Carrapato

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Carrapato Os carrapatos podem transmitir doenças graves para seres humanos e outros animais.
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

  O carrapato é um animal ectoparasita, ou seja, é um parasita que vive sobre outro organismo, como na pele ou no pelo. Esses animais, que se alimentam de sangue, são classificados no grupo dos artrópodes e são conhecidos principalmente por causar doenças em animais, inclusive o ser humano.

Características biológicas dos carrapatos

Os carrapatos são animais ectoparasitas e destacam-se por seu papel na saúde pública, uma vez que estão relacionados com algumas doenças que atingem homens e outros animais. Eles pertencem:

  • ao filo Arthopoda;

  • subfilo Chelicerata;

  • classe Arachnida;

  • subclasse Acari;

  • superordem Parasitiformes;

  • ordem Ixodida.

Saiba mais: Classificação dos artrópodes

Quando analisamos um carrapato, algumas características básicas podem ser observadas, tais como:

  • Corpo dividido em cefalotórax e abdome;

  • Ausência de antenas;

  • Ausência de asas;

  • Presença de quelíceras e pedipalpos;

  • Presença de quatro pares de pernas.

Para se alimentarem, os carrapatos colocam o aparelho bucal na pele do hospedeiro e permanecem ali fixados. O aparelho bucal, ao perfurar a pele, causa lesão em vasos e tecidos, o que permite que o carrapato consuma grande quantidade de sangue. Enquanto ingere o sangue, o carrapato regurgita a saliva, sendo essa a principal forma de transmitir doenças para o hospedeiro. Esses animais podem permanecer fixados nos hospedeiros por vários dias, liberando substâncias que impedem a coagulação do sangue.

Os carrapatos ficam parte do seu ciclo de vida no ambiente, procurando hospedeiros apenas para se alimentar.
Os carrapatos ficam parte do seu ciclo de vida no ambiente, procurando hospedeiros apenas para se alimentar.

O ciclo de vida dos carrapatos é constituído por quatro estágios diferentes: ovo, larva, ninfa e adulto. Durante esses estágios, com a exceção da fase de ovo, os carrapatos buscam hospedeiros para que possam alimentar-se.

Tipos de carrapato

Existem diferentes tipos de carrapato no Brasil e no mundo. Estima-se que haja mais de 850 espécies diferentes, as quais estão agrupadas em três famílias distintas:

  • Ixodidae: os carrapatos dessa família apresentam como característica a presença de um escudo dorsal e as peças bucais projetadas para frente. São conhecidos como carrapatos de corpo duro.

  • Argasidae: não apresentam escudo e suas peças bucais estão situadas ventralmente. São chamados de carrapatos de corpo mole.

  • Nuttalliellidae: possui apenas uma espécie de carrapato, que, inclusive, é africana. Esse carrapato apresenta características intermediárias entre os carrapatos da família Ixodidea e Argasidae.

Carrapato-estrela

O carrapato-estrela é uma espécie de carrapato que merece destaque por causa do seu impacto na saúde pública. Também conhecido como carrapato-de-cavalo, carrapato-redoleiro ou micuim, ele é responsável pela transmissão da febre maculosa, uma doença que pode causar a morte.

O carrapato-estrela está relacionado com a transmissão de febre maculosa.
O carrapato-estrela está relacionado com a transmissão de febre maculosa.

Esse animal, como os outros carrapatos, é um ectoparasita hematófago, ou seja, alimenta-se de sangue. Para completar seu ciclo de vida, ele necessita de vários hospedeiros. Após eclodir do ovo, as larvas encontram um hospedeiro para conseguir alimento. Quando se encontram cheios de sangue, retornam para o solo e realizam a muda, tornando-se ninfas. As ninfas ficam em plantas esperando um novo hospedeiro. Quando o encontram, enchem-se de sangue, retornam ao solo e repetem o processo até a fase adulta. Na fase adulta, acasalam-se e dão origem a um novo ciclo.

Leia também: Capivara, um animal que serve de hospedeiro para o carrapato-estrela.

