a algumas regrinhas muito importantes
Por Escola Kids

Você pode se interessar também

Português

Vogais

Português

Cedilha (Ç) | Ensino Fundamental I

Português

As novas regras ortográficas da Língua Portuguesa

Português

Consoantes

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.