A religião romana

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A religião romana Estátua de Netuno na Fonte dos Quatro Rios, em Roma, Itália
Por Tales dos Santos Pinto
PUBLICIDADE

A religião romana tinha como principal característica o politeísmo, a crença em diversos deuses. Esses deuses tinham formas e caráter de homens e mulheres.

Essas características eram semelhantes às religiões de outros povos da Antiguidade. Isso possibilitou que os romanos, ao longo do tempo, passassem a adotar o culto a deuses de povos que eles estabeleciam contato, assimilando esses deuses à religião romana.

Os deuses gregos foram as principais divindades assimiladas pelos romanos. A diferença era que os romanos davam nomes latinos a esses deuses. Por exemplo, o pai de quase todos os deuses era Zeus para os gregos, mas, para os romanos, tratava-se de Júpiter.

Abaixo segue outras correspondências entre os deuses gregos e romanos.

Grécia Roma Atributos principais
Hera Juno Rainha dos deuses, protetora das mulheres, do casamento e do parto
Afrodite Vênus Deusa do amor
Ares Marte Deus da guerra
Hades  Plutão Deus dos mortos
Poseidon Netuno Deus dos mares
Eros Cupido Deus do amor e da paixão
Apolo Febo Deus da poesia, da música, da beleza masculina
Ártemis Diana Deusa da caça, da castidade, dos animais selvagens
Deméter Ceres Deusa da colheita, da agricultura
Dionísio Baco Deus das festas, do vinho
Hermes Mercúrio Mensageiro dos deuses, protetor do comércio
Hefesto Vulcano Deus dos metais, da metalurgia, do fogo
Crono Saturno Deus do tempo
Héstia Vesta Deus do fogo eterno

Os deuses romanos eram também divindades ligadas às forças da natureza (tempo, fogo, protetores das colheitas), aos sentimentos (amor, beleza, etc.) e às ações humanas (caça, guerra, etc.).

Havia ainda a divisão entre o culto familiar e o culto público. O culto familiar, realizado no âmbito doméstico, era conduzido pelo páter-famílias e celebrado pelos familiares tendo por centro o fogo. Os deuses eram conhecidos como lares, protetores da família, e na celebração eram oferecidos alimentos, bem como animais eram sacrificados.

O culto público era organizado pelo Estado através de funcionários públicos, sendo o maior deles o Sumo Pontífice. O Estado controlava esses cultos com o objetivo de agradar aos deuses e deles conseguirem sucessos em campanhas militares e em colheitas, por exemplo.

Sacerdotes e sacerdotisas também auxiliavam na celebração dos cultos públicos. Destacaram-se as sacerdotisas vestais, mulheres virgens oriundas de famílias patrícias que cultuavam a deusa Vesta, a protetora de Roma.

A superstição também era uma característica da sociedade romana, havendo dias bons (fastos) e ruins (nefastos), e dias de boa e má sorte. Por exemplo, os dias do mês de fevereiro e os dias ímpares eram dias de maus agouros.

Com a expansão de Roma e o contato com outras civilizações, vários outros deuses foram adotados pelos romanos. Deuses persas e egípcios passaram a ser cultuados em Roma. Entretanto, umas das principais assimilações religiosas realizadas foram a liberdade de culto e a posterior adoção do cristianismo como religião oficial do Império, nos séculos finais da civilização romana.

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto:

Avaliação

-

    Assuntos Relacionados

    Escola Kids