Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Futebolês

Centroavante, perna-de-pau, corner, pipoqueiro... Você conhece essas palavras? Clique e saiba mais sobre a linguagem do futebol: o futebolês.

Bola na trave não altera o placar 
Bola na área sem ninguém pra cabecear 
Bola na rede pra fazer o gol 
Quem não sonhou em ser um jogador de futebol? 

A bandeira no estádio é um estandarte 
A flâmula pendurada na parede do quarto 
O distintivo na camisa do uniforme 
Que coisa linda, é uma partida de futebol 

Posso morrer pelo meu time 
Se ele perder, que dor, imenso crime 
Posso chorar se ele não ganhar 
Mas se ele ganha, não adianta 
Não há garganta que não pare de berrar 

A chuteira veste o pé descalço 
O tapete da realeza é verde 
Olhando para bola eu vejo o sol 
Está rolando agora, é uma partida de futebol! (...)”

(É uma partida de futebol - Skank)

Você que é um apaixonado pelo futebol com certeza sabe que não está sozinho. O esporte mais popular do país tem milhões de admiradores que torcem pela seleção brasileira e pelos times que representam nossos estados e cidades. O que talvez você não saiba é que dentro do campo e fora dele existe uma linguagem especial utilizada por jogadores – amadores ou não – e todos os profissionais que trabalham com a divulgação do esporte. Quer saber do que se trata?

Assim como médicos, advogados, professores, engenheiros, vendedores e várias outras profissões, no futebol também existe um linguajar técnico, que muitas vezes só quem é da área consegue entender: chamamos essa linguagem de futebolês.

O futebolês nasceu com o futebol, e como o esporte tem origem inglesa, as primeiras palavras que a ele faziam referência eram termos do inglês. Observe alguns exemplos:

center-forward = centroavante

forward = atacante

Corner = escanteio

Back (ou a forma aportuguesada “beque”) = zagueiro

Football = futebol

Goal = gol

Penalty = pênalti

Com o passar do tempo, essas expressões foram aportuguesadas, como no caso das palavras penalty, goal e football, enquanto outras foram substituídas por palavras correspondentes em nossa língua, como center-forward, forward, corner e back. Além desses termos específicos do futebol, existem também as gírias, jeito de falar bastante popular e criativo. Algumas são curiosas, outras engraçadíssimas! Elas podem variar de região para região, e a gíria que é muito popular no Nordeste pode ser desconhecida no Sul. Veja só alguns exemplos:

Pipoqueiro: jogador que vacila, “amarela”.

Perna de pau: jogador ruim de bola.

Pelota: bola.

Arquibaldo: torcedor que fica na arquibancada.

Frangueiro: goleiro que toma muitos gols.

Zebra: resultado inesperado para o jogo.

A força do futebol em nossa cultura é tão grande que pesquisadores da Universidade de São Paulo criaram um Dicionário de Futebolês, no qual estão reunidos diversos verbetes relacionados com o mundo da bola, assim como a origem histórica de muitos deles.


Por Luana Castro
Graduada em Letras

O futebol é o esporte mais popular do Brasil. Ele é tão importante em nossa cultura que influencia até mesmo em nossa linguagem! O futebol é o esporte mais popular do Brasil. Ele é tão importante em nossa cultura que influencia até mesmo em nossa linguagem!
Por Escola Kids

Você pode se interessar também

História

História da Copa do Mundo

Ciências

Zabivaka: mascote da Copa 2018

Português

Linguagem formal e linguagem informal

Português

Existe certo e errado quando o assunto é a linguagem?

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.