Exoesqueleto

  • Atualmente 3.6666666666667/5 Estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Exoesqueleto Essa estrutura que se assemelha a uma carapaça no besouro é o chamado exoesqueleto
PUBLICIDADE

Quando pensamos em esqueleto, logo imaginamos o nosso, que fica localizado internamente em nosso corpo. Esse tipo de esqueleto é chamado de endoesqueleto e é encontrado nos vertebrados, como os peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Entretanto, existem animais que possuem o esqueleto fora do corpo, o chamado exoesqueleto.

Diferentemente do nosso, o exoesqueleto, na realidade, é uma camada resistente que cobre o corpo de alguns invertebrados e não é formado por ossos. O tipo mais conhecido é aquele presente nos artrópodes, tais como aranhas, escorpiões e caranguejos. Nesses animais, a estrutura é composta principalmente de quitina, um polissacarídio resistente. Nos crustáceos, tais como lagostas e caranguejos, o exoesqueleto ainda é mais rígido, uma vez que apresenta, além de quitina, sais de cálcio.

Você deve estar perguntando-se como esses animais crescem, uma vez que possuem uma especie de armadura que os protege. O crescimento ocorre através da chamada muda ou ecdise, em que o animal literalmente troca de exoesqueleto.

Durante a muda, o artrópode sai do interior de seu esqueleto antigo e já apresenta um exoesqueleto em formação. Este, no entanto, é relativamente frágil e permite uma expansão do corpo do animal antes do seu endurecimento. A cigarra da figura a seguir está trocando seu exoesqueleto, observe:

Observe o antigo exoesqueleto da cigarra na folha
Observe o antigo exoesqueleto da cigarra na folha

Além dos artrópodes, os corais também possuem um exoesqueleto. Nesses animais, ele é formado por uma forma cristalina do carbonato de cálcio, conhecida como aragonita, que vai sendo precipitada de forma contínua por eles. O exoesqueleto vai então crescendo na forma vertical, formando os grandes recifes.

Alguns moluscos também apresentam um exoesqueleto rígido em forma de concha que ajuda na proteção de seu corpo mole. Essas conchas são formadas principalmente por carbonato de cálcio, garantindo, assim, a rigidez dessa estrutura.

É importante destacar que tanto o esqueleto interno quanto o externo são fundamentais para a sobrevivência desses animais, pois permitem a sustentação do corpo, a proteção de algumas estruturas internas e, em algumas espécies, protegem contra a ação de predadores.

Agora que você já aprendeu o que é exoesqueleto, você saberia dizer outros exemplos de animais, além dos citados no texto, que possuem essa estrutura? Responda nos comentários!


Por Ma. Vanessa dos Santos

Avaliação

7.3

    Escola Kids