Segunda Guerra Mundial na Ásia

  • Atualmente 5/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Segunda Guerra Mundial na Ásia Navio americano (USS Missouri) no dia da oficialização da rendição japonesa, em 2 de setembro de 1945
Por Daniel Neves Silva
PUBLICIDADE

O conflito na Ásia durante a Segunda Guerra Mundial ficou conhecido como Guerra do Pacífico. Teve como principais atores os Estados Unidos e o Japão, apesar de contar também com chineses, britânicos, franceses, australianos e exércitos de países menores da Ásia. O cenário de guerra na Ásia começou a partir de 1937 com a Segunda Guerra Sino-japonesa. Com o ataque japonês à base naval americana de Pearl Harbor, em 1941, ocorreu a entrada dos Estados Unidos no conflito.

Militarismo Japonês

Bandeira do Império Japonês durante a Segunda Guerra
Bandeira do Império Japonês durante a Segunda Guerra

Desde o final do século XIX, o Japão dava demonstrações de ambições imperialistas, principalmente sobre a Manchúria e a Península da Coreia. Esse imperialismo japonês resultou de uma doutrinação nacionalista realizada no país com a reforma do ensino durante a Restauração Meiji.

Como desdobramento dessa doutrinação, podemos citar a participação do Japão em inúmeras guerras desde 1894: duas guerras contra a China (1894-1895 e 1937-1945), uma contra a Rússia (1904-1905), além do conflito contra os Aliados na Segunda Guerra Mundial (1940-1945).

O resultado da doutrinação nacionalista no Japão foi o surgimento de um forte grupo político de extrema-direita, que formava a elite intelectual do Japão. Essa elite defendia o fortalecimento do exército japonês e a formação do Império Japonês por meio da conquista dos povos vizinhos, considerados inferiores.

A rivalidade japonesa com os Estados Unidos era fruto de um conflito diplomático que havia ocorrido entre as duas nações durante a década de 1910 por questões que envolviam interesses japoneses sobre territórios chineses. A partir daí, grande parte dos políticos e da elite intelectual alinhada com a extrema-direita passou a defender um confronto armado direto contra os Estados Unidos como forma de mostrar o poderio japonês.

Japão em Guerra

USS President Jackson em manobra durante confronto nas Ilhas Salomão, em 1942
USS President Jackson em manobra durante confronto nas Ilhas Salomão, em 1942

O Japão deu demonstrações de seu poderio militar a partir de 1937 com o início da Segunda Guerra Sino-japonesa. A ocupação japonesa na China deflagrou inúmeros relatos da violência do exército japonês contra a população chinesa. Em 1940, o Japão invadiu de maneira vitoriosa a Indochina Francesa.

A intenção do Japão, além de expulsar britânicos e americanos de maneira definitiva da Ásia, era expandir seus domínios para garantir o controle de fontes de matérias-primas e mão de obra, que seriam importantes para o financiamento da guerra.

O confronto contra os Estados Unidos iniciou-se após o ataque à base naval americana de Pearl Harbor, no Havaí, em 7 de dezembro de 1941. O ataque afundou parte da frota naval americana e foi veiculado como um grande sucesso pelo Japão, entretanto, é visto hoje pelos historiadores como um grande fracasso, pois não causou o estrago esperado pelos japoneses. O ataque foi planejado por Isoroku Yamamoto, um dos pouquíssimos membros do Exército e Marinha do Japão que tinham coragem de não apoiar a guerra contra os Estados Unidos.

A declaração de guerra americana veio no dia seguinte, em 8 de dezembro de 1941. A fase inicial da guerra na Ásia foi marcada pela imposição de força pelos japoneses ao conquistarem inúmeras colônias britânicas, como Cingapura, Hong Kong, Malásia e Birmânia, além de derrotarem os holandeses nas Índias Orientais Holandesas (Indonésia) e, após dura batalha, conquistarem as Filipinas dos americanos.

Apesar disso, logo o poderio americano impôs-se na guerra, porém, às duras penas. Cada derrota japonesa vinha após muita resistência, pois, geralmente, os japoneses lutavam até a morte. A primeira grande derrota japonesa aconteceu na batalha naval de Midway, próximo às Ilhas Salomão. Ali a Marinha Imperial Japonesa perdeu força de maneira que não conseguiria mais se recuperar ao longo da guerra.

Em seguida, as derrotas foram acumulando-se à medida que a força americana aumentava e encurralava os japoneses. As batalhas de Guadalcanal, Tarawa, Ilhas Marianas e Filipinas foram demonstrações do enfraquecimento do Japão. Assim, logo os americanos entraram em solo japonês: vitórias americanas aconteceram em Iwo Jiwa e Okinawa.

Fase Final

Em 1945, os Estados Unidos castigavam as grandes cidades japonesas com toneladas de bombas lançadas dos bombardeiros B-29. Com o desfecho da guerra na Europa, os Aliados (União Soviética, China e Reino Unido) reuniram-se para debater a invasão do território japonês. O Japão, apesar de falido e destruído, recusou-se a se render.

Para evitar uma invasão por terra, os Estados Unidos fizeram uso das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki, forçando a rendição japonesa no dia 14 de agosto de 1945. O Japão, derrotado, foi obrigado a aceitar as imposições determinadas pelos Estados Unidos a partir de 1945. A ocupação americana no Japão só acabou em 1952.


Por Daniel Neves
Graduado em História

Avaliação

10.0

    Assuntos Relacionados

    Escola Kids