Qual matéria está procurando ?

Ciências

Ciências

Química do esmalte

Clique e aprenda a Química do Esmalte, isto é, as substâncias que fazem parte da sua composição!

Independentemente da idade, algo muito comum no dia a dia é vermos mulheres desfilando pelas ruas com as unhas pintadas com esmalte. Para muitas delas, trata-se de um item indispensável. Por essa razão, a indústria de cosméticos tem buscado cada vez mais inovar na cor e na qualidade dos esmaltes por meio do conhecimento químico.

Neste texto vamos conhecer a química do esmalte, ou seja, quais são as substâncias químicas que fazem parte da composição desse produto. Antes de conhecer que substâncias são essas, é fundamental definirmos o esmalte.

O que é o esmalte?

O esmalte é uma mistura homogênea (aquela que apresenta uma única fase ou um único aspecto visual) que apresenta capacidade plástica, ou seja, promove aderência (fixação) na unha.

O hábito de pintar as unhas não é recente, já que existem relatos de indivíduos que realizavam essa prática na China, aproximadamente em 3000 a.C., com um material chamado rena. O esmalte que conhecemos hoje foi desenvolvido pela primeira vez em 1930.

A partir de 1930, várias novas substâncias passaram a fazer parte da constituição do esmalte. Abaixo temos uma série de grupos de substâncias diferentes, que são divididos de acordo com a sua função específica:

  • Filmógenos: são polímeros plásticos que proporcionam o brilho do esmalte e sua adesão à unha. São chamados de plásticos em virtude dessa capacidade adesiva. O filmógeno mais utilizado no esmalte é a nitrocelulose.

A nitrocelulose é formada por meio de uma reação química entre alguns solventes orgânicos e aditivos, como a mistura formada por algodão, ácido sulfúrico (H2SO4) e ácido nítrico (HNO3).


Estrutura química da nitrocelulose

Trata-se de um plástico que apresenta em sua constituição dois importantes grupos orgânicos: o álcool e o éter (estrutura que apresenta o oxigênio ligado a dois carbonos).

  • Plastificantes: São as substâncias que têm a função de hidratar a unha e favorecer que o esmalte não seja quebradiço. Os plastificantes comumente utilizados na produção do esmalte são:

→ Polimetilacrilato

Polímero (plástico) que apresenta o grupo orgânico éster.


Estrutura química do Polimetilacrilato

→ Poliuretano

Polímero (plástico) que apresenta os grupos orgânicos éster e amina (estrutura que apresenta o nitrogênio ligado ao carbono e ao hidrogênio).


Estrutura química do poliuretano

  • Solventes: são utilizados na mistura para dissolver os componentes do esmalte. Quando se passa o esmalte na unha, os solventes evaporam rapidamente, deixando sobre ela apenas os componentes que antes estavam dissolvidos. Os solventes que podem estar presentes no esmalte são:

→ Álcool isopropílico

Substância orgânica que faz parte da função álcool (possui grupo OH ligado ao carbono).


Estrutura química do Álcool isopropílico

→ Formaldeído ou formol

Substância orgânica que faz parte da função aldeído (apresenta o carbono realizando uma ligação dupla com o elemento oxigênio).


Estrutura química do Formaldeído

→ Dibutilftalato

Substância orgânica que faz parte da função éster (apresenta o elemento carbono realizando uma ligação dupla (=) com o oxigênio e uma ligação simples (-) com outro oxigênio).


Estrutura química do Dibutilftalato

→ Acetato etílico

Substância orgânica que faz parte da função éster (apresenta o elemento carbono realizando uma ligação dupla (=) com o oxigênio e uma ligação simples (-) com outro oxigênio).


Estrutura química do Acetato etílico

OBS.: Alguns estudos científicos apontam riscos à saúde provocados pelo dibutilftalato, formol e tolueno (falaremos deste a seguir).

  • Diluentes: Os diluentes fazem parte da composição do esmalte para auxiliar a dissolução dos componentes plásticos. O mais utilizado é o tolueno.

→ Tolueno

Substância orgânica que faz parte da função hidrocarboneto (apresenta apenas os elementos carbono e hidrogênio na sua constituição).


Estrutura química do Tolueno

  • Corantes ou Pigmentos: Algumas indústrias utilizam corantes artificiais, e outras utilizam os naturais, que são extraídos de rochas, minérios, folhas, flores etc. Alguns exemplos de corantes utilizados são:

  • Dióxido de titânio (TiO2)

  • Óxido de Ferro (FeO)

  • Mica (mistura do minério mica com vários outros corantes).

CURIOSIDADE: Quando já está aderido à unha, uma substância muito utilizada para remover o esmalte é a acetona, que consegue dissolvê-lo facilmente.

Acetona utilizada para remover esmalte das unhas
Acetona utilizada para remover esmalte das unhas

Além de conhecer a composição química, saiba que várias características físicas e químicas são analisadas antes e durante o processo de produção do esmalte. Essas características são:

  • Acidez (presença de componente ácido)

  • Viscosidade (se o líquido está mais grosso ou encorpado)

  • Cor (se há ou não a necessidade de adicionar mais corante)

  • Odor (se o cheiro do produto está suportável)

  • teor alcoólico (se há ou não a necessidade de diminuir a quantidade de álcool da mistura)

  • densidade (se a relação massa/volume dos materiais está dentro das especificações exigidas)

Depois de pronto, o esmalte ainda passa por alguns testes de qualidade que visam à verificação das seguintes características:

  • brilho

  • aderência (se a massa plástica está aderindo bem a unha)

  • secagem (se os solventes estão evaporando em boa velocidade)


Por Me. Diogo Lopes Dias

O esmalte é muito utilizado pelas mulheres O esmalte é muito utilizado pelas mulheres
Por Diogo Lopes Dias

Você pode se interessar também

Ciências

Misturas

Ciências

A Química no salão de beleza

Ciências

Hábito de roer as unhas

Últimos artigos

Idade Moderna

Idade Moderna foi um dos períodos da História, iniciando-se em 1453 e finalizando-se em 1789. Foi o período dos regimes absolutistas e do surgimento do capitalismo.

Animais onívoros

Animais onívoros são aqueles que podem alimentar-se de algas ou plantas e também de outros animais. Porcos e baratas são exemplos de animais onívoros.

Réveillon e Ano-Novo

O Réveillon e o Ano-Novo são datas comemorativas de final e início de ano e remetem a comemorações diferentes.

Revolução Praieira

A Revolução Praieira foi a última revolução provincial que aconteceu no Brasil durante o período monárquico e abalou Pernambuco, de 1848 a 1850.