Leis de Mendel

  • Atualmente 0/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Leis de Mendel A ervilha foi a planta escolhida por Mendel para seus estudos
Por Vanessa Sardinha dos Santos
PUBLICIDADE

Você já ouviu falar de Gregor Mendel? Esse importante pesquisador é conhecido como o Pai da Genética e foi quem estabeleceu duas leis importantes a respeito da transmissão de características de um organismo para seus descendentes.

Gregor Mendel (1822-1884) realizou, durante sua vida, estudos detalhados com ervilhas (Pisum sativum). Ele escolheu essa espécie por vários motivos, como a facilidade para cultivo, a grande quantidade de características que permitem o estudo, seu ciclo de vida curto, sua capacidade de realizar autofecundação, grande número de descendentes, entre outras.

Após realizar diversos cruzamentos, Mendel chegou a conclusões que posteriormente ficaram conhecidas como as Leis de Mendel.

1º Lei de Mendel

A primeira lei de Mendel foi estabelecida após a realização de cruzamentos com plantas chamadas de puras pelo pesquisador. Essas ervilhas eram consideradas puras por apresentarem a mesma característica após várias gerações e serem produzidas por autofecundação.

Mendel cruzou indivíduos puros e esperou que os descendentes fossem uma mistura dos genitores (pais). Entretanto, isso não ocorreu, e os indivíduos gerados apresentavam apenas uma das características.

Observe que a semente amarela apareceu com maior frequência nos cruzamentos do que a verde
Observe que a semente amarela apareceu com maior frequência nos cruzamentos do que a verde

Um dos cruzamentos realizados por Mendel foi entre plantas puras com sementes lisas e plantas puras com sementes rugosas. A primeira geração de filhos, chamada de geração F1, apresentou a textura lisa da semente. Mendel então cruzou indivíduos da primeira geração e obteve indivíduos com semente lisa e com semente rugosa (geração F2), sendo essa última característica observada em menor quantidade.

Mendel concluiu que a característica que mais apareceu era dominante sobre a outra, a qual chamou de recessiva. Além disso, ele descobriu que as características eram determinadas por um par de fatores, que receberam o nome de genes mais tarde, e que um fator era proveniente do pai e o outro era proveniente da mãe. Ele também afirmou que, em cada gameta (célula reprodutiva), existia apenas um fator e, após a fecundação, os dois fatores eram restabelecidos. Surgia aí a primeira lei de Mendel, que pode ser enunciada como:

Cada característica é condicionada por um par de fatores que se separam na formação dos gametas, ocorrendo nessas células em dose simples.”

2º Lei de Mendel

A segunda lei de Mendel foi estabelecida após a análise de cruzamentos, quando Mendel observou mais de uma característica por vez. Seu objetivo era perceber se uma característica influenciava ou não o aparecimento da outra.

Um de seus cruzamentos foi entre plantas com sementes amarelas e lisas e plantas verdes e rugosas. No primeiro cruzamento, o resultado foi de 100% de plantas amarelas e lisas. Ele então cruzou as plantas obtidas no primeiro cruzamento e obteve plantas, além de amarelas lisas e verdes rugosas, amarelas rugosas e verdes lisas. Percebeu aí que um fator era independente do outro. Surgia aí a segunda lei de Mendel, que pode ser enunciada da seguinte forma:

Os fatores para duas ou mais características distribuem-se de maneira independente para os gametas e combinam-se ao acaso.”



Por Ma. Vanessa dos Santos

Avaliação

-

    Escola Kids