Qual matéria está procurando ?

Português

Português

Diferenças entre o autor e o eu poético

Entre o eu poético e o autor há diferenças: o autor é quem cria a poesia e o eu poético é a voz que fala dentro do poema.

Quando lemos uma poesia, além de sabermos que se trata de um texto diferente daqueles que contêm início, meio e fim, damos atenção a outros detalhes e nos perguntamos se toda aquela emoção expressa pelas palavras é constituída pelo próprio autor ou se pertence a outra pessoa. Perguntando assim parece um pouco estranho, não é verdade?

Não se preocupe, saiba que nosso objetivo é fazer com que você entenda que entre essas duas pessoas há diferenças, as quais tão logo ficaremos sabendo, ok?

Quando dizemos “eu poético” estamos nos referindo à voz que se expressa dentro do poema, ou seja, aquela voz responsável por nos transmitir sentimentos e emoções.

O autor, por sua vez, é quem cria o poema. Então, não se esqueça:

O eu poético é a voz que fala, que expressa sentimentos dentro do poema; e autor é quem o cria.


Por Vânia Duarte
Graduada em Letras

Entre o eu poético e o autor há diferenças: o autor é quem cria a poesia e o eu poético é a voz que fala dentro do poema Entre o eu poético e o autor há diferenças: o autor é quem cria a poesia e o eu poético é a voz que fala dentro do poema
Por Escola Kids

Você pode se interessar também

Português

Autor e Narrador

Português

Verso, Estrofe e Rima

Português

Um texto diferente - A poesia

Português

Intertextualidade

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.