Carrapato em humanos

Algumas espécies de carrapatos podem transmitir várias doenças para o ser humano, como febres hemorrágicas, encefalites (doença que afeta o sistema nervoso central), febre maculosa, erliquiose e doença de Lyme. No Brasil, as doenças transmitidas por carrapatos que merecem destaque são:

  • Febre maculosa brasileira: é uma doença causada por uma bactéria chamada Rickettsia rickettsii, a qual é transmitida pela picada de carrapato. Essa doença causa febre alta, dores de cabeça, dores musculares e manchas na pele. Apresenta alta letalidade.

  • Borreliose brasileira ou Síndrome Baggio-Yoshinari: é causada por bactérias e transmitida por carrapatos do gênero Amblyomma e/ou Rhipicephalus. A doença pode causar lesões na pele, artrite (inflamação na articulação), artralgia (dor na articulação), miosite (inflamação dos músculos), convulsões, paralisia facial, arritmias, insuficiência cardíaca, entre outros.

Vale salientar que a maior parte dos carrapatos, ao picar os seres humanos, causa apenas uma reação inflamatória no local e coceira, que pode durar por algumas semanas. Entretanto, além das doenças transmitidas por carrapatos, alguns são capazes de liberar substâncias tóxicas que provocam reações alérgicas graves e até mesmo paralisia.

Como evitar as doenças transmitidas por carrapatos?

Para evitar as doenças transmitidas por carrapatos, é essencial evitar o contato com esses animais e, sempre que se expor a uma área onde se sabe da presença deles, examinar o corpo a fim de retirá-los. Veja a seguir algumas dicas para evitar o contato com carrapatos.

  • Utilize roupas claras quando visitar áreas que possam abrigar carrapatos, pois elas facilitam a visualização desses animais.

  • Utilize roupas de manga comprida e calças compridas sempre que adentrar áreas suspeitas.

  • Utilize sapatos fechados em áreas que possam abrigar carrapatos.

  • Em áreas muito arborizadas, prefira andar pelos caminhos mais abertos.

  • Retire os carrapatos de seu corpo utilizando, preferencialmente, pinças.

  • Nunca esmague o carrapato com as unhas, pois esse ato pode favorecer a contaminação caso sua pele esteja lesionada.

Carrapato em cachorro

Os carrapatos podem trazer doenças sérias aos seres humanos e a outros animais, como o cachorro.
Os carrapatos podem trazer doenças sérias aos seres humanos e a outros animais, como o cachorro.

Os carrapatos parasitam uma série de animais, inclusive os cachorros. No Brasil, os carrapatos que mais afetam os cachorros são Rhipicephalus sanguineus, conhecido como carrapato-marrom, e carrapatos do gênero Amblyomma. Os carrapatos causam irritação, podem desencadear anemia no animal e podem também transmitir doenças.

O carrapato Rhipicephalus sanguineus destaca-se por causar doenças em cães, sendo responsável por transmitir a babesiose e a erliquiose. A babesiose é uma doença causada por um protozoário (Babesia canis e a Babesia gibsoni), o qual é transmitido pela picada do carrapato. Esse protozoário invade as hemácias do sangue do animal, destruindo-as e causando anemia. Os cachorros acometidos podem apresentar, além da anemia, anorexia, diarreia, pneumonia e febre.

A erliquiose é outra doença que afeta o cão e merece destaque. Ela é causada pela bactéria Erlichia canis, que é transmitida pela picada do carrapato-marrom. A doença pode causar no animal falta de apetite, anemia, perda de peso, apatia, alterações oculares, tendência a hemorragias e febre.

Como acabar com o carrapato

Para garantir que o animal de estimação não tenha nova infestação de carrapato, é fundamental tratá-lo e limpar o ambiente.
Para garantir que o animal de estimação não tenha nova infestação de carrapato, é fundamental tratá-lo e limpar o ambiente.

Os carrapatos podem parasitar os animais de estimação, sendo necessário tratá-los. No mercado, há vários produtos para acabar com os carrapatos do animal, tais como shampoos, coleiras, sabonetes, talcos e até mesmo medicamentos orais. É necessário também garantir um ambiente adequado, sendo recomendada a aplicação de carrapaticida. Para realizar o tratamento correto, consulte um veterinário.  

Avaliação

-

    Escola Kids